25 de Maio, A Luta pela independência de África continua…

preta

Por Ynnamiléh N’Kosi Djonnu via Guest Post para o Portal Geledés

Há 53 anos em Adis Abeba capital da Etiópia, reuniram-se um grupo de 30 líderes africanos com o propósito de erradicar o colonialismo e promover a plena emancipação dos Estados africanos das garras imperialistas e usurpadoras da Europa. A cimeira que durou de 22 a 26 de Maio de 63 resultou na criação da Organização da Unidade Africana (OUA) que teve como principal pauta a retomada das terras e aceleração do processo da descolonização por qualquer meio necessário.

Naquele ano, uma boa parte do continente ainda estava sob domínio europeu e a necessidade de enfrentamento para garantia de decisão do próprio destino do povo africano era algo inevitável. E o OUA cumprindo seus objetivos, promoveu sistemas de financiamento aos países que só viam na luta armada o único meio de libertação. Dentre os anfitriões da cimeira, estavam figuras importantes como Kwame Nkrumah (primeiro presidente do Gana) que apostava na integração, federalismo e na criação dos Estados Unidos de África, Sekou Touré (Guiné Conacry) que também defendia a mesma ideia e Haile Selassie (Imperador da Etíopia) que compartilhava do mesmo ideal.

O Pan-Africanismo no continente estava nos seus anos de ouro e isso sem sombra de dúvida não era notícia agradável aos racistas histéricos portadores do síndrome de “quero tudo, me dá tudo,tudo é meu, preciso destruir tudo”. As mudanças eram reais e estavam diretamente ameaçando aquele sistema enquanto a proposta da cimeira seguia rumo às suas finalidades como é o caso de muitos países como Guiné-Bissau, Angola, Moçambique que se tornaram independentes nos anos seguintes sob comando dos líderes totalmente formados no viés pan-africano e não socialista nem comunista como tem se pronunciado alguns “esquerdopatas”.

Os africanos não precisam reivindicar e nem tomarem para si aquilo que não condiz com as suas próprias realidades. E, em se tratando do socialismo europeu, o próprio conceito socialista já é inerente à realidade das sociedades africanas tornando-o assim dispensável de importação e assimilação como dizia o Diop.

No entanto, voltando à questão central do texto, a OUA que atualmente é UA (Unidade Africana) ainda é e continuará sendo uma valiosa ferramenta do empoderamento e fortalecimento enquanto nações dotadas de instituições fortes e decisivas do continente africano. É só através dela que poderemos de fato ver um continente emancipado com países sem medo de embargos da FMI, Banco Mundial, julgamentos pela TPI e de todo resto.


** Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do PORTAL GELEDÉS e não representa ideias ou opiniões do veículo. Portal Geledés oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

+ sobre o tema

Perspectivas decoloniais à luz do saber identitário

Resumo: O artigo, inclina-se em construtos teóricos entrelaçados a...

Dia 8, desgosto

Dia 08/08. Data que ficará marcada como uma das...

A Sociedade Protetora dos Desvalidos e a Resistência Negra no Brasil

Neste 16 de setembro de 2020, dia dedicado à...

Afro Turismo

Viajar é uma oportunidade de experimentar culturas e conhecer...

para lembrar

Cientista e Inventores Negros

Por: Nelson Pascarelli Filho Uma das opções para se ensinar...

Time Flies (O Tempo Voa): Propaganda de Cape Town, South Africa

New Allan Gray advert entitled "Time Flies" from King...

O que Africanos acham do Brasil? – Angola e Cabo Verde

Do Facebook de Julia Jolie Entrevista que Julia Jolie fez com os...

Cais do Valongo busca reconhecimento da Unesco

Dossiê do patrimônio internacional começa a ser elaborado amanhã POR...
spot_imgspot_img

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O Nascimento de Vênus” de Sandro Botticelli ou “A Última Ceia” de Leonardo da Vinci. Quando...

Com verba cortada, universidades federais não pagarão neste mês bolsas e auxílio que sustenta alunos pobres

Diferentes universidades federais têm anunciado nos últimos dias que, após os cortes realizados pelo governo federal na última sexta-feira, não terão dinheiro para pagar...
-+=