Corpolítica: documentário mostra experiência de candidaturas LGBTQIA+ em 2020

Enviado por / FonteDo Brasil de Fato

Filme entra em cartaz em todo país nesta quinta-feira (8) e faz um convite à participação política

O filme Corpolítica, de Pedro Henrique França, estreia nesta quinta-feira (8) em salas de cinema de todo país. O documentário mergulha na experiência de seis candidaturas LGBTQIA+ nas eleições municipais de 2020 e coloca em evidência o conceito de representatividade política. O foco da obra é investigar o baixo número de pessoas LGBTQIA+ nos espaços públicos. 

“A gente tem um discurso  – muito perigoso – apolítico. A gente tem pessoas que ainda insistem que não querem falar sobre política, e esse filme é uma convocatória para falar de política”, disse Pedro. 

Ele participou do programa Central do Brasil desta quinta-feira (8) e comentou sobre a dificuldade do público LGBTQIA+ de participar das eleições e os caminhos para aumentar esta representatividade. 

“O discurso apolítico é perigoso porque nos afasta. Quando a gente fala de subrepresentatividade, a gente fala de subrepresentatividade feminina, LGBTQIA+, negros, indígenas. A política tem que deixar de ter essa fotografia que a gente se acostumou, de homens brancos, héteros”. 

Além de constatar esses obstáculos dentro da arena política para a população LGBTQIA+, Paulo afirma que o filme tenta estimular esta participação e se colocar como uma inspiração para o surgimento de novas formas de atividade política. 

“O filme é, sem dúvida, um abraço. Ele é uma luz nesse fim do túnel. A política pode ser feita com beleza, com afeto, com amor e com a seriedade que esse lugar merece”, concluiu. 

Para conferir a entrevista completa, basta assistir a edição do Central do Brasil desta quinta-feira (8). 

Assista agora ao programa completo

E tem mais! 

A Venezuela voltou? 

O presidente venezuelano Nicolás Maduro participou recentemente de eventos internacionais, inclusive aqui no Brasil. Mas essa agenda significa o fim do isolamento diplomático do país? É o que mostra a reportagem de Lucas Estanislau, nosso correspondente em Caracas.

Medicina de luta 

O pediatra e emergencista Alexandre Bublitz atuou no atendimento aos Yanomami em Roraima como voluntário da Força Nacional do SUS. Professor na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) e médico da Prefeitura de Porto Alegre e do Hospital Presidente Vargas, Alexandre conversou com exclusividade com o Brasil de Fato Rio Grande do Sul e falou da experiência com os Yanomami. Ele também criticou o projeto que fixa o marco temporal para a demarcação das terras indígenas.

Central do Brasil é uma produção do Brasil de Fato. Ele é exibido de segunda a sexta-feira, ao vivo, sempre às 12h30, pela Rede TVT e por emissoras públicas parceiras espalhadas pelo país. 

+ sobre o tema

‘Cansei de engolir sapo’ diz médico que apura casos de abusos sexuais na USP

Paulo Saldiva, médico responsável pela apuração de casos de...

Polícia investiga estupro após discussão política no Rio

Mulher diz que foi insultada por homens enquanto falavam...

Vereadores de Fortaleza celebrarão 6 anos da Lei Maria da Penha

A Câmara Municipal de Fortaleza reserva, na próxima terça-feira,...

Debate sobre divisão de tarefas por gênero

Quantas horas por dia homens e mulheres se dedicam...

para lembrar

É preciso “coragem” para chamar uma mulher de “vaca” da janela do prédio

Durante o pronunciamento de Dilma Rousseff, em cadeia nacional...

Livro ‘Mulheres Negras Importam’ é um grito por mundo antirracista

A morte do americano George Floyd é o ponto de partida...

‘Vamos continuar resistindo’, diz Luedji Luna sobre dificuldades da mulher negra na música

Misturando diversos ritmos africanos e brasileiros nas suas composições,...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=