sábado, setembro 24, 2022
InícioQuestões de GêneroViolência contra MulherAngelina Jolie inaugura centro de combate à violência contra a mulher

Angelina Jolie inaugura centro de combate à violência contra a mulher

A estrela de cinema, de 39 anos, apresentou o Centro sobre as Mulheres, Paz e Segurança

no R7

A atriz americana Angelina Jolie inaugurou nesta terça-feira (12) na LSE (Universidade London School of Economics), no Reino Unido, o primeiro centro da Europa dedicado a defender as mulheres em zonas de guerra.

A estrela de cinema, de 39 anos, apresentou o Centro sobre as Mulheres, Paz e Segurança, que terá como objetivo se situar no cerne do debate sobre a questão da mulher.

O local reunirá acadêmicos, ativistas e políticos para abordarem temas sobre a proteção à mulher nas zonas de guerra, assunto ao qual se dedicou a artista nos últimos anos.

A intenção é pesquisar o fenômeno da violência sexual em regiões de conflitos e a encontrar medidas para reduzir esse problema, além de promover o papel da mulher na política.

“O fortalecimento da mulher tem que ser uma das prioridades para as melhores mentes e instituições acadêmicas”, destacou Angelina Jolie, acompanhada na inauguração por William Hague, ex-ministro de Relações Exteriores britânico.

Os dois lideraram em junho em Londres a Cúpula Global contra a Violência Sexual em Conflitos, onde pediram aos governos de todo o mundo que passassem “da condenação à ação” para erradicar esse tipo de ato como arma de guerra.

A atriz ressaltou que o centro do LSE é para mulheres como a adolescente de 13 anos que conheceu há três semanas no Iraque e que, após ser usada como escrava sexual pelo grupo jihadista EI (Estado Islâmico), perdeu a vontade de ir à escola.

“Essas meninas devem concluir os estudos, casar e formar uma família e evitar a rejeição em suas sociedades”, disse a atriz, que é enviada especial do Acnur (Alto Comissariado da ONU para os Refugiados). Recentemente, Angelina Jolie esteve no Iraque, onde se reuniu com alguns dos vários refugiados que foram forçados a abandonar seus lares por conta da guerra.

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench