terça-feira, maio 11, 2021

Tag: Discriminação

Discriminação: como ensinar as crianças a não ter preconceitos?

Vale a pena ver o vídeo e pensar como se dá a construção da identidade social e como estamos tratando isso com nossas crianças. As crianças assimilam preconceitos presenciados no dia a dia. Mesmo quando pequenas, possuem ideias preconcebidas sobre o outro, construídas de acordo com o que ouvem, veem na TV ou vivem em seu entorno. Esses pequenos preconceitos vão lentamente excluindo indivíduos e determinando grupos segregados daqueles que não se encaixam propriamente no padrão estabelecido. @NICHOLASGITHIRI no F5News Partindo de uma experiência realizada pelo psicólogo social Henri Tajfel há mais de 50 anos para estudar a origem do preconceito e da discriminação, uma professora do ensino fundamental, na cidade de Quebec, Canadá, fez um pequena experiência com os seus alunos de terceiro ano para tratar a discriminação e os seus efeitos. A proposta foi dividir a sala em dois grupos: altos e baixos. Para fazer essa separação, argumentou que ...

Leia mais

Mulher que queria “cobrar entrada” em praia nos anos 1990 revela arrependimento: “Mesmo culta era alienada”

Depois que reportagem exibida pela extinta TV Manchete viralizou nas redes, a protagonista do vídeo, à época com 18 anos e hoje com 47, se pronunciou e disse ter mudado de opinião: “Tenho orgulho de ter podido evoluir” Do Portal Fórum Nos últimos dias, viralizou na internet uma reportagem, exibida nos anos 1990 pela TV Manchete, na qual uma jovem defende a “cobrança de entrada” nas praias de áreas nobres do Rio de Janeiro para impedir que pessoas pobres acessem os locais. Cerca de vinte anos se passaram e a discussão permanece a mesma: após onda de arrastões no último final de semana, moradores da zona sul cercaram um ônibus circular e pediram para que os passageiros descessem; nas redes, eles vêm se organizando para “fazer justiça com as próprias mãos” caso mais roubos e furtos aconteçam. Assim que foi publicado no Facebook, o vídeo atingiu enorme repercussão e gerou ...

Leia mais

Ferguson faz silêncio no aniversário da morte de jovem negro

Centenas de pessoas fizeram um momento de silêncio em Ferguson, subúrbio de St. Louis, no Missouri, em memória do jovem Michael Brown, cuja morte completa um ano. Da Folha de S.Paulo Desarmado, Brown foi morto a tiros, aos 18 anos, pelo policial branco Darren Wilson, dando início a uma série de manifestações em todo o país e combustível para um movimento nacional contra a discriminação racial por parte da polícia. O silêncio durou quatro minutos e meio, em referência ao número de horas em que o corpo do jovem ficou estirado na rua. Ativistas e religiosos de todo o país desembarcaram em Ferguson no fim de semana. Osagyefo Sekou, reverendo da cidade, afirmou à BBC que os eventos ocorridos no ano passado resultaram em algumas mudanças positivas na comunidade negra, mas não na sociedade como um todo. "Nós não temos visto a mudança no sistema que é necessária, com a ...

Leia mais

Casa noturna Villa Mix é investigada pelo MP por discriminação

O Ministério Público (MP) de São Paulo investiga denúncias de discriminação de funcionários da Villa Mix, famosa casa noturna na Vila Olímpia, Zona Sul de São Paulo. Segundo frequentadores, negros, obesos, pessoas humildes e consideradas feias são constantemente barrados na porta. Do Correio Nagô Procurada pelo G1, a assessoria da Villa Mix nega as acusações e afirma que, “pelo alto padrão de qualidade oferecido, nos dias que o estabelecimento está em funcionamento, sua lotação é muito rápida e assim não há como atender a todos os que procuram a sua prestação de serviços”. No começo do mês, uma comunidade no Facebook foi criada para receber e reunir relatos de discriminação na casa noturna: o “Boicote ao Villa Mix”. Supostos ex-funcionários relatam na página que eram orientados a selecionar os clientes por critérios de raça, posição social e beleza. [a página já recebeu cerca de 15 mil curtidas. Confira: https://www.facebook.com/boicotevillamix?fref=ts Segundo a ...

Leia mais
Foto: Marta Azevedo

Todo dia é dia

ONU escolheu o 20 de março como a data internacional da felicidade. Ideia é lembrar que bem-estar não é só dinheiro Por Flávia Oliveira, do O Globo Foto: Marta Azevedo A sexta-feira já ia longe quando a ficha caiu. Era Dia Internacional da Felicidade. Se não fui feliz, será que dá tempo? E o pensamento voou. Tudo culpa da ONU. Foi a Organização das Nações Unidas que, três anos atrás, plantou a caraminhola mundo afora. Em 2012, numa reunião com os 193 países-membros, o Butão sugeriu e a data vingou. O pequeno país asiático localizado entre a China e a Índia já se ocupava do tema havia quatro décadas. Foi pioneiro em sobrepor o bem-estar à riqueza financeira. O rei Jigme Singya Wangchuck decidiu, em 1972, que crescimento econômico não deveria ser o único objetivo de uma sociedade. Faltavam à equação variáveis psicológicas, sociais, culturais, ambientais e ...

Leia mais

Desigualdade de gênero no trabalho custa US$ 9 trilhões por ano aos países em desenvolvimento

A desigualdade de gênero no mercado de trabalho custa US$ 9 trilhões a cada ano aos países emergentes, de acordo com um estudo divulgado pela organização internacional ActionAid. O custo é maior que os PIBs do Reino Unido, França e Alemanha juntos. Por Luiza Belloni no Brasil Post  O valor foi calculado de acordo com o "abismo salarial" entre homens e mulheres, uma vez que elas têm menos oportunidades no mercado de trabalho e estão longe de receberem um salário igual ao deles. Segundo a organização, existem duas principais causas para a desigualdade salarial em países em desenvolvimento. A primeira é que as mulheres costumam realizar trabalhos com menores salários e com mais formas exploratórias, como vendedoras ambulantes em beira de estradas, empregadas domésticas ou trabalhando em fábricas. Também, as mulheres gastam grande parte do seu tempo cuidando dos filhos e do lar, trabalho que é invisível e totalmente gratuito. De acordo ...

Leia mais

Discurso de ódio

Tal discurso mira o fomento do ódio e ao estímulo a hostilidade, discriminação, e agressão contra um indivíduo ou grupo em atributo a sua nacionalidade, gênero, raça, condição física, religião, orientação sexual, ou outra particularidade. por Sergio Leandro Carmo Dobarro Especial para o CenárioMT O citado discurso tem sido usado para ultrajar, perseguir e fundamentar a privação dos direitos humanos e, em episódios derradeiros, para dar ensejo a agressões graves, e homicídios. Variados fatos mundiais ocorridos por conta do discurso de ódio, em especial o Holocausto na Alemanha Nazista durante a Segunda Guerra Mundial, acenderam a apreensão com as implicações nocivas de tais discursos e a precisão de se instituírem legislações que coibissem sua difusão. Não obstante, o bloqueio do discurso do ódio entra em conflito com o direito à liberdade de expressão, garantido por diversos documentos e legislações internacionais, de suma importância para a democracia de nosso país. Neste diapasão, ...

Leia mais
oab

OAB: ofendido por discriminação e xenofobia na internet pode entrar com uma representação no Ministério Público Federal

Discriminação e xenofobia A OAB repudiou nesta segunda-feira (27) as manifestações de discriminação contra nordestinos e nortistas após a eleição presidencial ocorrida no domingo (26). “O Brasil é uma nação plural, tolerante e respeitosa. Essas manifestações preconceituosas contra nordestinos e nortistas advêm de uma minoria e merecem ser repudiadas pela sociedade brasileira”, afirmou o presidente nacional da Ordem, Marcus Vinicius Furtado Coêlho. As redes sociais foram invadidas por comentários preconceituosos e racistas após a reeleição da presidente Dilma Rousseff. A OAB, como voz constitucional do cidadão, repudia de forma veemente essas manifestações, contrárias ao conceito exposto na Carta Maior da construção de uma sociedade justa, solidária e fraterna. O cidadão que se sentir ofendido ou que testemunhe atos de preconceito pode entrar com uma representação no Ministério Público Federal. O procedimento pode ser feito pela internet, neste link.  http://cidadao.mpf.mp.br/…/formularios/formulario-eletronico Esses tipos de comentários preconceituosos se enquadram na lei lei 7.716/1989 ...

Leia mais
iStockphoto.com

Alunos do 6º ao 9º vão simular tribunal do júri em casos de preconceito

Alunos da escola Coopec vão simular um tribunal do júri hoje e amanhã. Acompanhados pelo advogado convidado Antônio Alberto Cristofalo e o juiz Antônio Cristofalo. vão criar situações cotidianas de preconceito e realizar a simulação do julgamento. O "Júri Simulado: Questões sobre Preconceito" demonstrar as consequências de cada ato e ao mesmo tempo conscientizar os estudantes. Do Diário Web iStockphoto.com Casos de preconceito "O Júri Simulado é uma boa oportunidade de fazer com que os alunos reflitam sobre as questões do preconceito e entendam melhor as leis que envolvem o assunto", afirma Marinês Saraiva, psicopedagoga da Coopec e organizadora do evento. Os alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental 2 e da 1ª a 3ª série do ensino médio vão participar. Ações preconceituosas serão encenadas e julgadas em um tribunal fictício, no qual réu e advogados de defesa e de acusação serão interpretados pelas próprias ...

Leia mais

Quem promove preconceito não merece o meu voto

Não podemos mais eleger pessoas preconceituosas para representar os interesses da sociedade brasileira. Conscientize, Denuncie e mobilize sua rede. #PreconceitoNaoMereceMeuVoto Denuncie candidatos e partidos que promovem o preconceito, para que a sociedade se mobilize e responda no voto do dia 05 de outubro. Participe: https://www.facebook.com/NaoMereceMeu... Evento - 05 de Outubro: Dia de Não Votar em Partido ou Candidato Preconceituoso https://www.facebook.com/events/80463... participe: [email protected] Leia também: Pastor Marco Feliciano: “Os africanos descendem de um ancestral amaldiçoado por Noé”  novo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados Demóstenes Torres do DEM responsabiliza negros pela escravidão Fala de deputado Bolsonaro na TV sobre namoro com negras para Preta Gil será alvo do inquérito 'Baixar o porrete': Pastor pode virar réu por incitar ódio aos gays

Leia mais

Mãe e filha acusam loja de racismo após suspeita de roubo em Bangu

Vídeo mostra indignação de mulher ao ter bolsa revistada: 'Discriminação'. Em nota, Aquamar pediu 'desculpas'; caso foi registrado como 'injúria'. Duas mulheres dizem que foram acusadas injustamente de roubo nesta segunda-feira (11), por uma funcionária da loja Aquamar, no Bangu Shopping, na Zona Oeste do Rio. Em um vídeo postado na internet, que teve mais 16 mil compartilhamentos no Facebook até a manhã dsta quarta (13), Thaina Cristina da Rocha e sua mãe Leila Cristina da Rocha aparecem muito abaladas. Nas imagens, publicadas por uma amiga da família, Leila acusa a loja de "discriminação". "É porque minha minha filha é preta (...) Isso não existe", grita, muito nervosa e contida por frequentadores do shopping, que a orientam a chamar a polícia. "É discriminação. Eu nunca roubei. É uma vergonha isso", diz. Thaina afirmou ao G1 que ao sair da loja foi abordada pela subgerente do estabelecimento que pediu para que ...

Leia mais

Alice no País dos Não-Racistas

Por: Leopoldo Duarte Alice é menina e não cortou com Tramontina. De pele escurinha, acha graça quando a chamam de moreninha. Considera raça uma coisa daninha, e racismo atitude de gente estranha e mesquinha. Uma garota afortunada, que nunca sofreu preconceito por nada. Em quase 30 anos de vida, nunca se sentiu discriminada ou preterida. Filha de bem sucedidos profissionais, aprendeu desde pequena que todos somos iguais, sem necessidade de tratamento ou direitos especiais. Em outras palavras, cotas e vitimização… jamais! Semana passada publicamos um texto onde o autor (e meu amigo) narrou um episódio que o fez se dar conta de como o racismo tem sido velado em sua vida – de classe média numa metrópole como o Rio. A intenção era convidar os leitores a refletirem sobre como o preconceito se faz presente em suas vidas. Afinal, se o mundo é racista não ser alvo de racismo já é um modo de gozar de privilégios. Como ...

Leia mais

Morto na porta de hospital sofreu discriminação, diz família

Familiares do vigilante que morreu após ser vítima de suposta omissão de socorro em um hospital privado da zona leste de SP vão acionar CRM e Justiça para punir eventuais responsáveis Janaina Garcia - Foto: Alan Morici / Terra A família do vigilante Nelson Santos, 48 anos, disse nesta segunda-feira que ele foi vítima de discriminação social e racial ao ter o atendimento negado em um hospital particular de Itaquera, zona leste de São Paulo, na noite da última quarta-feira. Santos morreu depois de passar mal e ser levado ao hospital pelo motorista e o cobrador de uma lotação na qual seguia para o trabalho. Em entrevista coletiva, familiares classificaram o caso como “uma sentença de morte”. As imagens do vigilante, negro, agonizando e se contorcendo de dor em frente ao hospital Santo Expedito, em Itaquera, foram parar na internet, onde repercutiram porque denotaram suposta omissão de socorro por parte de médicos e ...

Leia mais
Capixabas apoiam jogador Daniel Alves contra racismo Família acusa professora de racismo em escola de Cariacica

Família acusa professora de racismo em escola de Cariacica

A família de um adolescente de 13 anos acusa a professora de uma escola municipal do bairro Vila Rica, em Cariacica, de humilhar o jovem. O caso aconteceu na última quarta-feira (28), e por causa do trauma, tanto ele quanto o irmão não voltaram mais ao local. De acordo com a vítima, a educadora o chamou de “preto feio”. O adolescente afirma que passou pelo maior constrangimento da vida dele depois que foi tirado da sala com o irmão, por conversar durante a aula. “Eu fiquei no corredor e meu amigo foi beber água. Quando ele voltou, eu fui brincar com ele segurando a camisa. Quando ele pediu para eu o deixar passar a professora me mandou sentar e disse: ‘seu preto feio. Você pensa que é bonito? Nunca se olhou no espelho’”, conta o menino. Momentos antes de ir embora, afirma o estudante, a professora ainda tentou consertar o ...

Leia mais

Uma cidade dos EUA processa o Santander por discriminação

O município de Providence acusa a entidade de dar poucos empréstimos às minorias O grupo Santander enfrenta um processo nos Estados Unidos, acusado de ter discriminado durante os últimos anos as minorias na concessão de créditos hipotecários. A cidade de Providence (Rhode Island), que acaba de iniciar o litígio, acha que a entidade está excluindo agora as mesmas comunidades que foram vítimas das práticas abusivas dos bancos durante a bolha imobiliária. O Santander nega as acusações. O prefeito de Providence, Ángel Taveras, que é de origem dominicana e está na disputa para ser eleito governador do Estado, considera que o Santander “violou” os termos da legislação federal que garante às minorias o acesso a uma casa, em concreto a conhecida como Fair Housing Act. No processo, afirma que o Santander reduziu de forma “deliberada” entre 2009 e 2012 os empréstimos em comunidades hispânica, enquanto “expandiu de forma ativa seu negócio” ...

Leia mais
Transexuais contam histórias de vida: "nunca quis ser p..."

Transexuais contam histórias de vida: “nunca quis ser p…”

Reconhecido pela Índia, um gênero além do feminino e masculino não atende os desejos de transexuais brasileiros. Segundo entrevistados pelo Terra, determinação só excluiria a existência das pessoas 'trans' como homem ou mulher Thais Sabino  É um menino”, diz o obstetra ao constatar o sexo do bebê. A conclusão médica define um dos dados mais importantes na certidão de nascimento, informação que o indíviduo levará por toda a vida, querendo ou não. É também motivo de constrangimento diário para quem não reconhece o que está no papel e luta, contra todos os estabelecimentos legais e sociais, para mudar algo a que não teve direito de escolha. No último mês, a Índia tornou legal a existência de um terceiro gênero, com o objetivo de incluir transexuais e eunucos na definição. O Terra entrevistou ativistas no assunto e, para eles, a determinação é só mais um “estigma” que segrega e incentiva o preconceito. “O terceiro sexo ...

Leia mais

PM invade apartamento de madrugada para deter inocente em São Paulo

PMs de São Paulo apreendem jovem inocente em apartamento André Caramante e Bruno Paes Manso - Agência Pública Edição do vídeo: Gabriel Uchida José* tem 17 anos, estuda no 1º colegial no Caetano de Campos, usa alargador na orelha, trabalha como garçom para ajudar a mãe e anda sempre de skate na Praça Roosevelt. Ou melhor: andava. No dia 29 de abril, ele foi internado na Fundação Casa, acusado por um assalto a mão armada em que há provas de sua inocência. Apesar de não ter cometido o ato infracional, José segue internado até hoje: ele é culpado por ser jovem, negro e subcidadão em uma democracia injusta e sem controles. Para que José fosse detido injustamente, uma série de arbitrariedades e erros foi cometida por representantes de diferentes instituições. Primeiro, na madrugada de 17 de março, policiais militares invadiram o apartamento da família de José com base em rumores imprecisos ...

Leia mais

Pará: Mulheres marcham contra discriminação

Mulheres negras fizeram uma marcha nos arredores da Praça da República, localizada na avenida Presidente Vargas, no centro de Belém. Diversas entidades de temática afro participaram da mobilização com o propósito de lançar simbolicamente uma manifestação batizada de “À Brasília”, que ocorrerá em setembro de 2015.  A ideia dos movimentos atuantes é mobilizar o máximo de pessoas e construir um processo de visibilidade. “É um absurdo que em pleno século 21 as pessoas negras, sobretudo mulheres, tenham que se submeter a um certo determinismo social, no qual as mulheres negras não têm acesso a bons trabalhos por causa da cor da pele. A desigualdade ainda é muito grande. Se as mulheres no geral são discriminadas e recebem salários ainda mais baixos do que seus parceiros, as negras estão obrigadas a situações bem mais preocupantes”, afirmou uma das fundadoras do Centro de Estudos e Defesa do Negro no Pará (Cedenpa), Nilma ...

Leia mais

Discriminação e nojo: até quando vamos ignorar o que vemos e vivemos?

Por: JACY AFONSO As discriminações e as dificuldades estão às claras. Não se pode mais tentar tapar o sol com a peneira. É preciso ter olhos de ver e ouvidos de ouvir para que a história seja, finalmente, outra O sociólogo alemão Norbert Elias (1897-1990) desenvolveu uma teoria social que serviu para alargar o campo dos estudos sociológicos voltados à elucidação dos processos de interação humana no âmbito da sociedade. Segundo ele, nos séculos XVII e XVIII, na maioria dos países da Europa ocidental havia o que chamou de sociedade de corte, destacando especificamente a francesa. Nesse período não eram as cidades, e sim a corte que constituía o centro representativo, o local de origem de toda a experiência e toda a compreensão do homem e do mundo. O sociólogo afirma que as cortes foram se transformando em modelos concretos e centros formadores de disseminadores do estilo. Mais além, significaram fonte ...

Leia mais
african-american-female-student

DOSSIÊ “Violências na Universidade: discriminações e suas manifestações”

CHAMADA PARA ARTIGOS - EDIÇÃO ESPECIAL PRAZO PRORROGADO.   Por palavras ou ações físicas, a violência tem se alastrado e proliferado no campo acadêmico brasileiro. Humilhações, discriminações e agressões estão fazendo parte do cotidiano de milhares de alunos e profissionais em universidades brasileiras, quer seja por classe social, cor ou etnia, sexo, gênero ou sexualidade. Até que ponto o preconceito tem afetado direta e indiretamente aqueles que permeiam pelas universidades brasileiras? Até onde a intolerância tem sido à força de ataques covardes e cruéis? Como a universidade brasileira vem se transformando em um público apático perante demonstrações de preconceito social, machismo, racismo e homofobia em pleno século XXI? A Revista Três Pontos faz saber que está aberta ao recebimento de artigos para avaliação e publicação em sua edição especial, que teóricos e/ou empíricos reflitam sobre as expressões de machismo, racismo, homofobia e outras formas de preconceito enfrentadas em universidades brasileiras. Esse ...

Leia mais
Página 2 de 3 1 2 3

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist