terça-feira, setembro 27, 2022
InícioQuestão RacialViolência Racial e PolicialAlguém acredita que o sistema penitenciário brasileiro funciona?

Alguém acredita que o sistema penitenciário brasileiro funciona?

“Lá é o espaço da miséria humana, da moenda de espíritos e corpos. É o espaço onde floresce o ressentimento”

por  no Ponte

O antropólogo Luiz Eduardo Soares abre a série “Sobre Crimes e Castigos”, 10 vídeos sobre a redução da maioridade penal, que a Ponte Jornalismo apresenta de hoje até sexta-feira, com a pergunta: Alguém acredita que o sistema penitenciário brasileiro funciona?

Para Soares, o sistema prisional do País é o espaço da miséria humana, da moenda de espíritos e corpos. É o espaço onde floresce o ressentimento e questiona:

Se todo mundo concorda que esse é um sistema falido, quem em sã consciência poderia propor que esse sistema falido ampliasse a esfera da sua responsabilidade?

O projeto é de autoria de Marina Lima, roteirista, e de Vini Andrade, filósofo e cineasta.

Serão publicados dois vídeos por dia, um pela manhã e um à noite a partir desta segunda-feira, 22/06, até a próxima sexta-feira, 26/06.

Além deste que você assiste agora, no final tarde publicaremos um depoimento do deputado federal Chico Alencar, do PSOL. Leia um trecho do ele dirá:

A violência entre os menores é residual, é evidente que são destacados numa perspectiva de classe…A trágica morte, o absurdo assassinato a facadas de um médico, na Lagoa, cartão postal do Rio de Janeiro , aconteceu no mesmo dia em que duas pessoas, um menino de 14 anos e um jovem de 23 anos foram mortos pela polícia numa ação desastrada e criminosa, só que numa comunidade pobre na Ilha do Governador. Isso mereceu uma tripinha no jornal.


Quem faz:

MARINA LIMA (roteiro e direção) é roteirista graduada em direito e comunicação social. Há anos, sonha com o dia em que as leis do Brasil democrático sairão do papel.

VINI ANDRADE (roteiro e direção), filósofo de formação, investiga os motivos e os efeitos do ‘castigo’ no espectro do convívio em sociedade desde a graduação.

CAIO PALAZZO (fotografia e som) é fotógrafo e comunicador na ponte.org, onde investiga temas relativos à segurança pública.

FERNANDA LIGABUE (fotografia e som) é fotógrafa, videomaker e midiativista.

FELIPE CARRELLI (edição) é editor e cineasta. Dirigiu o documentário “Ano Luz” (2015).

LUÍZA FAGÁ (edição) é escritora, jornalista e cineasta. Dirigiu o documentário “Engarrrafados” (2009).

AMANDA JUSTINIANO (design gráfico) é artista gráfica, designer e idealizadora do Movimento Não Mate.

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench