Apresentador Boris Casoy irá responder na Justiça por crime de preconceito

Boris Casoy irá responder na Justiça
BÓRIS CASOY (FOTO: REPRODUÇÃO/JORNAL DA NOITE)

Apresentador Boris Casoy irá responder na Justiça por crime de preconceito.

Duas entidades representativas anunciaram que vão entrar com três ações contra o apresentador Boris Casoy — uma delas criminal — e duas contra a TV Band. Nos processos contra emissora e jornalista, o Siemaco (Sindicato dos Trabalhadores de Empresa de Prestação de Serviço de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo) e a Fenascom (Federação Nacional dos Trabalhadores em Serviços, Asseio e Conservação, Limpeza Urbana, Ambiental e Áreas Verdes) vão pedir indenização de reparação civil em nome dos dois garis, Francisco Gabriel e José Domingos de Melo, cujas aparições no “Jornal da Band” motivaram as declarações de Boris; e por danos morais, em favor de toda a categoria.

A ação criminal, impetrada somente contra o apresentador, é por crime de preconceito. Boris Casoy irá responder na Justiça
e o valor do ressarcimento não foi estipulado pelas entidades, que preferiram deixar a decisão ao juiz que analisará o caso.

Fonte: Correio Web

+ sobre o tema

Após denunciar ofensa racista, Tia Má é ameaçada de morte

O MOTIVO DAS AMEAÇAS SERIA O FATO DE A...

Tati Quebra Barraco acusa PM de matar seu filho

A funkeira carioca Tati Quebra Barraco acusou a Polícia...

para lembrar

Nega maluca: black face é racismo!

O país do Carnaval é o país da brincadeira....

Questionário – Racismo no Carnaval de Salvador

O projeto de pesquisa ora iniciado objetiva estudar a...

Meritocracia é discurso para manter a desigualdade social e racial, revela historiador

O historiador e professor do Instituto de Filosofia e...

Ato marca cinco anos do dia de maior repressão das Jornadas de Junho

Sérgio Silva, fotógrafo que perdeu a visão por disparo...
spot_imgspot_img

Educação escolar de negros com deficiência é marcada por capacitismo e racismo

Apesar da acessibilidade ser um direito garantido por lei para as pessoas com deficiência, a falta de ambientes acessíveis foi um dos principais problemas...

Em ‘Sitiado em Lagos’, Abdias Nascimento faz a defesa do quilombismo

Acabo de ler "Sitiado em Lagos", obra do ativista negro brasileiro Abdias Nascimento, morto em 2011, no Rio de Janeiro. A obra, publicada agora pela...

Registros de casos de racismo aumentam 50% entre 2022 e 2023 no estado de SP

Números obtidos via Lei de Acesso à Informação pela TV Globo, mostram que o número de ocorrências registradas por racismo e injúria racial tiveram alta...
-+=