Três enviados de Obama visitam o Brasil em menos de uma semana

Em menos de uma semana, três enviados do governo dos Estados Unidos terão passado pelo Brasil para mostrar que o país é um importante parceiro.

Na próxima semana, estarão em reuniões, com autoridades brasileiras, a subsecretária norte-americana interina de Estado para Controle de Armas e Segurança Internacional, Rose E. Gottemoeller, e o secretário assistente de Estado para o Escritório de Segurança Internacional e Não Proliferação, Thomas M. Countryman.

De acordo com a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, o governo brasileiro é um “importante parceiro global que compartilha metas comuns de controle e não proliferação” de armas com os norte-americanos.

Em comunicado, a representação diplomática diz que o governo americano aprecia “a liderança do Brasil tanto em escala regional quanto internacional e aguardamos para colaborar mais no endereçamento dos importantes desafios na área de não proliferação e desarmamento”.

As visitas de Rose Gottemoeller e Countryman ocorrem depois do subsecretário de Estado norte-americano, William Burns, ter vindo ao Brasil durante a semana e ter tido, como temas principais da sua viagem, o cancelamento do contrato para a venda de 20 aviões militares da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) para os Estados Unidos e a ida da presidenta Dilma Rousseff a Washington, no próximo mês.

Burns garantiu que o Brasil ainda pode participar da licitação para a venda de 20 aeronaves militares para os Estados Unidos, no valor de US$ 355 milhões.

O governo norte-americano cancelou o processo licitatório, no último dia 17, surpreendendo as autoridades brasileiras. Mas o Ministério das Relações Exteriores, o Itamaraty, negou desconforto entre os dois países.

Na pauta das reuniões de Rose Gottemoeller e Countryman com autoridades brasileiras, estará a Cúpula de Segurança Nuclear, que ocorre nos dias 26 e 27 de março, em Seul, na Coreia do Sul – evento do qual participam o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e vários chefes de Estado e de Governo.

Os representantes americanos que estarão no Brasil também devem mencionar as questões de controle de armas, como a implementação do novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas (denominado Start). O tratado foi firmado em 1991 pelos governos dos Estados Unidos e da Rússia e, por meio dele, ambos comprometeram-se a reduzir gradativamente as armas. Os termos do acordo, no entanto, estão em processo de revisão.

Fonte: Correio do Brasil

+ sobre o tema

Metade das crianças violentadas foi agredida mais de uma vez

O Brasil registrou 58,3 mil casos de estupro de crianças e...

SP enquadrou 31 mil negros como traficantes em situações similares às de brancos usuários

Para a polícia de São Paulo, a diferença entre um traficante e...

STF retoma julgamento sobre descriminalização do porte de drogas

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma nesta quinta-feira (20)...

STF começa a julgar nesta terça (18) supostos mandantes da morte de Marielle

O Supremo Tribunal Federal (STF) inicia, na tarde desta...

para lembrar

Obama diz que cor da pele influenciou avaliação de seu governo

O presidente dos EUA, Barack Obama, falou abertamente sobre o...

Insatisfação dos brasileiros de que falam as ruas

Ainda tentando desvendar, a composição social de quem...

‘A personalidade autoritária’ hoje: por que o fascismo volta a fascinar?

O fascismo está em alta no Brasil e no...

PL antiaborto viola padrões internacionais e ameaça vida, diz perita da ONU

O PL antiaborto viola padrões internacionais de direitos humanos e, se aprovado, representaria uma ameaça para a vida principalmente das mulheres mais pobres do...

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu a obra Mulheres Sonhadoras, Mulheres Cientistas, composta por dois livros, das escolas e bibliotecas do município. Escritos por...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e constranger o governo, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, facilitou a aprovação de...
-+=