Vacina contra meningite sem refrigeração é testada com sucesso na África

Por: Amanda Lourenço

 

Um dos maiores desafios na luta contra as epidemias em países tropicais é o transporte de vacinas, que precisam ser mantidas em baixas temperaturas. Mas o sucesso de uma campanha de vacinação contra a meningite A no país africano do Benim, com lotes que não foram refrigerados, pode abrir precedentes significativos na logística da prevenção de doenças em países em desenvolvimento.

A campanha piloto, uma parceria entre a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a ONG internacional sem fins lucrativos PATH, aplicou a vacina MenAfriVac em cerca de 150 mil pessoas entre 1 e 29 anos em novembro de 2012. O produto foi mantido em temperatura ambiente por um prazo de até quatro dias, sem ultrapassar os 40°C, nem ser exposto diretamente à luz solar.

O estudo final, publicado na revista científica Vaccine, concluiu que não houve nenhum caso da doença entre a população vacinada, provando a eficácia da campanha. Os custos também caem pela metade, já que grande parte dos caros materiais de refrigeração se tornam dispensáveis. Cada vacina passa a custar US$ 0,12, ao invés de US$ 0,24.

“As vacinas são produtos geralmente sensíveis ao calor, por isso se convencionou em todos os países a manter vacinas entre 2 e 8 graus, o que chamamos de ‘cadeia de frio’. Manter o frio é um desafio em alguns lugares. A inovação desta experiência está em dispensar essa cadeia de frio e poder levar as vacinas para os locais de mais difícil acesso. Será um passo enorme para a vacinação se progressivamente pudermos diminuir a dependência em relação ao frio”, explica Olivier Ronveaux, epidemiologista da Organização Mundial de Saúde.

A meningite do tipo A é um grave problema no continente africano. Apenas entre 1996 e 1997 cerca de 25 mil africanos morreram da doença. Nos anos seguintes as vacinações foram reforçadas e os casos diminuiram, mas 20 milhões de crianças continuam esperando imunização. No Brasil, a meningite A não é uma ameaça, mas os resultados obtidos nesta pesquisa podem beneficiar outras vacinas.

“A MenAfriVac é uma vacina contra meningite A usada para controlar epidemias na África, mas queremos que esse método se extenda a outras vacinas. No momento estamos estudando aquelas contra a cólera e a febre amarela, da qual o Brasil é um dos produtores”, afirma o Dr. Ronveaux.

O médico infectologista Newton Bellesi, diretor da Clínica de Medicina Preventiva do Pará, trabalhou com vacinação em comunidades da Amazônia e afirma que a não-refrigeração das vacinas faria muita diferença de ordem prática: “Nós dávamos apoio ao Programa Nacional de Imunizações levando as vacinas para as regiões de mais difícil acesso. A vacinação tinha que ser executada imediatamente após nossa chegada, porque a quantidade de gelo não permitia espera. Com certeza facilitaria muito se as vacinas não precisam de refrigeração. Mais pessoas poderiam ser beneficiadas”, afirma Bellesi.

Fonte: RFI

+ sobre o tema

Até tu Michelle? Primeira dama dos EUA confessa que gostaria de ser Beyoncé por um dia

Quem poderia imaginar! Michelle Obama, uma das mulheres mais...

Morabeza Nação aborda racismo em espetáculo infanto-juvenil no Itaú Cultural

Baseado no livro O mundo no black power de T’ayó...

Pape Ibrahima N’diaye e a Cie Kaolack Danse de Senegal

Vencedor do concurso coreográfico Coreográfico Encounters 'Dance África Dance'...

para lembrar

spot_imgspot_img

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...

Spcine marca presença no Festival de Cinema de Cannes 2024 com ações especiais

A Spcine participa Marché du Film, evento de mercado do Festival de Cinema de Cannes  2024 e um dos mais renomados e influentes da...
-+=