Brasil adere à aliança internacional por direitos de pessoas LGBTQIA+

Enviado por / FontePor Jamil Chade, do UOL

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva anunciou a adesão do Brasil à “Equal Rights Coalition”, aliança intergovernamental de países comprometidos em pôr fim à violência e à discriminação contra lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros, intersexuais e outras identidades de gênero e orientações sexuais em todo o mundo.

A medida da seguimento ao processo conduzido pelo atual governo de reposicionamento do Brasil em debates sobre gênero e direitos humanos, depois de quatro anos nos quais o governo de Jair Bolsonaro se aliou aos grupos mais conservadores e de combate à expansão de direitos.

A aliança da qual o Brasil agora faz parte conta com 43 países, entre eles os EUA, Israel, França, Reino Unido e Alemanha, além de todas as sociedades escandinavas.

Na América Latina, fazem parte do bloco os governos da Argentina, Chile, Costa Rica, Equador, Honduras e Uruguai.

De acordo com o Itamaraty, a aliança atua para defender esse segmento da população em debates e votações na ONU, OMS e outras entidades.

“Histórico promotor dos direitos das pessoas LGBTQIA+ nos foros internacionais, o Brasil defende que o princípio da igualdade e o combate a toda e qualquer forma de discriminação passam pelo pleno reconhecimento dos direitos humanos de indivíduos LGBTQIA+ “, afirmou.

Nesta semana, o UOL revelou a decisão do governo Lula de adiar a visita de uma relatora da ONU para direitos das mulheres. Sua postura sobre gênero e sobre o movimento trans é considerado como divergente do posicionamento das autoridades no Brasil.

Oficialmente, o governo diz que está buscando uma nova data para a visita. Mas indicou que isso ocorreria apenas em 2024.

+ sobre o tema

Arthur, transexual de 13 anos: “Acham que só quero chamar atenção”

Mesmo enfrentando preconceito e incompreensão fora de casa, o...

O discurso da tolerância como domesticação

Apenas uma sociedade profundamente intolerante pode invocar a necessidade...

Sem alarde nem preconceito Vigor aborda homossexualidade em anúncio para Facebook

Pode até ser que abordar homossexualidade em 2014 já...

Expulso de casa por ser gay, jovem divulga vídeo de briga com os pais

Pais evocam argumentos bíblicos para dizer que filho gay...

para lembrar

Lula ataca falta de decisão de organismos internacionais

Genebra - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva...

Justiça autoriza que Lula seja libertado e deixe a PF em Curitiba

A Justiça autorizou a saída do ex-presidente Luiz Inácio...

Lula indica a advogada Vera Lúcia para compor o plenário do TSE

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva indicou a...
spot_imgspot_img

Segunda mulher negra na história do TSE toma posse como ministra da Corte

Primeiro foi a mineira Edilene Lôbo, advogada de Taoibeiras (MG) que em 8 de agosto de 2023 foi pioneira ao tomar posse como primeira...

Quer namorar comigo?

Todos os dias me deparo com situações que evidenciam a urgência de alçar a questão racial ao centro do debate dos principais problemas do...

Fundamentalismo não pode impedir políticas para a população trans e travestis

Neste ano, os desafios das defensoras dos direitos da população LGBTQIA+ serão a superação da instrumentalização do pânico moral em torno das nossas pautas e estabelecer...
-+=