Cerimônia reconhece união estável homoafetiva de casais

Esta foi a segunda celebração deste tipo realizada no TJ-RJ e a terceira no Estado do Rio

 

RIO – Cerca de 90 casais participaram neste domingo (9) de cerimônia coletiva de reconhecimento judicial de união estável homoafetiva no Tribunal de Justiça do Rio. Foi a segunda celebração deste tipo realizada no TJ-RJ e a terceira no Estado do Rio.

Servidores públicos homossexuais do TJ estavam entre os que selaram a união estável com seus parceiros e parceiras. A cerimônia foi conduzida pela juíza Cristiana de Faria Cordeiro. A desembargadora Cristina Gaulia, idealizadora do Programa de Oficialização de União Estável Homoafetiva no Tribunal de Justiça, também participou da mesa.

As cerimônias foram precedidas por uma performance da atriz e cantora Jane Di Castro. A desembargadora aposentada e presidente da Comissão Especial da Diversidade Sexual do Conselho Federal da OAB, Maria Berenice Dias, foi uma das madrinhas simbólicas dos casais.

 

 

Fonte: Estadão 

+ sobre o tema

Sobre o Encontro de Mulheres Negras do Cone Sul na Argentina

No dia 17 de fevereiro de 2018 foi realizada...

Uma cena cheia de identidade

Em seu mais recente livro, Larissa Ibúmi Moreira mapeia...

Bancada evangélica agora investe na “cura” dos gays

Na Câmara, a Comissão de Seguridade Social e Família...

Jovem é agredido e diz ser vítima de homofobia durante show sertanejo: ‘Medo de morrer’

Organização diz que seguranças agiram após o jovem exibir...

para lembrar

Aprovada no Sisu, travesti Maria Clara Araújo pede igualdade após entrar UFPE

A estudante pernambucana Maria Clara Araújo, de 18 anos, foi...

Expulso de casa por ser gay, jovem divulga vídeo de briga com os pais

Pais evocam argumentos bíblicos para dizer que filho gay...

Primeira prefeita negra eleita, Tânia Terezinha quebra preconceitos

O município de Dois Irmãos, no Vale do Sinos,...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Moraes libera denúncia do caso Marielle para julgamento no STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta terça-feira (11) para julgamento a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra...
-+=