Bahia e Sergipe recebem, nesta 6ª feira, unidades móveis para levar Lei Maria da Penha para o campo e a floresta

Cada estado receberá dois ônibus. No ato, Sergipe fará adesão ao programa ‘Mulher, Viver sem Violência’, tornando-se a sétima unidade federativa a compor a iniciativa que visa integrar serviços públicos e humanizar o atendimento às vítimas da violência de gênero

Mais quatro ônibus adaptados para circular em áreas rurais e levar serviços de segurança e justiça às mulheres do Nordeste. Esta é a entrega que a ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), fará nesta sexta-feira (20/09), em Aracaju, para o governador em exercício de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB-SE), e a secretária estadual da Mulher da Bahia, Vera Lúcia Barbosa, representante do governador Jaques Wagner na cerimônia. Bahia e Sergipe receberão, cada um, dois ônibus.

Além de receber duas Unidades Móveis para Mulheres em Situação de Violência no Campo e na Floresta, Sergipe formalizará a adesão ao programa ‘Mulher, Viver sem Violência’, da SPM. O documento será assinado pela ministra Eleonora; pelo governador em exercício Barreto; pelo prefeito de Aracaju, João Alves (DEM-SE); pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Cláudio Chagas; pelo procurador-geral de Justiça de Sergipe, Orlando Rochadel Moreira; e pelo defensor público-geral em exercício, Jesus Jairo Almeida de Lacerda. Estarão presentes, a secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres da SPM, Aparecida Gonçalves; e as secretárias de Políticas para as Mulheres da Bahia, Vera Lúcia Barbosa, e de Sergipe, Maria Teles.

Em seguimento ao Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, o programa visa articular o atendimento integral das vítimas por meio de serviços públicos de segurança, justiça, saúde, assistência social, acolhimento, abrigamento e orientação para trabalho, emprego e renda na Casa da Mulher Brasileira. Reforça a rede existente de serviços públicos de governos estaduais, Distrito Federal, municípios-polo, tribunais de justiça, ministérios e defensorias públicas.

O ‘Mulher, Viver sem Violência’ é formado por seis eixos estratégicos: construção, reforma predial, equipagem e manutenção da Casa da Mulher Brasileira – uma por capital; transformação da Central de Atendimento à Mulher- Ligue 180 em disque-denúncia; organização dos serviços na saúde e na coleta de vestígios de crimes sexuais, em parceria com os ministérios da Saúde e da Justiça; criação de seis núcleos de atendimento em fronteiras secas para enfrentar o tráfico de mulheres; campanhas continuadas de comunicação para prevenção da violência; e unidades móveis para o acolhimento de mulheres rurais.

Ônibus itinerantes – Os veículos começaram a ser doados, no início de agosto, pela SPM aos governos estaduais. Atendem reivindicação da Marcha das Margaridas, em 2011, apresentada à presidenta da República, Dilma Rousseff, para reforçar a oferta de serviços públicos para aplicação da Lei Maria da Penha no campo e na floresta. Na época, as lideranças solicitaram dez veículos, os quais foram ampliados, dois por estado e o DF, pela presidenta Dilma.
Ao todo, a SPM adquiriu 54 veículos – dois por unidade federada – com investimento total de R$ 30 milhões. Com Bahia e Sergipe, sobe para 12 a quantidade de ônibus entregues. Até o momento, DF, Espírito Santo, Goiás e Paraíba já receberam as unidades móveis.
Início da operação – O funcionamento das unidades móveis será definido por organismos estaduais de políticas para as mulheres e lideranças rurais. A partir de articulação da SPM, do Fórum Nacional de Enfrentamento a Violência contra as Mulheres do Campo e da Floresta e da coordenação da Marcha das Margaridas, vinculada à Confederação Nacional dos Trabalhadores em Agricultura (Contag), a expectativa é constituir Fóruns Estaduais de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres do Campo e da Floresta, para a determinação de itinerários e de serviços de justiça e de segurança pública, a serem prestados nas unidades móveis.

Entrega de Unidades Móveis para Mulheres em Situação de Violência no Campo e na Floresta para os estados da Bahia e de Sergipe
Adesão de Sergipe ao ‘Mulher, Viver sem Violência’
Data: 20 de setembro de 2013 (sexta-feira)
Horário: 10h
Local: Auditório Atalaia – CIC (Av. Prefeito Heráclito Rollemberg, 4010) – Aracaju/SE

Assessoria de Comunicação Social
Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPM
Presidência da República – PR
61 3411 4214 / 4228 / 4229 / 5807 / 5887
www.spm.gov.br

 

Fonte:SPM

+ sobre o tema

Não deixe a sua cor passar em branco – o que esperar para o Censo de 2010

  "Afastada a questão de desigualdade, resta na transformação biológica...

Não se pode ser, ao mesmo tempo, feminista e sionista

Próximo ao checkpoint de Qalandiya na Cisjordânia, vejo quando...

KBELA – Uma experiência audiovisual sobre ser mulher e tornar-se negra

O que pode acontecer quando mulheres negras decidem narrar...

Feminismos negros e a renovação política do “Dia Internacional das Mulheres”

Este artigo integra o “Dossiê Feminismo e Política”, do...

para lembrar

Os monstros da minha casa

Desenhos de crianças retratando o abuso que sofreram Esses são...

DJs indígenas militam em favor de igualdade racial e de gênero

Cris Pantoja e Renata Machado caíram na profissão de...

Vereadores de SP aprovam lei que permite presença de doulas em hospitais e maternidades da cidade

Vereadores de São Paulo aprovaram na última quarta-feira (7)...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=