Ator rejeita papel de FHC e diz que filme da Lava Jato é propaganda tucana

Filme sobre a operação Lava Jato voltou a ser criticado na imprensa; a película, que obteve de maneira ilegal imagens da condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, recebeu comentários negativos do ator da Globo Herson Capri; segundo o colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, Herson Capri foi convidado para representar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) no filme; “O artista recusou. Publicamente, ele não fala sobre o assunto, em respeito aos colegas, profissionais que ele ‘respeita muito, independentemente da posição política’. Mas, a um amigo, Capri disse que o filme é ‘uma peça de propaganda do governo do PSDB, do Plano Real e do mandato do FH, visando a 2018′”, diz Ancelmo Gois em sua coluna deste domingo, 2; assista a vídeo em que o ator Ary Fontoura, que interpreta Lula, revela como teve acesso às imagens da condução coercitiva do ex-presidente

No Brasil 247

O filme sobre a operação Lava Jato “Polícia federal – A lei é para todos” voltou a ser criticado na imprensa. A película, que obteve de maneira ilegal imagens da condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, recebeu comentários negativos do ator da Globo Herson Capri.

Segundo o colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, Herson Capri foi convidado para representar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) no filme. E teria recusado o convite. “Publicamente, ele não fala sobre o assunto, em respeito aos colegas, profissionais que ele ‘respeita muito, independentemente da posição política’. Mas, a um amigo, Capri disse que o filme é ‘uma peça de propaganda do governo do PSDB, do Plano Real e do mandato do FH, visando a 2018′”, diz Ancelmo Gois em sua coluna deste domingo, 2.

Leia a nota:

Contra o Plano Real? 

A produção do filme “Polícia Federal – Al lei é para todos”, sobre a Lava Jato, convidou Herson Capri para o papel de FH. O artista recusou. Publicamente, ele não fala sobre o assunto, em respeito aos colegas, profissionais que ele “respeita muito, independentemente da posição política”. Mas, a um amigo, Capri disse que o filme é “uma peça de propaganda do governo do PSDB, do Plano Real e do mandato do FH, visando a 2018”.

O filme polêmico, que é financiado por um investidor de identidade não revelada, é alvo de críticas por todos os lados. Neste fim de semana, o diretor da revista Carta Capital, Mino Carta, apontou ilegalidades na produção do longa e disse que a obra é mais uma prova de que a lei não é para todos. “A que se destina a obra? Que papel se atribui a Lula ainda em julgamento baseado nas convicções do promotor Dallagnol, um dos heróis da película? Fácil imaginar que o ex-presidente venha a ser o vilão, de sorte a favorecer a convicção do pregador da guerra santa”, diz Mino Carta. “Estamos diante de um absurdo total, um acinte jurídico, para se somar a tantos deslizes e irregularidades cometidos na República de Curitiba”, afirma.

Assista a entrevista do ator Ary Fontoura, que faz o papel de Lula no filme, revelando como teve acesso às imagens da condução do ex-presidente Lula:

+ sobre o tema

Detenção de Mano Brown exemplifica a mensagem de Cores e Valores

Pedro Paulo Soares Pereira, 44 anos, também conhecido como...

Do outro lado do rio – Por: Fernanda Pompeu

Existiu um tempo na minha vida em que...

Últimas tropas de combate dos EUA deixam o Iraque

Segundo redes americanas, tropas deixam o país em direção...

Manifesto pede a Lula indicação inédita de ministra negra para o STF

Entidades jurídicas lançam nesta quarta-feira (8) um manifesto pela indicação...

para lembrar

Justiça cassa 13 vereadores em São Paulo; advogado diz que lei não proíbe doações

Fonte:UOL - A Justiça Eleitoral de São Paulo cassou...

Contra Covid-19, IBGE antecipa dados sobre indígenas e quilombolas

O IBGE estima que no Brasil existiam 7.103 localidades...

Procon-SP alerta sobre oferta de produtos nas redes sociais

Cada vez mais usadas como ferramentas para o...

Maioria acha que Obama não mereceu Nobel

Fonte: Blog Sérgio Dávila - Pesquisa Gallup divulgada hoje confirma...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=