Tag: Homem Negro

 A24 Studios/Reprodução

O Homem Negro Vida

Quando resolvi organizar o livro Diálogos Contemporâneos sobre Homens Negros e masculinidades, junto com o professor Rolf de Souza, um projeto pensado, e escrito exclusivamente por homens negros (das mais diferentes matizes fenotípicas, ideológicas, sexuais, etc.), um dos motivos, era que nos últimos anos vinha sentindo uma “atmosfera” de desqualificação sistemática e generalizada sobre nós. Havia uma retórica inflamada por parte de um segmento do movimento das mulheres negras que identificavam os homens negros como a síntese de todos os males da população negra: violência, preterimento, violação, alienação, abandono, enfim o degenerado perfeito. O livro veio justamente no sentido de trazer as contribuições teóricas e experiências práticas dos homens negros fazendo um contraponto à essa narrativa depreciativa, não no sentido de idealizá-lo, mas sim complexificá-lo. Os últimos acontecimentos têm mostrado que esse discurso de demonização dos homens negros é nocivo para todas as pessoas negras, pois se por um lado degrada ...

Leia mais
(Foto: @VICTOR/ nappy)

Sobre corpos que não se encaixam: as peças sobrantes de um quebra-cabeça exposto em rede nacional

Talvez, no fim, seja só sobre isso, sobre espaços que não nos cabem, onde nunca fomos aceitos. Não fomos aceitos na casa grande, e nem conseguimos sobreviver a ela, muito menos aos senhores, as sinhazinhas e aos capitães do mato. Muitos de nós tentaram, iludidos pelo brilho nos olhos de se alimentar com os restos de banquetes, ou de dormir nos pequenos cômodos dentro da casa grande. Corpos que invariavelmente foram vilipendiados, usados, expostos e também marcados pelo açoite e pelo extermínio, mesmo que tardio, se comparado aos corpos habitantes das senzalas. 133 anos depois da falsa libertação dos escravos, nossa existência é ainda deslegitimada e somos mortos objetiva e subjetivamente todos os dias, em todos os confinamentos…eu disse todos os confinamentos!! Prisões, hospitais psiquiátricos, clínicas ditas de reabilitação para usuários de substâncias psicoativas, reality shows. Ao vivo e em cores, para que todos possam ver e tomar como exemplo ...

Leia mais
Lucas Penteado (Foto: Reprodução/ TV Globo)

Homens Negros e suas sexualidades: A saída de Lucas Penteado do BBB

Hoje eu vim falar sobre BBB. E eu sei que muitos de vocês já devem estar querendo fechar a página aqui mesmo. Seja por acharem o programa, e as pessoas que o assistem, fúteis — Enxergando qualquer tentativa de estabelecer debates mais sérios sobre o que acontece na casa como um exagero — seja porque você está assistindo o programa e ficando mal com os horrores que estão sendo feitos e ditos lá dentro. Eu te entendo. Independentemente de qual dos dois grupos você esteja, eu te convido a ficar até o final do texto. Vou me esforçar para que valha seu tempo. Para quem não tem acompanhado a televisão e a internet nos últimos dias (e por isso, imagino, tenha conseguido manter pelo menos parte da sua sanidade), a vigésima primeira edição do Big Brother Brasil vem dando o que falar. Primeiro por ser a edição com maior participação ...

Leia mais
Pedro Lima (arquivo pessoal)

Se é negro, é negão, mas se é branco é brancão? Sobre a brutalização do homem negro

Este aumentativo para se referir aos homens negros sempre me incomodou muito, sobretudo, quanto passei a estar atenta ao racismo e às suas sutis formas de manifestação. Mas tudo começou a fazer mais sentido após os meus estudos de doutorado sobre a construção dos corpos pela ideologia racista. Eu fui socializada com homens negros na minha família e na periferia de Belo Horizonte e inúmeros deles eram chamados de “Negão”, enquanto homens brancos, no máximo, de “Carlão”, “Betão” etc.. O corpo do homem negro foi construído pela ideologia racista como um corpo a ser temido, corpo onde habita a violência e a fúria. Tudo no homem negro foi aumentado e exagerado: sua força física, sua brutalidade, tamanho, bem como seu órgão genital. A construção da hipersexualidade dos homens negros foi um elemento inventado pela supremacia branca para justificar o controle sobre esses corpos, dando origem ao mito do “violador” por ...

Leia mais
Photo by Sharon McCutcheon from Pexels

Afetividades na margem e preterimento da bicha preta

A homossexualidade em sociedades conservadoras e violentas quanto a nossa, é definida e catalogada como algo que foge a normatividade e isto por si só implica numa série de barreiras aos indivíduos que não se submetem aos padrões sociais e vivem suas vidas em desacordo com o que nos é constantemente imposto. Estar a margem da sociedade é algo com que nos habituamos desde muito cedo, e entre nós a ideia de universalidade é também colocada à prova quando nos deparamos com diferentes atravessamentos que compõe a nossa totalidade. Pensemos o gay negro! Este por sua vez, tem suas experiências sobrecarregadas pelo fator racial. Sexualidade e raça se somam reconfigurando as formas com que iremos participar das dinâmicas sociais, aos sermos imediatamente (re)colocados em uma margem dentro da própria margem da qual já nos encontramos. Violência, rejeição, isolamento, etc., fazem parte dessa normalidade, somos dupla ou triplamente marginalizados, é como ...

Leia mais
Adobe

Sobre a falta de coroas: A dificuldade de se reconhecer homem negro tendo cabelo liso

Eu preciso confessar uma atitude que venho tendo, de maneira recorrente, já faz algum tempo: o ato de procurar por fotos de homens pretos de cabelo liso no Google. Desde criança qualquer pessoa de cor já passou pela experiência de não se encontrar em desenhos e seriados de TV. É quase um rito de passagem, notar que as percepções de beleza, o que deve ser visto, não repassa pela aparência de seus semelhantes. Eu passei por essa experiência e sem duvida alguma vibrei de alegria ao conhecer produções antigas e perceber novas criações que tensionavam os padrões estéticos ao que se estava acostumado. Mas de certa forma, para mim, ainda faltava algo. Vindo de avós e avôs tanto brancos quanto pretos retintos de cabelo 4b/4c, eu nasci sendo um preto de pele clara e de cabelo liso. Ao observar todos esses exemplos na TV, no cinema, na música, por mais ...

Leia mais
@DRE0316/Nappy

Masculinidade do Homem Negro

Sabemos que a masculinidade hegemônica é branca, e nossos homens negros tem que lidar a todo momento com o desafio da construção dessa masculinidade a ele imposta, e que esta não é a sua realidade, mas nossos homens negros são perseguidos de forma impositiva pela tal, por isso este não pode sentir emoções, afetos, servindo apenas para executar, e para além de tudo isso, essa masculinidade é marcada pelo racismo que se passa pela hiper sexualização, animalização, criminalização e desumanização entre diversas outra nuances extremamente destrutivas para o homem negro. Este homem negro por vezes sofre diversos traumas e violências em sua infância, e ainda passa por riscos de vida a todo momento, e se tiver a magnitude de chegar a uma vida adulta carregando todo esse peso de dores, medos e inseguranças conseguindo se tornar um homem negro graduado, ainda assim, será incompreendido e por sua vez chamado por ...

Leia mais
Babu Santana BBB20 (Reprodução/TVGlobo)

As convicções de Babu Santana

Não, esse não é um texto sobre a atual edição do Big Brother Brasil. Não iremos fazer uma análise moral sobre os participantes do programa ou suas torcidas. Aqui queremos tratar de um tema presente no programa a partir de apontamentos e fala de um dos jogadores. Alexandre da Silva Santana, ou somente Babu. De forma simples e direta, Babu, trouxe em diversos momentos o tema racial em seus diversos aspectos. Uma das principais convicções apresentadas por Babu é que o Brasil é um país racista, e que ele é um homem negro inserido nessa realidade. É sobre isto que este texto aborda: raça, racismo, negritude e branquitude no Brasil. A raça como processo histórico Devolver o orgulho pro gueto, e dar outro sentido pra frase “tinha q ser preto” Leandro Oliveira, ou Emicida A noção de raça, como forma de dividir e categorizar seres humanos, surgiu durante a expansão ...

Leia mais

Um debate sobre o Homem Negro Periférico

Essa reflexão é escrita para todos e ninguém. Ninguém por que partirei de reflexões introspectivas, e para todos por acreditar que muitos homens negros poderão identificar-se. A inquietação para escrita desse texto puramente reflexivo vem no sentido de contribuir para uma discussão pouco valorizada do ponto de vista político e acadêmico: O que constitui a subjetividade do homem negro e periférico? Por Fagner Sobral envido para o Portal Geledés  Imagem retirada da internet Poderíamos voltar e fazer um apanhado histórico do período escravocrata até os dias de hoje, seria valoroso e acrescentaria bastante, principalmente para pontuar a animalização do corpo negro e como isso ainda está enraizado na construção dos estereótipos negros, mas como pretendo descrever algumas breves inquietações de uma noite de insônia, buscarei aprofundar posteriormente de forma mais colaborativa. A questão que se coloca para nós, homens negros, e nossas dinâmicas cotidianas é constructo de uma sociedade racista. ...

Leia mais
Moonlight/Reprodução

Por que tenho orgulho de ser um homem negro?

Ainda que… Ainda que nos vejam através da lente do racismo, eu me orgulho de ser um homem negro; apesar dos insultos, repulsa e da hipocrisia, eu me orgulho de ser um homem negro; independente do medo, julgamentos morais e generalizações, eu me orgulho de ser um homem negro. Por Henrique Restier da Costa Souza, do Justificando  Mesmo que nossas experiências sejam desqualificadas em prol de slogans e palavras de ordem, eu me orgulho de ser um homem negro. Penso que ter esse orgulho seja um dos principais pré-requisitos para reivindicarmos formas de masculinidades negras que não estejam tuteladas pela masculinidade do homem branco, assim como, é também uma possível consequência das próprias modalidades de enfrentamento ao racismo e busca pelo autoconhecimento. Ademais, ter orgulho do que somos, é, na maioria das vezes, um caminho longo, árduo, porém libertador. Este texto é pra todos nós homens negros: para o religioso ou ...

Leia mais

Mestiçagem, harmonia e branqueamento: quem tem medo do homem negro?

Apesar das nuances e interconexões entre ambas, existem basicamente duas interpretações sobre o modelo de relações raciais no Brasil: a primeira está relacionada com a dimensão harmoniosa desse modelo, seus defensores alegam que apesar da escravidão negra no Brasil, de profundas desigualdades raciais fruto desse processo e das constantes práticas discriminatórias, o modelo brasileiro seria superior àqueles implantados em países como EUA e África do Sul, paradigmáticos para estas comparações. por Henrique Restier da Costa Souza, no Justificando Segundo essa interpretação os conflitos sociais na sociedade brasileira seriam diluídos pelo convívio, intimidade e afetividade nos contatos entre negros e brancos, desprovidos de ódios e conflitos raciais explícitos, gerando aquilo que chamamos nas palavras do etnólogo Carlos Moore “o mitoideologia da democracia racial” (2012). Já a outra perspectiva, (da qual este texto se vincula) postula que apesar da convivência amistosa em determinados contextos, geralmente “no território afetivo do negro” constrangimentos, humilhações e ...

Leia mais

Negro drama

Ser homem negro no Brasil é conviver com uma série de estereótipos, que envolvem gênero, raça e classe social. Discutir isso é reiterar a noção básica de que ninguém é uma coisa só Por Carolina Ito Do Revista Trip Colocar uma lupa sobre a maneira como homens negros experimentam sua masculinidade não é uma tarefa simples. O tema ainda é tabu. “É um debate que tem se encaminhado aos poucos, as mulheres estão anos-luz da gente”, diz Caio César, estudante de geografia. A hipersexualização do corpo negro, a idealização do “negão” bom de cama, selvagem e viril é um dos estereótipos que acompanham o ideal da masculinidade do homem negro. “Não somos o padrão de beleza, nem o padrão de racionalidade e muito menos o padrão de homem de família. Então, se enquadrar nesse estereótipo muitas vezes é o que nos resta”, conclui Caio, sobre como a idealização também age como ...

Leia mais

Homem negro sente dor? — Masculinidade negra, emoções e o cuidado de si.

Sim. Homem negro sente dor. Homem negro sente medo. Homem negro sente apreensão. Homem negro sente dúvida. Homem negro sente insegurança. Homem negro sente incerteza. Homem negro sente tristeza. Homem negro sente saudade. Homem negro sente desesperança. Homem negro sente falta de autoestima. Homem negro sente solidão. Homem negro sente vergonha. Homem negro sente dificuldade. Homem negro sente isso tudo porque homem negro é uma pessoa humana em primeiro lugar. Por João Víctor Martins Saraiva Enviado para o Portal Geledés  Só que o mundo quis que você esquecesse disso. O mundo quis que o próprio homem negro esquecesse disso. O mundo quis que não se refletisse sobre isso. O mundo quis que a própria militância negra por vezes se esquecesse: o homem negro sente dor. Esse texto tem a intenção de tencionar nossas pré-concepções para que a gente consiga repensar nosso cotidiano e, inclusive, nossa militância. Mas a intenção primeira é que essa discussão ...

Leia mais

Carta aberta aos homens negros

Alguns temas são espinhosos de abordar, sobretudo, em tempos de redes sociais utilizadas para dar vazão a sentimentos como frustração, descontentamento e até mesmo ódio, daqueles sentimentos que nem se sabe aonde nascem, mas é preciso botar pra fora porque não cabem dentro das pessoas. por Adélia Mathias no Casa da Mãe Joana Pessoas oprimidas são as mais silenciadas e por isso tiveram que engolir por décadas ou mesmo séculos todos seus sentimentos e guarda-los para si. Imagino o espaço de catarse que é finalmente você poder falar sobre todos os sentimentos sem precisar de filtro, sem precisar temer alguma censura, ainda que essa liberdade seja apenas uma ilusão. Com isso a internet se tornou um lugar muito importante, mas também muito hostil. Nesse texto, eu, mulher negra desejo dialogar diretamente com os homens negros, não só com eles, porque texto pronto não tem dono, acredito também que esse é um daqueles ...

Leia mais
Denzel Washington (Foto: Jason Merritt/Getty Images)

Os 10 melhores filmes de Denzel Washington, e seus 5 fracassos

"Quando era jovem, não planejava ser ator, porque não via pessoas como eu nos filmes". Denzel Washington (Nova York, 62 anos, cujos melhores foram vividos em torno de Hollywood) cresceu sem ídolos negros para se inspirar (com a exceção de Sidney Poitier), então, decidiu converter-se nesse líder. Está há 30 anos encabeçando o pelotão, abrindo caminho para os que vêm atrás. Derrubou barreiras raciais, preconceitos e clichês como mais gosta Hollywood: fazendo dinheiro. Sua trajetória equilibra como poucos o prestígio e o sucesso comercial. E nunca triunfou por ser negro ou apesar disso. Denzel Washington está no topo porque é um grande ator. Nada mais e nada menos. Nenhum escândalo, nenhuma saída de tom (seu viralizado apoio a Donald Trump acabou sendo outro exemplo da moda de notícias falsas), nenhum deslize. Está há 34 anos casado com sua mulher Pauletta, com quem tem quatro filhos. Sua impecável fé cristã deixa-o ...

Leia mais

Ser homem e negro é um rascunho inconcluso e constante

"I'm gonna be the best me..." (da música "I'm Beautiful" de Aloe Blacc) Dedico essa música e essas palavras aos homens. Homens negros. Um rascunho inconcluso e constante. Por Tulio Custódio, do HuffPost Brasil Há algum tempo tenho pensado sobre ser homem, minha masculinidade, minha relação de ser homem com todos em volta. Claro, muito instigado pelo o que ouço, vejo, leio e sinto sobre as mulheres. Mulheres. Feministas, negras, brancas, vivas, se colocando no mundo que estamos, tão machista, tão "apertando" elas por todos os lados. E o quanto aprendo ao ouvir sobre a percepção delas desse mundo, que não diz a mundo claramente o que é machismo. E escuto isso de quem é vítima direta na opressão dessa violência estrutural. Nisso de pensar sobre ser homem -- o que, além de infinitas conversas em bares, inboxs e pensamentos -, vieram coisas a mais. Sou negro. Ser homem negro não é só ...

Leia mais

Nota: Não é exposição de homens negros, é denuncia fiel de uma pagina racista!

Foto: Reprodução/Facebook Esta é a reprodução fiel de uma pagina racista,acreditamos ser importante a reprodução fiel que foi veiculada nas redes da  pagina Alerta Leblon pelos seguintes motivos: A exposição foi feita por portais que defendem o direito das pessoas negras de irem e virem e denuncia qualquer tipo de violação de direito dos negros. Reproduzir esta imagem garante que esses homens sejam reconhecidos e continuem vivos, pois qualquer coisa que aconteça a eles, a responsabilidade deve cair sobre a pagina que criou o post e não as paginas que denunciaram a violação de direito com a imagem. Visto que, se esta foto não foi tirada em um momento que os comprometa, uma propaganda deste tipo expõe o alto teor racista e coloca em risco vida de pessoas acusadas sem provas. Mesmo que está pagina tenha apagado seu post, está imagem, circula na internet, com dizeres altamente ...

Leia mais

Como o desafeto do homem negro afeta a mulher negra

Nos últimos anos dentro das discussões do movimento negro e dos grupos de militância tem se falado muito em relacionamentos afrocentrados. Um assunto perigoso por conta dos impactos que pode causar devido à falta de amadurecimento das discussões e de uma busca por representatividade de maneira superficial e deslocada de sua importância social e política. Buscar um relacionamento afrocentrado como forma de empoderamento faz com que, principalmente, muitas mulheres negras se decepcionem já que a maioria de nós, negros e negras, nem ao menos ainda construímos nossa própria identidade racial de forma consistente. Por  Anna Claudia Magalhães para o Portal Geledés  Foto: @_WILLPOWER_ Como sabemos, o racismo atua de formas variadas no Brasil, e dentro dessas vertentes está a dificuldade do próprio negro em reconhecer-se como negro e em construir a sua identidade racial. Diferente de outros países, a miscigenação contribui aqui para o sustento da ideia falaciosa de democracia ...

Leia mais

Hiperssexualização do corpo negro masculino

Enviado para o Portal Geledes por Caio Cesar dos Santos Minha irmã me questionou esses dias sobre o fato deu ter escrito sobre hiperssexualização do homem negro e dias depois postar uma foto de sunga nas redes sociais. Eu achei o questionamento interessante porque me parece uma confusão na cabeça das pessoas mesmo. Exercer a sexualidade é um direito de todos nós, seja qual for a sua cor, gênero ou orientação sexual. Quando falo sobre hiperssexualização de homens negros, não quero dizer que você está proibida (o) de achar o corpo daquele homem bonito, atraente etc., isso é normal e faz parte das relações humanas. O desejo, o interesse, tudo isso é realmente normal. Hiperssexualizar um homem negro é tirar dele a condição de homem. É vê-lo somente como um corpo, um fetiche, pronto para ser usado e abusado pelos seus desejos sexuais. É caracterizá-lo sexualmente como selvagem, viril e violento. ...

Leia mais

Negro, homossexual e ex-evangélico transforma discriminação em literatura

“Você não é homem não?! Aprende a se defender”. Por Rodrigo Casarin, do UOL Essa frase que tantos dizem para seus filhos que Samuel Gomes ouviu quando era uma criança. Recorrera ao pai porque seus primos estavam lhe chamando de Vera Verão, mas não encontrou o apoio ou acolhimento que esperava. Ficou devastado. “Muitas crianças não encontram dentro de casa segurança para falar sobre o que vivem. Muitas delas voltam pra casa depois de ter sofrido alguma agressão física ou verbal sem contar nada aos pais, pois sabem que se contarem terão reprovação. Eu sendo negro, consigo voltar pra casa e reclamar sobre um ato racista, mas antes de me assumir eu tinha os mesmos medos que muitos LGBTs ainda têm hoje em dia. Se eu sofresse algum tipo de humilhação e ou agressão por causa da homofobia, não tinha pra quem falar. Muitos LGBTs não têm pra quem contar dentro ...

Leia mais
Página 1 de 2 1 2

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist