Brittney Griner volta a jogar após prisão na Rússia e é abraçada por Kamala Harris: ‘Dia de alegria’; vídeo

Enviado por / Fonte Por AFP, no O Globo

Ídolo do Los Angeles Lakers Earvin 'Magic' Johnson também acompanhou a partida

Brittney Griner fez um retorno emocionante ao basquete feminino nesta sexta-feira, jogando sua primeira partida competitiva em quase dois anos após sua prisão na Rússia.

Griner, que foi libertada pela Rússia como parte de uma troca de prisioneiros no ano passado, fez sua primeira aparição em um jogo da WNBA em 579 dias, quando o Phoenix Mercury enfrentou o Los Angeles Sparks na abertura da temporada na Califórnia.

A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, estava entre os simpatizantes na Crypto.com Arena, no centro de Los Angeles, quando a superestrela da WNBA finalmente voltou à ação.

A duas vezes medalhista de ouro olímpica causou uma impressão instantânea em seu retorno, vencendo a partida e marcando quatro pontos enquanto o Mercury saltava para uma vantagem inicial de 7-0.

— Foi bom — disse Griner em uma entrevista na quadra no final do primeiro quarto. — Foi muito bom. Parecia a última vez que joguei — acrescentou.

Griner acabou terminando com 18 pontos e seis rebotes, mas não conseguiu evitar a derrota do Phoenix por 94-71. O resultado, no entanto, foi quase uma nota de rodapé para uma ocasião que a técnica do Phoenix, Vanessa Nygaard, descreveu como um “dia de alegria”.

— Durante toda a última temporada, abri todas as coletivas de imprensa com quantos dias ela se foi — disse Nygaard. — E até o dia em que recebemos a notícia pela manhã de que ela estava a caminho de casa, ninguém pensou que isso fosse acontecer. Fizemos nosso trabalho provavelmente com menos alegria do que os atletas profissionais fazem. Foi pesado todos os dias. Mas é ótimo ter este jogo hoje. Hoje é um dia de alegria.

— Estou tão feliz que ela está em casa. É um milagre que ela esteja aqui e todos que vão ver este jogo hoje vão testemunhar um milagre que ela voltou de uma prisão russa e está jogando basquete na WNBA novamente — finalizou a treinadora.

As celebridades na quadra na sexta-feira incluíram a lenda do tênis Billie Jean King, o ícone do Los Angeles Lakers Earvin “Magic” Johnson e o atual técnico do Lakers, Darvin Ham.

‘Uma equipe é uma equipe’

Pouco antes do apito inicial, o vice-presidente Harris parabenizou os jogadores do Phoenix por garantir que o caso de Griner não fosse esquecido.

— Obrigado por tudo que vocês fizeram para apoiar Brittney, porque eu sei que foi difícil — disse Harris em um discurso no vestiário. — Isso foi tão difícil para vocês porque um time é um time. Isso é uma família.

O chefe do sindicato dos jogadores da WNBA e atacante do Sparks, Nneka Ogwumike, agradeceu a Harris e ao governo Biden por ajudar a garantir a libertação de Griner.

— Esta noite é um jogo, mas também estamos comemorando o retorno de um dos nossos — disse Ogwumike.

Griner, de 32 anos, campeão da WNBA e pioneira LGBTQIA+, foi presa por porte de drogas em um aeroporto de Moscou em fevereiro de 2022, em um cenário de crescente tensão sobre a Ucrânia. No momento de sua prisão, Griner jogava por um time profissional na Rússia, como vários jogadores da WNBA fazem fora da temporada.

Ela foi acusada de possuir uma pequena quantidade de óleo de cannabis e condenada em agosto a nove anos de prisão. A atleta se declarou culpada das acusações, mas disse que não pretendia infringir a lei ou usar a substância proibida na Rússia.

Griner acabou sendo libertada como parte de um acordo que a viu trocada pelo notório traficante de armas russo Viktor Bout – conhecido como o “mercador da morte” – em dezembro.

A treinadora do Phoenix, Nygaard, por sua vez, disse esperar que sua equipe se beneficie do fator de bem-estar em torno do retorno de Griner.

— Passamos por todas as cidades no ano passado e BG foi a história — disse Nygaard. — Este ano será uma história de alegria, amor e felicidade. Portanto, essa energia positiva provavelmente ajudará nossa equipe e será menos uma distração. Trouxemos essa mulher, essa mulher negra e gay de uma prisão russa, e os Estados Unidos fizeram isso porque a valorizavam — acrescentou.

+ sobre o tema

Mbp + lançamento da marcha das mulheres negras no Rio

Na última Sexta-feira o Coletivo Meninas Black Power teve...

Laura Cardoso, aos 89 anos: ‘O feminismo é necessário. Sou feminista desde menina’

"Desculpas esfarrapadas", disse a atriz sobre o caso Zé...

Lea T, a transexual que vai fazer história na abertura da Olimpíada

Levantar a bandeira da inclusão e ser porta-voz da...

Trabalho pós parto

A mãe solo Thaiz Leão, 29, está atarefada. Muito...

para lembrar

Estudo diz que muitos homofóbicos são homossexuais enrustidos

O Departamento de Psicologia da Universidade da Georgia (EUA)...

Esta mulher terminou um relacionamento abusivo e quer que você faça o mesmo

"Eu pensei muito sobre fazer e publicar este vídeo....

Mães que adotam também têm direito ao salário-maternidade

As mães que adotam ganharam só no fim do...

Senado discute participação mínima de mulheres em conselhos de empresas públicas

Brasília – Senadores, representantes de empresas privadas e especialistas...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=