quinta-feira, junho 17, 2021

Tag: #BlackLivesMatter

genocidio da juventude negra

Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado realizará audiência pública no próximo dia 29 para discutir a violência contra jovens negros

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado realizará audiência pública no próximo dia 29 para discutir a violência contra jovens negros. O evento estava marcado para a terça-feira (8), mas foi adiado em virtude da agenda da ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, uma das convidadas. Também serão chamados para o debate o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo; a secretária nacional de Juventude, Severine Macedo; o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Marcelo Paixão; o professor da PUC de São Paulo Édio Silva Júnior; e o idealizador e coordenador-geral do projeto Educafro – Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes, Frei Davi. A audiência é uma iniciativa do deputado Alessandro Molon (PT-RJ). Ele ressalta que dados apresentados pela comissão – referentes ao Mapa da Violência de 2011 – comprovam que são vítimas de homicídio sobretudo os jovens ...

Leia mais
caso juan moraes exumacao

Caso Juan de Moraes – Exames confirmam que corpo exumado é de Juan

A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro confirmou nesta quinta que o corpo exumado em 17 de agosto no Cemitério de Nova Iguaçu é mesmo do menino Juan Moraes Neves. A conclusão ocorreu por meio de novos exames de tipagem genética por DNA, cadavérico e antropológico. O pedido do teste havia sido feito pelo defensor Antonio Carlos Oliveira, que representa o policial Edilberto Barros do Nascimento, preso pela morte do garoto, para esclarecer dúvidas. O garoto desapareceu em 20 de junho após troca de tiros entre policiais e traficantes na favela Danon, Baixada Fluminense. Após buscas no local onde a criança foi vista pela última vez, os peritos encontraram uma ossada que primeiro foi dita ser de uma menina. Alguns dias depois, foi identificada como sendo de Juan. Segundo a instituição, não há necessidade de permanência do cadáver no Instituto Médico Legal (IML) e um novo sepultamento pode ...

Leia mais
genocidio da juventude negra

Genocídio da Juventude Negra: Doutrina da ditadura e racismo continua firme e forte nas forças de segurança

Em 2002, eram assassinados proporcionalmente 45% mais negros que brancos. Em 2008, esta taxa já havia subido para impressionantes 111,2%. O número de pessoas assassinadas por policiais militares fora do serviço aumentou 50% entre setembro de 2010 e agosto de 2011, segundo reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, de 17/10. Isto aconteceu no mesmo momento em que há uma queda nos homicídios no estado e no país. A reportagem também mostra um aumento nas lesões dolosas cometidas por policiais militares fora do serviço – o aumento no período foi de 17%. Um dado importante sobre a violência no Brasil refere-se a queda nos homicídios que vitimam brancos e um aumento de vítimas negras. Segundo o Mapa da Violência de 2011, o número de vítimas brancas caiu de 18.852 para 14.650, o que representa uma significativa diferença negativa, da ordem de 22,3%; já entre os negros, o número ...

Leia mais
genocidio de jovens

Adolescente com arma de brinquedo foi baleado pelas costas por policiais

Um adolescente foi baleado pelas costas por policiais na noite de quinta-feira em Santos, no litoral paulista. Houve protestos. Os moradores incendiaram pneus e bloquearam uma rua. Segundo eles, o jovem tinha nas mãos uma pistola de brinquedo e a polícia atirou contra ele. Os policiais disseram que o adolescente sacou a arma ao ser abordado e que reagiram porque não sabiam que a pistola era de brinquedo. A tropa de choque usou bombas de efeito moral e balas de borracha para dispersar os manifestantes. O jovem, em estado grave, foi levado para o hospital pelos próprios policiais. Fonte: Globo

Leia mais
violencia policial no Brasil

Violência Policial: A história se repete, até quando?

Morrem mais de 42 mil pessoas assassinadas por ano no Brasil das mais variadas formas, na sua maioria jovem que se encontra na faixa etária dos 14 aos 24 anos. Uma verdadeira tragédia que não se compara a qualquer conflito armado no mundo contemporâneo. O mais grave, parte desta estatística é de responsabilidade de policiais que estão em trabalho ou a paisana. Eles que deveriam estar preparados para promover a segurança do cidadão, acabam cometendo assassinatos, tortura, abuso de poder, o que se configura no fenômeno sociológico chamado de violência policial. O Núcleo Interinstitucional de Estudo da Violência e Cidadania analisa esse fenômeno há algum tempo. A conclusão é que ela tem várias motivações, variáveis e explicações que levam o policial a cometer violência ilegítima. Falta de preparo é uma delas e por falta de espaço não enumeraremos tantas outras. Policiais quando ingressam na corporação, no mundo todo, passam por ...

Leia mais
juan moraes

Justica decreta prisão preventiva dos policiais envolvidos na morte do menino Juan

A Justiça do Rio de Janeiro decretou nesta sexta-feira (16) a prisão preventiva dos quatro policiais militares suspeitos de envolvimento na morte do menino Juan, de 11 anos, morto no dia 20 de junho, na comunidade do Danon, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. De acordo com a assessoria de imprensa do TJ, o juiz Márcio Alexandre Pacheco da Silva, da 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, aceitou o pedido do MP (Ministério Público). Os policiais estavam presos temporariamente desde o dia 21 de julho. O inquérito da Polícia Civil foi concluído na quarta-feira (14) quando o delegado Ricardo Barbosa, da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, pediu a prisão preventiva. O pedido, no entanto, foi encaminhado ao Ministério Público na última segunda-feira (12). O MP ofereceu denúncia aos PMs por dois homicídios duplamente qualificados e por duas tentativas de homicídio também duplamente qualificado. Na denúncia, o MP-RJ pediu, ainda, ...

Leia mais
sociologa vera malaguti

A polícia do Rio é a que mais mata no mundo

Vera Malaguti Batista é secretária geral do Instituto Carioca de Criminologia, embora esclareça que tem uma formação "mais social que judicial". Esteve na Argentina para encerrar a 9ª Conferência sobre Política de Drogas, organizada pela associação Intercambios en Congreso. Ali analisou os fenômenos midiáticos vinculados ao narcotráfico, à intromissão militar nas favelas cariocas e à situação carcerária. Este último tema a motivou, junto com Pedro Viera Abramovay, a editar um livro chamado Depois do grande encarceramento (Ed. Revan, 2010), baseado nas colocações de um seminário realizado em 2008 no Rio de Janeiro, quando de 110.000 presos no Brasil, em 1994, se passou para 500.000 14 anos depois. Além de socióloga, Vera Malaguti Batista fez seu mestrado em História Social na Universidade Federal Fluminense e é doutora em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tornou-se conhecida no ambiente acadêmico do Brasil depois da publicação de uma pesquisa intitulada ...

Leia mais
violencia policial contra adolescentes

Eles seguraram aqui ó (aponta pra garganta).Violência policial contra adolescentes

por Cecília Oliveira "Eles seguraram aqui ó (aponta pra garganta), apertando, e perguntando coisa pra mim, aí segurando aqui que não tinha nem como falar... fiquei com falta de ar, chega fiquei mole e caí no chão lá... E eu 'oxe' como é que eu vou falar? Sendo que não tem nem como. Nós ainda fomos tudo pro IML eu tava com umas marcas aqui assim, até na boca, que também tava machucada, só que não aconteceu nada, fizeram perícia e tudo, mas...". Este é o relato de um adolescente vítima de violência policial ouvido na pesquisa "A violência policial na voz dos adolescentes em conflito com a lei", desenvolvido pela Seção de Medidas Socioeducativas da 1ª Vara da Infância e da Juventude (SEMSE/1ª VIJ) de Brasília. Com o objetivo de contribuir para que o tema sobre a violência policial no segmento juvenil ocupe espaço de discussão crítica e constante ...

Leia mais
genocidio do jovem negro

Violência Racial e Genocídio do Negro ( Afrodescendente ) no Brasil

A cidade de São Paulo, tem ficado cada dia mais violenta e, esta violência incide em maior proporção sobre os negros, em conseqüência das raízes históricas deste país, que foi estruturado no trabalho escravo da época colonial e na exploração racial pós abolição da escravatura. O racismo que ganhou nova roupagem nos dias atuais é o principal fator pela condição de miséria do negro e da violência por ele sofrida, como demonstra os estudos realizados para verificar as condições de vida da população brasileira. Baseados no IDH ( Índice de Desenvolvimento Humano ) da ONU, Organização das Nações Unidas, onde o Brasil se encontra em 63º lugar, colocação de países de médio desenvolvimento humano. Os pesquisadores Wânia Sant'Ana e Marcelo Paixão fizeram o mesmo estudo para negros e seus descendentes isoladamente e a colocação é 120º, colocação que denota as péssimas condições de vida do negro brasileiro. Quanto à Educação, ...

Leia mais
menino negro bocaonews

Combate à violência contra a juventude negra e de redução da letalidade nas operações realizadas pelos profissionais de segurança pública e privada

- Dados extraídos do Mapa da Violência 2011, Os Jovens do Brasil (Julio Jacobo Waiselfisz, mapa da violência) revelam que, no total da população, o número de vítimas de homicídios de cor ou raça branca diminuiu em 22,3%, entre 2002 e 2008. Entre os negros (pretos e pardos), o percentual de vítimas de homicídio cresceu em 20,2%, no mesmo período. - Em 2002, foram vítimas de homicídios, proporcionalmente, 45,6% mais negros do que brancos. Em 2005, pelo mesmo motivo, morreram 80,7% mais negros que brancos e, em 2008, morreram 111,2% mais negros que brancos. O Estado do Paraná foi a única unidade da Federação em que houve mais homicídios contra brancos do que contra negros. - Entre os jovens (de 15 a 25 anos), os números revelam que a vitimização negra é ainda mais intensa do que no total da população. Entre 2002 e 2008, os homicídios contra os jovens ...

Leia mais
15-homicidios-marzo

Mapa da Violência 2011: Ministro da Justiça defende retomada da política de desarmamento

Para Cardozo, desarmamento ajuda a derrubar índice de homicídio   O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quarta-feira (24) que o governo federal irá retomar políticas de desarmamento da população. A declaração foi dada após divulgação dos números do Mapa da Violência 2011 - Os Jovens do Brasil, que reúne dados de 1998 a 2008. Em 2003 foi instituído o Estatuto do Desarmamento e a campanha para a entrega voluntária de armas. A taxa de homicídios nacional, medida em mortes a cada 100 mil habitantes, caiu de 28,9 para 25,8 entre 2003 e 2005. Já Entre 2007 e 2008 voltou a subir, passando de 25,2 para 26,4 homicídios a cada 100 mil pessoas. - Se alguém tinha alguma dúvida de que a política de desarmamento tinha resultados, os números mostram isso de forma clara. Isso quebra os argumentos daqueles que acham que o armamento da população é uma ...

Leia mais
Detalhamento dos óbitos

Detalhamento dos óbitos

Por: Edson Lopes Cardoso O que fizeram os jovens negros para merecerem um castigo tão extremo - a pena de morte? A pergunta tem que ser formulada desta maneira, porque numa sociedade sem racismo os culpados são os assassinados e sua conduta delituosa.   Por que temos tanta dificuldade para reagir diante dessa desumanidade? Séries estatísticas divulgadas com regularidade impressionante pela mídia, com base em fontes as mais diversas, são a expressão de uma tendência social que não deixa margem a dúvidas. Como disse Nélson Rodrigues numa crônica famosa: "nós não gostamos de negros". Demonstramos nossa verdade existencial mais profunda quando torturamos e matamos adolescentes criminalizados.   De outra forma, morre-se também nos baixos desvãos do poder. Após quase vinte anos de diálogo institucional, preferimos a adulação, a anulação do caráter, o oportunismo individualista. Preferimos o auto-elogio, as referências hipócritas ao "massacre de Sharpeville" em ritos e cerimônias cujo caráter ...

Leia mais
mapaviolencia

O mapa da violência racial

Por Luciano Martins Costa, do Observatório da Imprensa O Estado de S.Paulo é o único dos grandes jornais brasileiros a dar atenção ao Mapa da Violência 2010 em sua edição de papel, na quarta-feira (31/3), embora outros órgãos da imprensa tenham publicado reportagens sobre o assunto em suas edições online de terça (30). O estudo, elaborado pelo sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, informa que o Brasil teve, em dez anos, mais de 512 mil assassinatos. A situação melhorou nas grandes cidades nos últimos anos, mas vem piorando no interior do país. Os últimos dados compilados, referentes ao ano de 2007, dizem que 117 brasileiros são assassinados todos os dias. O trabalho realizado pelo Estadão em cima das estatísticas tem maior importância do que as reportagens mais ou menos apressadas publicadas na internet pelos concorrentes porque trata de esquadrinhar os números para mostrar certas características perversas da distribuição da violência na sociedade ...

Leia mais
mapaviolencia

Mapa da violência 2010 – Anatomia de Homicídios no Brasil

Criada no início do processo preparatório da III Conferência Mundial contra o Racismo, essa lista tem como objetivo estabelecer um canal de informação entre as mulheres negras organizadas e a comunidade negra em geral. Serão discutidas questões relacionadas às discriminações de gênero, raça e classe, bem como outros temas de interesse desse comunidade. Utilizando recursos disponíveis na internet, esperamos propiciar um ambiente de trocas de opiniões, planejamento de ações e discussão de políticas públicas para a população negra. Fazem parte dessa lista as organizações de mulheres negras e pessoas interessadas na discussão dos temas dentro de perspectiva feminista negra. Pedimos a compreensão de [email protected] no sentido de nos ajudar a manter essa importante ferramenta de comunicação dentro de seus propósitos originais {rsfiles path="Mapa-da-Violencia2010.pdf" template="default"}

Leia mais
genocidio da juventude negra

Ata da primeira reunião ordinária da comissão de direitos humanos da segunda sessão legislativa da décima quinta legislatura

Aos doze dias do mês de fevereiro do ano de dois mil e quatro, às quatorze horas e trinta minutos, no Plenário José Bonifácio da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, realizou-se a Primeira Reunião Ordinária da Comissão de Direitos Humanos, da Segunda Sessão Legislativa da Décima Quinta Legislatura, presidida pelo senhor deputado Renato Simões. Presentes os senhores deputados Maria Lúcia Prandi, Rosmary Corrêa, Edson Aparecido (efetivos), Ana do Carmo e Marcelo Cândido (substitutos). Presentes ainda os senhores deputados Conte Lopes, Edson Ferrarini, Nivaldo Santana, Ubiratan Guimarães e Vaz de Lima, acompanhando os trabalhos da Comissão. Ausentes os senhores deputados Ítalo Cardoso, Roberto Alves, Havanir Nimtz, Giba Marson e Jorge Caruso. Os deputados Roberto Alves e Havanir Nimtz enviaram ofícios justificando as suas ausências. Havendo número regimental, o senhor presidente declarou aberta a reunião. Após, comunicou o objetivo da reunião: ouvir o depoimento de familiares e discutir os fatos que ...

Leia mais
latin-american

Racial Violence: A reading on homicide data in Brazil

In Observance of Human Rights Day 2009 "Embrace diversity end discrimination" Global Rights and the Institute of Black Woman - Geledes, from Brazil,  invite you  to share the findings of a two year project on racial profiling and police brutality against Afro Brazilian Youth. Racial Violence: A reading on homicide data in Brazil With Rodnei Jerico Da Silva, Director of the S.O.S project of Geledes and Suelaine Carneiro, Coordinator of the Research Department We hope that you will join us! This presentation will be in Portuguese, with simultaneous interpretation into English A light lunch will be provided Rodnei Jerico Da Silva is a lawyer,  He is the current coordinator of the S.O.S. racism project, a program that offers legal assistance to victims of racial discrimination. He has a graduate degree on human rights  from the University of Sao Paulo and he has a specialization of International Law from Columbia University. Suelaine ...

Leia mais
genocidio da juventude negra

A violência racial no Brasil – Todo camburão tem um pouco de navio negreiro

Marcelo Yuka "Todo camburão tem um pouco de navio negreiro" O que há de comum entre um guerrilheiro vietcong em combate contra o exército norte-americano - o mais poderoso da Terra - na guerra do Vietnã, na década de 1960, e um jovem negro do Capão Redondo, periferia de São Paulo, hoje? Ambos morrem cedo, muito cedo, com vantagem para o guerrilheiro vietcong. Enquanto um combatente no Vietnã, enfrentando a maior potência militar do planeta, tinha uma expectativa média de vida de oito anos, o jovem negro do Capão Redondo não deve esperar viver mais do que cinco, a partir do momento em que passa a pertencer aos quadros dos soldados do tráfico. Os dados do antropólogo Luiz Eduardo Soares, ex-secretário Nacional de Segurança Pública, podem assustar ou soar alarmistas, mas o que fazem mesmo é dar uma idéia mais aproximada da realidade de que, apesar das aparências de paz, ...

Leia mais
Ministro_e_Suelaine1

Relatório Violência Racial é entregue ao ministro da Justiça Tarso Genro

  Suelaine Carneiro co-autora do Relatório Violência Racial - Uma leitura dos dados de Homicídio no Brasil, produzido pelo Programa de Direitos Humanos/SOS Racismo do Geledés entregou a publicação ao ministro na abertura da Etapa Estadual - São Paulo da 1ª. Conferência Nacional de Segurança Pública (Conseg) realizada em 17 de julho último. Clique para saber mais sobre esse Relatório.    

Leia mais
Página 76 de 77 1 75 76 77

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist