sexta-feira, outubro 30, 2020

    Resultados da pesquisa por 'soldado gay'

    gays iraquianos

    Gays iraquianos são alvos de milícias e soldados no Iraque pós-Saddam

    Autoridades do Iraque têm feito uma "caça às bruxas" contra os homossexuais, com perseguição sistemática e mortal a homens e mulheres, revela uma reportagem investigativa da BBC. Ativistas dizem que centenas de homossexuais foram mortos nos últimos anos, enquanto o governo, que conta com apoio ocidental, tem ignorado o assunto. Para as Nações Unidas, a negligência quanto à violência torna o Estado iraquiano um dos responsáveis pelos crimes. A investigação da BBC mostra que no Iraque pós-Saddam Hussein ser homossexual - ou mesmo parecer homossexual - pode significar uma sentença de morte no país. Em alguns casos, homossexuais foram mortos pelos próprios familiares, nas chamadas "mortes pela honra", ou pela ação de milícias. Mas a perseguição também parece ocorrer sob os mandos de forças de segurança oficiais - ainda que o governo se recuse a admiti-lo. Dezessete homossexuais entrevistados pela reportagem se disseram perseguidos individualmente, e todos dizem ter amigos ...

    Leia mais
    E 200292305232

    Estudo: 40% dos soldados israelenses gays sofrem assédio

    Quase metade dos homossexuais e das lésbicas do Exército israelense sofrem  durante o serviço militar, segundo um estudo divulgado nesta terça-feira. O relatório, elaborado pela Organização da Juventude Gay de Israel, aponta que 40% dos consultados sofreram abusos verbais e 4% passaram também por agressões físicas, de acordo com o jornal israelense Ha'aretz. Segundo 45% dos participantes do estudo, os comentários homofóbicos são frequentes ou muito frequentes nas unidades do Exército, número que cresce para 59% nos corpos de combate. O estudo foi elaborado a partir de um questionário a 364 soldados gays e lésbicas que realizam atualmente ou finalizaram em 2010 o serviço militar obrigatório, de três anos para os homens e dois para as mulheres em Israel. Apesar de 63% dos consultados afirmar que seu entorno na vida civil conhece sua condição de homossexual, apenas 32% a tinha comunicado a seus companheiros ou superiores no Exército, o que ...

    Leia mais

    Líder neonazista se declara gay, revela herança judaica e abandona movimento no Reino Unido

    Kevin Wilshaw, de 58 anos, passou toda a vida adulta promovendo o supremacismo branco, mas foi alvo de abusos dentro do próprio movimento no Opera Mundi Um proeminente líder neonazista da Frente Nacional (NF) britânica deixou o movimento após se declarar gay e revelar a sua herança judaica. Ele fez as revelações sobre seu passado violento enquanto renunciava ao extremismo de extrema direita. Kevin Wilshaw, de 58 anos, passou toda a vida adulta promovendo o supremacismo branco e era uma figura de alto perfil na Frente Nacional na década de 1980. Em 2017, ele ainda fazia discursos em eventos extremistas e havia sido preso em março. Ao Channel 4 News, ele admitiu atos de violência e racismo, incluindo esmagar uma cadeira sobre a cabeça de uma pessoa em Leeds e vandalizar uma mesquita em Aylesbury. Ele disse que ele se juntou ao movimento "porque não tinha muitos amigos na escola", ...

    Leia mais

    O que aconteceu com o primeiro casal gay a se revelar no Exército brasileiro

    Em junho de 2008, ÉPOCA contou a história do primeiro casal homossexual assumido. Qual foi o impacto dessa reportagem Do Época Laci e Fernando posam para o ensaio fotográfico de ÉPOCA. Os dois declararam sua relação afetiva dentro do Exército (Foto: Ricardo B. Labastier/ÉPOCA)   O pernambucano Fernando Alcântara de Figueiredo chegou a Brasília em 1995, depois de passar pelo curso preparatório para sargento do Exército de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Dias depois, ele conheceu o potiguar Laci Marinho de Araújo, outro recém-chegado a Brasília, que havia feito o mesmo curso em Três Corações, também em Minas Gerais. Dois anos depois, quando resolveram sair do alojamento militar para morar em uma república, começaram a namorar. Como eram oficiais do Exército, preferiram manter a relação em segredo. Mas em junho de 2008, num ato corajoso, Fernando e Laci aceitaram dar uma entrevista e posar para a capa de ÉPOCA ...

    Leia mais

    Policial militar gay do RS será o primeiro a se casar de farda em 178 anos

    Miguel Martins, 29, será o primeiro soldado gay da Brigada Militar do Rio Grande do Sul a se casar usando a farda tradicional da instituição, que existe há 178 anos. As informações são da Folha de S.Paulo. Por Caio Delcolli Do Brasil Post Ele e seu noivo, o modelo Diego Souza, 21 – moradores do município de Uruguaiana –, decidiram se casar em uma cerimônia depois de terem recebido comentários homofóbicos nas redes sociais quando anunciaram o noivado. "Eu ia casar numa cerimônia simples, depois disso decidi lutar pelo meu direito", disse Miguel, à Folha. "Decidimos lutar contra o preconceito. Ele não é diferente de ninguém. Tentaram prejudicar, mas o efeito foi justamente o contrário", comentou Diego, na mesma reportagem. Segundo o jornal, Roberto Ortiz, tenente-coronel e comandante de Miguel no 1º Batalhão de Patrulhamento de Áreas de Fronteira (BPAF), encaminhou o pedido do soldado com mais agilidade após as ...

    Leia mais
    carta-soldados-gays2

    A carta de amor de um soldado ao seu companheiro na Segunda Guerra

      Segunda Guerra Mundial: carta revela história de amor entre dois soldados gays. Conteúdo trouxe tanto impacto que a carta circulou em milhares de sites da internet Divulgada uma carta que traz luz a história de amor entre dois soldados gays durante a Segunda Guerra Mundial. O conteúdo da carta trouxe tanto impacto, que a carta circulou em milhares de sites da internet, como o Huffington Post, depois que foi publicada no portal “Letters of Note“.   A singular e comovente carta de amor foi escrita pelo veterano Brian Keith a Dave, um outro soldado por quem Brian se apaixonou em 1943, quando se conheceram no Norte da África. A carta foi escrita por ocasião do seu aniversário e publicada pela primeira vez em setembro de 1961 pela “Revista ONE“, uma revista pro-gay pioneira que começou a ser publicada em 1953. A carta original se encontra, dizem, na Biblioteca do Congresso ...

    Leia mais
    racismo na italia - ilha de san domino 512x288 bbc nocredit

    Fascistas criaram ‘ilha gay’ na Itália para confinar homossexuais

    Há 75 anos, durante o fascismo na Itália, um grupo de homens rotulados de "degenerados", foram expulsos de casa e internados em uma ilha. Eles eram mantidos em cárcere privado, mas alguns deles dizem ter vivido uma experiência liberalizante nesta que teria sido a primeira comunidade abertamente gay do país. Todos os anos, turistas são atraídos pela beleza dessa pequena faixa de ilhas vulcânicas do Mar Adriático. Mas apenas recentemente um grupo de visitantes chegou ao arquipélago de Tremiti, não apenas para aproveitar a paz e o sossego do lugar, mas para lembrar um fato importante. O grupo era formado por ativistas de direitos dos gays, lésbicas e transgêneros. Eles vieram para realizar uma pequena cerimônia relembrando um triste episódio ocorrido na ilha há 70 anos. 'Avanço da degeneração' Por volta do final dos anos 1930, o arquipélago teve participação importante no esforço dos fascistas de Benito Mussolini de suprimir ...

    Leia mais
    soldado-estuprado-por-vestir-igual-a-banda-Restart

    Soldado estuprado no quartel em Santa Maria por se vestir como membros da Banda Restart

    FARDA NUNCA MAIS Por Renan Antunes de Oliveira Ele era um pracinha que amava a banda Restart e usava calças coloridas como as dos ídolos, mas pro pelotão dele seu gosto é coisa gay. Durou três meses no quartel, até o estupro na frente de 14 colegas – nenhum o ajudou. IPM sob medida recomenda expulsá-lo do Exército. O pracinha gaúcho de iniciais DPK, 19, enfrenta o Exército na Justiça Militar. Ele tem poucas chances de ganhar, mas pelo menos honra a tradição de luta do uniforme verde-oliva. DPK está ameaçado de pegar cadeia depois de denunciar ter sido estuprado no quartel por quatro dos 19 colegas de alojamento – os demais disseram que não viram nada acontecer. "Eu fui violentado e quero Justiça", afirma DPK, 120 dias depois do incidente, acontecido em 17 de maio no quartel do Parque de Manutenção do 3º Exército, em Santa Maria (RS). Um ...

    Leia mais
    felipe costa

    Casal de sargentos gays responde a Bolsonaro

    Em entrevista ao Congresso em Foco, Fernando Alcântara e Laci Marinho, um casal de sargentos do Exército, dizem que as falas do deputado fluminense são uma reação de uma cúpula conservadora das Forças Armadas que a cada dia se torna mais minoria Para Fernando e Laci, sargentos e gays, Bolsonaro é porta-voz de uma minoria da cúpula do Exército que tem uma visão autoritária e conservadora do mundo Rudolfo Lago Laci Marinho, nascido no Rio Grande do Norte há 39 anos, é um sargento do Exército. Fernando Alcântara, pernambucano de 37 anos, é também sargento do Exército. Eles são a prova viva de que o ódio do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) aos homossexuais não é, como ele esforça-se para expressar, um sentimento comum a todo e qualquer soldado das Forças Armadas. Porque Laci e Fernando são, eles próprios, homossexuais. Eles são um casal. “A verdade é que a visão ultrapassada ...

    Leia mais
    icaro-parada

    Porto Seguro: Tenente gay concede entrevista

    Fonte: Radar PORTO SEGURO - As denúncias feitas pelo tenente PM Ícaro Ceita do Nascimento, homossexual que se diz vítima de perseguições dentro da corporação, e repercutidas pelo RADAR64, deram origem a uma série de manifestações de repúdio de associações de policiais e grupos GLBTs.   Acusado de deserção e de atirar em um colega de farda por disputar com ele o amor de um soldado, Ceita foi preso duas vezes e teve contra si um polêmico pedido de exoneração da PM em parecer do 1º promotor de justiça militar, Luiz Augusto Santana, enviado ao ex-comandante geral da corporação. No documento, o promotor considera que a carreira militar e a homossexualidade são 'antagônicas'. Em entrevista, Ícaro fala dos abusos sofridos em sua carreira, depressão, da luta para conseguir realizar seu trabalho com dignidade. Há quanto tempo você está na Polícia Militar? Tem 8 anos. Para entrar na corporação, é preciso ...

    Leia mais

    Negros fizeram dos Estados Unidos uma democracia, diz autora

    Especial do New York Times mostra como luta por direitos civis tornou verdadeiros os ideais americanos Por Nikole Hannah-Jones, Do The New York Times Em ilustração para "A Portraiture of Domestic Slavery in the U.S", pessoas olham para os destroços do Capitólio em Washington, em 1814. Library of Congress  Os ideais fundadores da democracia norte-americana eram falsos quando foram escritos, segundo a autora. Os americanos negros lutaram para torná-los verdadeiros. Meu pai sempre hasteou uma bandeira americana em nosso quintal da frente. A tinta azul do nosso sobrado estava sempre descascando; a cerca, ou o corrimão da escada, ou a porta da frente, existiam em um estado de constante ruína, mas aquela bandeira sempre tremulava, imaculada. Nosso terreno de esquina, que havia sido declarado área de risco hipotecário pelo governo federal, ficava ao longo do rio que dividia o lado negro do lado branco de nossa cidade, no ...

    Leia mais

    Glicéria Tupinambá, a voz da mulher indígena na ONU: “Só cabe a nós definir como queremos viver e morrer”

    Contar o fragmento de história recente do povo fez Glicéria levar à comunidade internacional o retrato do que ocorre com os povos indígenas no Brasil POR RENATO SANTANA, DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO – CIMI, COM A COLABORAÇÃO DE DANIELA ALARCON, DO RIO DE JANEIRO, do Concelho Indigenista Missionário   “Só cabe a nós definir como queremos viver e como queremos morrer. O outro não tem o direito sobre a vida da gente”. Crédito da foto: Genna Naccache Glicéria Tupinambá vive na Serra do Padeiro, uma das 22 aldeias da Terra Indígena Tupinambá de Olivença, no sul da Bahia. De lá partiu no início deste mês e chegou a Genebra, na Suíça, para denunciar um intrincado plano de assassinatos, revelado em janeiro, contra integrantes de sua família. Contar o fragmento de história recente do povo fez Glicéria levar à comunidade internacional o retrato mais bem acabado do que ocorre ...

    Leia mais

    As cotas raciais e a percepção dos privilégios

    Filha de empregada doméstica, comecei a trabalhar aos 15. Porém, sou branca: a cor da pele abriu-me portas. Começo a percebê-lo ao cavar camadas da memória, graças à inquietação de meus alunos negros Por Berenice Bento, do Outras Palavras  Entro em sala de aula. Olho para os lados. Somos cerca de 40 pessoas para mais um dia de aula, entre eles, pelo menos 30% de estudantes negros/as. Há também a presença de estudantes gays e lésbicas, que exibem, orgulhosos/as, símbolos e camisetas que os/as identificam com causas dos ativismos LGBTTs. A universidade mudou. Os efeitos ainda não estão elaborados porque são rizomáticos. Talvez a forma como penso a relação entre a minha biografia e a cor da minha pele seja um destes efeitos invisíveis. A primeira vez em que escutei que a cor da minha pele me conferia privilégios, reagi com estranheza. Ora, como é possível que uma filha de empregada ...

    Leia mais

    O que as cotas raciais têm feito comigo?

    Entro em sala de aula. Olho para os lados. Somos cerca de 40 pessoas para mais um dia de aula, entre eles, pelo menos 30% de estudantes negros/as. Há também a presença de estudantes gays e lésbicas, que exibem, orgulhosos/as, símbolos e camisetas que os/as identificam com causas dos ativismos LGBTTs. Por Berenice Bento, da Revista Cult A universidade mudou. Os efeitos ainda não estão elaborados porque são rizomáticos. Talvez a forma como penso a relação entre a minha biografia e a cor da minha pele seja um destes efeitos invisíveis. A primeira vez em que escutei que a cor da minha pele me conferia privilégios, reagi com estranheza. Ora, como é possível que uma filha de empregada doméstica, retirante, estudante de escola pública que começou a trabalhar aos 15 anos de idade possa ser considerada uma privilegiada? O que é um privilégio? Privilégio é aquilo que você herda e é ...

    Leia mais

    Niterói e região registram um caso de violência contra LGBTs por dia

    A indignação brota com as lágrimas que transbordam dos olhos, um deles totalmente fechado por conta de um hematoma. Leila Rodrigues Veloso é a mais recente vítima conhecida da homofobia em Niterói. Foi agredida na madrugada de segunda-feira passada ao estacionar o carro na Ponta d’Areia, onde mora. O trauma vivido por ela está longe de ser uma exceção: segundo dados do programa Rio Sem Homofobia, do governo do estado, nos últimos dois anos, 732 gays, lésbicas, travestis e transexuais procuraram atendimento no Centro de Cidadania LGBT Leste, que funciona no Ingá e atende vítimas de violência de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá. O número total no período traduz a média de um caso registrado por dia. no Globo — Tenho 33 anos e nunca tinha apanhado na cara. Isso é inaceitável! Nem consegui dormir (na terça passada). Percebo que minha vida mudou — revela Leila, que foi candidata ...

    Leia mais

    9 novos super-heróis da Marvel contra o preconceito

    Homens fortes, viris, brancos e bonitos. Este era o padrão nas HQs de heróis. Super-Heróis estampando na capa um modo do público reconhecer que pra ser “super” em alguma coisa precisava se espelhar naquele homem de uniforme. As crianças - assim como adolescentes e adultos - ficam fascinadas com as tramas envolvendo poderes, garotas indefesas e vilões maléficos. No século XXI, a tendência para a desconstrução desses padrões, que refletiam a autoestima e identificação dos nossos jovens no mundo a fora, precisava ganhar ascensão. Contudo, pairamos no século XX. Heróis negros não são recebidos com tanto sucesso quanto um herói branco; heroínas são alvo de piadas - questionando o poder feminino; e heróis LGBTs são colocados contra a parede, num preconceito heteronormativo.  por Douglas Hinckel no Info Geek Corp A famosa marca editorial de quadrinhos Marvel Comics está pra lançar uma linha de histórias envolvendo os substitutos de heróis tradicionais, ...

    Leia mais
    Denzel-Washington1

    Os 10 melhores filmes de Denzel Washington, e seus 5 fracassos

    O ator está há 30 anos encabeçando o pelotão, abrindo caminho para os que vêm atrás. Uma carreira que tem sucessos colossais, e alguns buracos Por JUAN SANGUINO, do El Pais  "Quando era jovem, não planejava ser ator, porque não via pessoas como eu nos filmes". Denzel Washington (Nova York, 62 anos, cujos melhores foram vividos em torno de Hollywood) cresceu sem ídolos negros para se inspirar (com a exceção de Sidney Poitier), então, decidiu converter-se nesse líder. Está há 30 anos encabeçando o pelotão, abrindo caminho para os que vêm atrás. Derrubou barreiras raciais, preconceitos e clichês como mais gosta Hollywood: fazendo dinheiro. Sua trajetória equilibra como poucos o prestígio e o sucesso comercial. E nunca triunfou por ser negro ou apesar disso. Denzel Washington está no topo porque é um grande ator. Nada mais e nada menos. Nenhum escândalo, nenhuma saída de tom (seu viralizado apoio a Donald Trump ...

    Leia mais

    Avanços e ambiguidades do pós-colonialismo no limiar do século 21

    O estatuto dos Estudos Pós-coloniais Por Thomas Bonnici, do UEFS O campo de Estudos pós-coloniais ganhou proeminencia desde os anos 1970. Embora The Palm-Wine Drinkard, do nigeriano Amos Tutuola, publicado em 1952, seja considerado o primeiro romance pós-colonial, poderia datar a introdução dos Estudos Pós-coloniais na academia ocidental a partir do Orientalismo (1978), de Edward Said (1935-2003), que analisou a fabricação e a construção ocidental do Oriente. Essa corrente cresceu dentro da academia e o termo pós-colonial foi consolidado pela publicação em 1989 de The Empire Writes Back: Theory and Practice in Post-Colonial Literatures, dos australianos Bill Ashcroft, Gareth Griffiths e Helen Tiffin. Desde entao, a terminologia Commonwealth Literatures e Third World Literatures, usada para descrever a literatura das ex-colônias européias, praticamente caiu em desuso. Embora haja muito debate sobre os parâmetros precisos do campo do pós-colonialismo, o termo Estudos pós-coloniais, geralmente aceito, é o estudo das interaçoes entre as naçoes ...

    Leia mais

    Mostra Motumbá: memórias e existências negras, que acontece até março no Sesc Belenzinho

    enviado por Baobá Comunicação, para o Portal Geledés Para o início do ano, a mostra apresenta show de Martinho da Vila e a peça teatral “Namíbia, Não!”, dirigida por Lázaro Ramos Iniciada em novembro e com programação até março de 2017, a mostra ‘Motumbá: Memórias e Existências Negras’, evento que toma espaços do Sesc Belenzinho com ações que exaltam a riqueza e a variedade da produção cultural de matrizes africanas e periféricas, chega a 2017 com apresentações de diversas linguagens que contemplam a diversidade das expressões artísticas negras. De show do cantor Martinho da Vila (5 a 8/1), passando por oficinas, debates, performances, além de apresentações teatrais e de dança, foram selecionadas atividades que trazem ao público um intercâmbio de idéias e percepções, sempre a preços populares ou com entrada gratuita. Sambista de grande prestígio, Martinho da Vila sobe ao palco do Sesc Belenzinho com show inédito, concebido especialmente para o projeto ...

    Leia mais

    Politicamente correto, uma defesa

    Porque as pessoas desprivilegiadas podem nomear a si mesmas. enviado por Alex Castro do Papo de Homem para o Portal Geledés Nosso uso da língua é e sempre foi político. Não existe, nem poderia existir, linguagem neutra. O politicamente correto serve para destruir essa ilusão: seu grande mérito é escancaradamente politizar a palavra. Escancarando a vida política das palavras Até pouco tempo atrás, uma pessoa brasileira desatenta poderia até pensar que a palavra "presidente" era neutra. (Não é, nem nunca foi. Barack Obama é tão presidente dos EUA quanto Raul Castro de Cuba, mas grande parte da imprensa brasileira chama o primeiro de "presidente" e o segundo, de "ditador", como se o uso da palavra "presidente" conferisse alguma legitimidade que querem negar ao cubano.) Em 2010, entretanto, elegemos uma mulher para a presidência da República e ela manifestou seu desejo de ser chamada de "presidenta", palavra dicionarizada em nossa língua desde ...

    Leia mais
    Página 1 de 3 1 2 3

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist