15 filmes dirigidos por mulheres para ver agora

De “Selma” a “Bicho de Sete Cabeças”, iG seleciona alguns dos melhores longas lançados nos últimos 15 anos e disponíveis no cinema, em home video ou no Netflix

Por Luísa Pécora , iG São Paulo

Uma das maiores injustiças do Oscar deste ano foi o fato de Ava DuVernay não ter recebido uma indicação ao prêmio de direção por “Selma – Uma Luta Pela Igualdade”. Ela seria apenas a quinta mulher a ser indicada na categoria, que até hoje só premiou uma cineasta: Kathryn Bigelow, por “Guerra ao Terror”, em 2010.

As diretoras ainda têm de lutar por igualdade em Hollywood. Apenas 7% dos 250 filmes de maior bilheteria nos Estados Unidos em 2014 foram dirigidos por mulheres, de acordo com estudo do Centro para o Estudo da Mulher na Televisão e no Cinema da San Diego State University. Foi um aumento de 1% em relação ao ano anterior, mas abaixo dos 9% registrados quando o levantamento começou a ser feito, em 1998.

No Brasil, dados da pesquisadora Paula Alves apontam que mulheres dirigiram apenas 15,37% de todos os lançamentos de 2001 a 2010.

Para celebrar o trabalho das mulheres por trás das câmeras, o iG selecionou 15 ótimos filmes, dirigidos por 15 diretoras diferentes e lançados nos últimos 15 anos. E o melhor: todos estão disponíveis nos cinemas, DVD, Blu-ray ou Netflix (consulte a galeria acima).

Veja 15 filmes dirigidos por mulheres para assistir agora:

Dimitrios Kambouris/Getty Images Ava DuVernay, diretora de "Selma"
Dimitrios Kambouris/Getty Images
Ava DuVernay, diretora de “Selma”

“Selma – Uma Luta Pela Igualdade”:Dirigido pela americana Ava Duvernay e indicado a dois Oscar, narra a histórica marcha liderada por Martin Luther King Jr. em 1965 para assegurar aos negros o direito do voto. Outros filmes da diretora: “This Is the Life” (2008), “I Will Follow” (2010) e “Middle of Nowhere” (2012).

“Elena”: Documentário da brasileira Petra Costa, no qual mostra uma difícil viagem a Nova York em busca de pistas sobre a irmã mais velha, que 20 anos antes deixou a família para tentar a carreira de atriz nos Estados Unidos. Outro filme da diretora: “Olmo & the Seagull” (2014).

“Precisamos Falar Sobre Kevin”: Dirigido pela escocesa Lynne Ramsay, tem grande atuação de Tilda Swinton. Baseado no romance de Lionel Shriver, é centrado na mãe de um garoto que cometeu um massacre em seu colégio. Outros filmes da diretora: “Ratcatcher” (1999) e “Morvern Callar” (2002).

“Minhas Mães e Meu Pai”: Dirigido pela americana Lisa Cholodenko, foi indicado a quatro Oscar. Mostra a história de uma família formada por duas mulheres e seus filhos adolescentes, que decidem conhecer o doador de esperma que permitiu sua concepção. Outros filmes da diretora: “High Art” (1998) e “Laurel Canyon – A Rua das Tentações”.

“Inverno da Alma”: Dirigido pela americana Debra Granik, rendeu a primeira indicação da atriz Jennifer Lawrence ao Oscar. Ela interpreta uma jovem forçada a cuidar da família, e que precisa evitar que o envolvimento do pai com o tráfico de drogas culmine na perda da casa. Outros filmes da diretora: “Down to the Bone” (2004) e “Stray Dog” (2014).

“Em um Mundo Melhor”: Dirigido pela dinamarquesa Susanne Bier, ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro. Conta a história da perigosa amizade entre Christian, um jovem que acaba de perder a mãe, e Elias, filho mais velho de um médico que trabalha em um campo de refugiados na África. Outros filmes da diretora: “Aconteceu Naquele Hotel” (1995), “Corações Livres” (2002), “Brothers” (2004), “Depois do Casamento” (2006), “Coisas que Perdemos pelo Caminho” (2007) e “Amor é Tudo o Que Você Precisa” (2012).

Getty Images A cineasta Jane Campion, indicado ao Oscar por 'O Piano'
Getty Images
A cineasta Jane Campion, indicado ao Oscar por ‘O Piano’

“Brilho de Uma Paixão”: Dirigido pela neozelandesa Jane Campion, indicada ao Oscar de direção por “O Piano” em 1994. Narra o romance entre o poeta John Keats e Fanny Brawne. Outros filmes da diretora: “Sweetie” (1989), “Um Anjo em Minha Mesa” (1990), “Retratos de Uma Mulher” (1996), “Fogo Sagrado!” (1999) e “Em Carne Viva” (2003).

“Educação”: Dirigido pela dinamarquesa Lone Scherfig, foi indicado a três Oscar. Acompanha a vida de uma garota que vive na Londres dos anos 1960 e se apaixona por um homem mais velho. Outros filmes da diretora: “Italiano Para Principiantes” (2000), “Meu Irmão Quer Se Matar” (2002), “Um Dia” (2011) e “The Riot Club” (2014).

Getty Images Kathryn Bigelow ganhou o Oscar de direção em 2010 por 'Guerra ao Terror'
Getty Images
Kathryn Bigelow ganhou o Oscar de direção em 2010 por ‘Guerra ao Terror’

“Guerra ao Terror”: Dirigido pela americana Kathryn Bigelow, ganhou seis Oscar. Durante a Guerra do Iraque, o filme segue três soldados especializados em desarmar bombas. Outros filmes da diretora: “The Loveless” (1981), “Quando Chega a Escuridão” (1987), “Jogo Perverso” (1989), “Caçadores de Emoção” (1991), “Estranhos Prazeres” (1995), “O Peso da Água” (2000), “K-19: The Widowmaker” (2002) e “A Hora Mais Escura” (2012).

“Rio Congelado”: Dirigido pela americanaCourtney Hunt, foi indicado a dois Oscar e tem uma ótima atuação de Melissa Leo. Ela interpreta uma mulher abandonada pelo marido e sem dinheiro para cuidar dos filhos, que aceita transportar imigrantes ilegais para os Estados Unidos. Outro filme da diretora: “The Whole Truth” (2015).

“A Família Savage”: Dirigido pela americana Tamara Jenkins, mostra dois irmãos frustrados – ele um professor de teatro, ela uma aspirante a dramaturga – que são obrigados a confrontar o passado quando seu pai enfrenta um grave problema de saúde. Outro filme da diretora: “O Outro Lado de Beverly Hills” (1998).

“Longe Dela”: Dirigido pela canadense Sarah Polley, foi indicado a dois Oscar, inclusive o de melhor atriz para Julie Christie. Leva para as telas um conto de Alice Munro (“The Bear Came Over the Mountain”) sobre uma mulher com Alzheimer que é internada em uma clínica e passa a morar longe do marido de muitos anos. Outros filmes da diretora: “Entre o Amor e a Paixão” (2011) e “Histórias que Contamos” (2012).

Divulgação A cineasta canadense Sarah Polley, de 'Longe Dela'
Divulgação
A cineasta canadense Sarah Polley, de ‘Longe Dela’

“Um Lugar Qualquer”: Dirigido pela americana Sofia Coppola, indicada ao Oscar de direção por outro filme, “Encontros e Desencontros”, em 2004. Em “Um Lugar Qualquer”, um ator entediado revê sua vida ao passar tempo com a filha de 11 anos. Outros filmes da diretora: “As Virgens Suicidas” (1999), “Encontros e Desencontros” (2003), “Maria Antonieta” (2006) e “Bling Ring: A Gangue de Hollywood” (2013).

“A Vida Secreta das Palavras”: Dirigido pela espanhola Isabel Coixet, mostra uma mulher com problema de audição que, em suas primeiras férias em anos, viaja a uma plataforma de petróleo para cuidar de um homem com queimaduras graves. Outros filmes da diretora: “Confissões de um Apaixonado” (1996), “Minha Vida Sem Mim” (2003), “Fatal” (2008), “Map of the Sounds of Tokyo” (2009), “Yesterday Never Ends” (2013), “Another Me” (2013), “Learning to Drive” (2014) e “Nobody Wants the Night” (2015).

“Bicho de Sete Cabeças”: Dirigido pela brasileira Laís Bodanzky, narra a trajetória de Neto, um jovem de classe média enviado a um hospital psiquiátrico para pessoas com problemas mentais após seu pai encontrar drogas em seu bolso. Outros filmes da diretora: “Cine Mambembe – O Cinema Descobre o Brasil” (1999), “Chega de Saudade” (2007) e “As Melhores Coisas do Mundo” (2010).

+ sobre o tema

O discurso histórico de Madonna ao ser eleita ‘Mulher do Ano’

Confira abaixo a íntegra do discurso de Madonna: do Pragmatismo Politico “Estou...

Ana Reis: O bio-tecno-negócio avança sobre a reprodução humana

A Folha de São Paulo, em matéria recente, divulgou...

“Não nos oprima ou tente nos controlar”: atrizes comentam 2 anos do #MeToo

Weinstein deve ser julgado em janeiro por acusações de...

Jean Wyllys: ‘Dilma se precipitou’, diz deputado sobre suspensão de kit contra homofobia

Jean Wyllys (PSOL) diz que bancada evangélica teve reação...

para lembrar

‘O teste de câncer de próstata que salvou minha vida’

"Então, é câncer." Por Ben Stiller Do Brasil Post Sem deixar a peteca...

Blackfishing: mulheres brancas querendo ser negras só no verão

Apropriação cultural entre mulheres é um exemplo de falta...

A filosofia e a ciência também legitimam a desigualdade de gênero

A teoria afirma que entre todos os elementos que...
spot_imgspot_img

Documentário sobre Lélia Gonzales reverencia legado da ativista

Uma das vozes mais importantes do movimento negro e feminista no país, Lélia Gonzales é tema do Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas,...

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...
-+=