Equidade só na rampa

Presente na posse de Lula, passa longe dos salões do poder

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou “quem indica o procurador-geral da República? (…) O povo, através do seu representante eleito. O presidente”, quem diria que o representante do povo, eleito derrotando bolsonaristas, indicaria justamente um procurador-geral adorado por bolsonaristas. “Paulo Gonet é conservador raiz, cristão, sua atuação no STF nos processos da Lava Jato foi impecável”, escreveu em 2019 a deputada Bia Kicis (PL-DF).

Lula prestou um desserviço ao país ao se curvar às pressões corporativas judiciais e pressões identitárias de setores de extrema direita em nome do mais baixo interesse nacional, a autopreservação. Gonet é contra a LGBTfobia como crime, contra a responsabilização do Estado em casos notórios na ditadura militar, contra o aborto e convidou Pazuello para falar sobre “tratamento precoce” no meio da pandemia de Covid-19.

Nas nomeações judiciais, o partido de Lula é o conservadorismo pragmático: neutralizar futuras resistências, de um lado, desprezando pressões por equidade, e agradando quem já tem a caneta de juiz, de outro. Raça e gênero não fazem parte dos critérios de Lula porque se fizessem o presidente teria que ir além dos engravatados que o cortejam no palácio. Raça e gênero não contam, para Lula, porque vê homens brancos como seres sem gênero e sem raça —fazem tanto parte do mobiliário palaciano que sua onipresença se torna invisível.

Quando o assunto são militares ou juízes, a força política lulista —historicamente modernizadora das forças de Estado— opta pela conciliação conservadora. Não há pano suficiente a ser passado que cubra a vergonha que é retirar uma vaga das únicas três mulheres que já ocuparam o STF em 132 anos de existência da corte, mesmo colocando um homem negro e jurista competente como é Flávio Dino.

Equidade subiu a rampa do Planalto na posse de Lula, mas nunca a desceu para ser convidada aos salões do poder.

+ sobre o tema

Miss é eliminada por ser mãe. Em que ano estamos?

Elas precisam ser lindas, altas e magras. Além disso,...

MinC seleciona projetos de hip-hop inscritos no Prêmio Cultura Viva

A Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério...

Perfeição do racismo brasileiro transforma algoz em vítima

O racismo é um crime perfeito. É com essa frase...

para lembrar

Classe C começa a ser mais da metade no Brasil

Participação das famílias de classe média cresceu de 50,45%...

Cobrança de bagagem em voos começa no dia 14 de março

As companhias aéreas poderão cobrar pelo despacho de bagagem...

Conservadores dos EUA criticam Obama por “desculpas” a islã

Discurso no Cairo é visto por adversários do presidente...

Não é a Grécia. É o capitalismo, estúpido!

Por Atilio Boron - de Buenos Aires A Grécia vive um momento de turbulência...
spot_imgspot_img

Fui demitida depois dos 40. E agora?

Dia desses, enquanto navegava pelos comentários de uma publicação no LinkedIn, deparei-me com o relato em que uma mulher mencionava ter ouvido de seu...

Segunda mulher negra na história do TSE toma posse como ministra da Corte

Primeiro foi a mineira Edilene Lôbo, advogada de Taoibeiras (MG) que em 8 de agosto de 2023 foi pioneira ao tomar posse como primeira...

Pé-de-meia: quando começa, como se inscrever e como receber a bolsa do ensino médio

Alunos de famílias inscritas no Bolsa Família poderão receber, a partir de março deste ano, um incentivo financeiro do governo federal de até R$ 9,2 mil...
-+=