terça-feira, agosto 9, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaEntretenimentoClássico do Teatro Negro Brasileiro, Sortilégio, de Abdias Nascimento, ganha nova edição...

Clássico do Teatro Negro Brasileiro, Sortilégio, de Abdias Nascimento, ganha nova edição com texto definitivo

Escrito em 1951, lançado em 1959 e revisto em 1978, o texto corrobora a atualidade do pensamento do autor, cuja criação passou do moderno ao contemporâneo. Evento de lançamento será no Terreiro Contemporâneo, reduto do teatro negro carioca

Duas datas fundamentais para a história brasileira marcam este ano em que a nova edição da peça de Abdias Nascimento, Sortilégio, é disponibilizada ao público: os 200 anos da independência e os 100 anos da Semana de Arte Moderna. Ambos eventos constituem-se como referenciais primeiros da identidade nacional, registrada como fenômeno notadamente de memória branca e paulista – que, consequentemente, marca os cânones do imaginário nacional. A peça Sortilégio e a atuação do Teatro Experimental do Negro (TEN), fundado em 1944 por Abdias Nascimento, são manifestações que questionam a vigência de identidade e memória forjadas no eurocentrismo. A vida e a obra de Abdias Nascimento foram dedicadas ao desafio de pensar, valorizar e criar referenciais outros que dessem conta da diversidade de pensamentos e oferecessem novos protagonismos à identidade brasileira. Nesse sentido, ele atuou na transição entre duas eras: a do modernismo e a do contemporâneo.  

“Qual é o sortilégio que lança o moderno para o contemporâneo, senão a magia que emana do emergir de culturas há séculos suprimidas ao jugo do colonialismo? Ao tomar a palavra na sua própria língua, por assim dizer, e lançá-la na arena do discurso público, os criadores dessas culturas desafiam o jogo do poder, mudam padrões, desmontam narrativas e hierarquias estabelecidas. Abdias Nascimento foi precursor e continuador desse processo. Ao fundar o Teatro Experimental do Negro (TEN) em 1944, ele atuava ao lado de companhias de vanguarda como Os Comediantes. O TEN participou ativamente do parto do teatro moderno no Brasil. Mas seu forte impacto na cena cultural da época ficou, ao mesmo tempo, fartamente documentado e mantido oculto”. É o que Elisa Larkin Nascimento, companheira de Abdias Nascimento por 40 anos, autora e fundadora do IPEAFRO, afirma no prefácio à nova edição de Sortilégio

Para o premiado ator e diretor teatral Ângelo Flávio, responsável pela produção, roteiro e direção cênica do evento, o texto de Sortilégio é um clássico do teatro brasileiro. Afirma o diretor: “para mim, que dirigi a estreia mundial desta obra em 2014, em Salvador, que teve ampla repercussão nacional, é uma honra, uma alegria e uma responsabilidade muito grande assumir o compromisso de produzir o lançamento desta obra fundamental para o legado do teatro negro no Brasil. Sortilégio retrata o sintoma social do povo negro no país, além de ser, em minha opinião, o maior clássico do teatro negro no Brasil”. 

Para celebrar o lançamento nacional do texto definitivo da peça escrito pelo professor Abdias Nascimento em 1951 e reelaborado em 1978, o IPEAFRO realiza evento no Terreiro Contemporâneo, reduto do teatro negro no Rio de Janeiro, em 13 de julho, às 19h, com entrada gratuita ao público. A programação inclui leituras dramatizadas e performances artísticas sobre o texto de Sortilégio. Participam da atividade: Wilson Rabelo, Ana Paula Black, Nádia Bittencourt, Mônica Nêga, Heloísa Jorge, Flávia Souza, Reinaldo Júnior e Cridemar Aquino; além da Confraria do Impossível e Cia. Rubens Barbot. Serão exibidos vídeos produzidos com base no acervo IPEAFRO ressaltando trabalhos de Abdias Nascimento ligados ao Teatro Experimental do Negro. A programação inclui, ainda, uma noite de autógrafos com a autora do livro Abdias Nascimento, a Luta na Política, Elisa Larkin Nascimento. A publicação aborda o ativismo político de Abdias Nascimento.

Os dois livros, edições da Editora Perspectiva em parceria com o Ipeafro, abordam as dinâmicas entre arte e política na vida e obra de Abdias Nascimento. Para ele, a arte foi um meio para enfrentar a urgente questão política das condições de vida das populações negras no Brasil e no mundo. Seu maior objetivo era combater o genocídio do negro brasileiro, que persiste até hoje: no Brasil, um jovem negro é morto violentamente a cada 23 minutos. Escreveu Abdias Nascimento: “Nosso Teatro seria um laboratório de experimentação cultural e artística, cujo trabalho, ação e produção explícita e claramente enfrentavam a supremacia cultural elitista-arianizante das classes dominantes” (Abdias Nascimento, O Quilombismo, 2019; pág 92-93).

TERREIRO CONTEMPORÂNEO

O Terreiro Contemporâneo foi idealizado e fundado pelos criadores da ‘Cia Rubens Barbot’, primeira companhia de dança negra contemporânea do Brasil: o bailarino e coreógrafo Rubens Barbot e o coreógrafo e diretor Gatto Larsen. Localizado no centro do Rio de Janeiro, o Terreiro Contemporâneo funciona para acolher, lapidar e desenvolver talentos negros por meio da arte. Atua para manter o legado negro vivo na cidade do Rio de Janeiro, abrigando coletivos e atividades de dança, cinema e teatro.

SINOPSES DOS LIVROS

1. SORTILÉGIO

Incrível a atualidade da peça. A cada vez que nos deparamos com um texto de Abdias Nascimento, salta aos olhos o frescor, a pertinência e a contundência de sua prosa ou poesia, de seus diálogos, de sua força, de sua capacidade como orador. Sortilégio escancara a brutalidade do racismo no Brasil, denuncia a farsa da democracia racial e ainda ilumina e se abre para uma poderosa cultura brasileira de matriz africana. Esta edição marca o estabelecimento do texto definitivo da peça, musicado por Nei Lopes, e traz análise de Elisa Larkin Nascimento sobre as encruzilhadas e os diálogos que a obra provoca entre o masculino e feminino, o moderno e o contemporâneo. Em texto do diretor, produtor e gestor cultural Jessé Oliveira, o livro traz os realizadores atuais de teatro negro à cena, além de entrevistas com Léa Garcia, atriz protagonista da montagem de estreia em 1957, e Ângelo Flávio Zuhalê, diretor da montagem de 2014, centenário de Abdias Nascimento. FICHA TÉCNICA

Autor: Abdias Nascimento

Apresentação e Prefácio: Elisa Larkin Nascimento

Participação: Léa Garcia, Jessé Oliveira e Ângelo Flávio Zuhalê

Assunto: Teatro / Dramaturgia

Coleção: Paralelos

Formato: Brochura

Dimensões: 14 x 21 cm

160 páginas

ISBN 9786555051087

E-book: 9786555051094

Lançamento: 27/05/2022

2. ABDIAS NASCIMENTO, A LUTA NA POLÍTICA

Abdias Nascimento foi uma das mais importantes e brilhantes lideranças do Brasil, dedicando-se intensamente ao enfrentamento do racismo e à promoção do legado cultural afro-brasileiro. Escritor, artista plástico, dramaturgo, deixou um legado cultural incontornável através do TEN, Teatro Experimental do Negro, das pinturas que realçam sua ligação com a cultura africana e dos livros que denunciam o racismo e a violência das relações étnico raciais no Brasil. Na década de 1980, volta-se à política institucional do Congresso Nacional, onde acreditava ser necessário pôr em pauta as questões raciais e implementar políticas públicas de reparação. Muito do debate e das políticas públicas que assistimos hoje e que foram implementadas no país devemos à sua atuação parlamentar. Essa atuação é o objeto deste livro.

FICHA TÉCNICA

Autora: Elisa Larkin Nascimento

Coleção: Debates

Assunto: Política

Formato: Brochura

Dimensões: 11,5 x 20,5 cm

240 páginas

ISBN 9786555050806

E-book 9786555050813

Preço E-book: R$ 34,90

Lançamento: 29/11/2021

SERVIÇO

Evento: Lançamento dos livros Sortilégio e Abdias Nascimento, a Luta na Política

Local: Terreiro Contemporâneo – Rua Carlos de Carvalho, 53 – Centro, RJ

Data: quarta, 13 de julho, às 19h
Entrada: gratuita

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench