Chanceler brasileiro negocia na Argentina primeira viagem internacional da presidenta

Ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota passou o dia na capital Argentina. A viagem faz parte das negociações sobre o início da agenda internacional da presidenta Dilma Rousseff. Patriota conversou com a presidente Cristina Kirchner e o ministro das Relações Exteriores argentino, Héctor Timerman. No próximo dia 31, Dilma desembarca em Buenos Aires.

Como avisou no discurso de posse, Dilma quer dar prioridade à política regional na América do Sul e no Caribe. Tanto é que até março ela reservou espaço na agenda para viagens ao Paraguai, Uruguai e Peru. Na região, a Argentina é o principal país parceiro comercial.

O Brasil é o principal destino das exportações argentinas e o principal fornecedor do país. Em 2010, o intercâmbio chegou a US$ 32,9 bilhões, superando a marca histórica de US$ 30,8 bilhões – registrada em 2008. O comércio bilateral é caracterizado, sobretudo, pelo elevado índice de produtos industrializados de alto valor agregado, refletindo a integração crescente de cadeias produtivas entre os dois países.

No caso das relações Brasil e Argentina, o diálogo deve ser dominado por conversas nas áreas econômica e comercial, segundo assessores. Porém, a Argentina vive um momento político e econômico delicado. No fim do ano passado, houve desabastecimento de combustíveis e faltaram produtos nas prateleiras dos supermercados. Houve ainda apagões em algumas cidades. Em outubro, há eleições presidenciais no país e a corrida já começou.

De acordo com o Itamaraty, Patriota e Timerman devem discutir as próximas ações no Mecanismo de Integração e Coordenação Brasil-Argentina (Micba). A ideia é manter as reuniões presidenciais semestrais. Também devem conversar sobre os foros regionais e multilaterais, como o Mercosul e a União das Nações Sul-Americanas (Unasul).

A visita de Patriota ocorre dois dias antes de a Argentina assumir a presidência do chamado G77 mais a China. O grupo, formado por países em desenvolvimento, foi criado em 1964 com o objetivo de manter a coordenação das ações de articuação sobre interesses econômicos e comerciais em bloco. Uma das prioridades é a busca por acordos mais justos nas relações Sul-Sul.

Fonte: Correio do Brasil

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

Por que os psicopatas chegaram ao poder

Há uma dimensão pouco examinada no avanço das lógicas...

Navio de guerra brasileiro resgata 220 imigrantes no Mediterrâneo

A Marinha brasileira afirmou ter resgatado 220 imigrantes no...

Ser negro no Brasil

Ser negro no Brasil de hoje requer de...

Maioridade Penal será votada nesta terça na CCJ.

Contrário à PEC que reduz a maioridade penal no...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=