Cracolandia – Antes do disparo, o policial teria mandado ainda que ela abrisse a boca

‘Eu não saí da rua, o PM atirou’, diz jovem atingida por tiro de borracha na Cracolândia

Desde que começou a viver na Cracolândia, no centro de São Paulo, há quatro meses, é a primeira vez que B., de 17 anos, fica sem usar crack. Ela não parou porque quis, mas por causa do ferimento na boca, que torna quase impossível a tarefa de fumar o cachimbo.

O machucado, segundo ela, foi causado por um tiro de borracha dado propositalmente por um policial militar.

A jovem conta que na sexta-feira (6) estava sentada na calçada na rua Dino Bueno, quando policiais militares mandaram que ela levantasse.

– Eu não saí da rua, o PM atirou.

Antes do disparo, o policial teria mandado ainda que ela abrisse a boca. Na tarde desta segunda-feira (9), a jovem tinha bastante dificuldade para falar. Apesar de ter sido atendida em um posto de saúde e receber assistência do grupo religioso Cristolândia, a jovem reclama da dor causada pelo ferimento. A situação era agravada ainda pelos sintomas de abstinência.

– Não estamos mais conseguindo achar drogas.

B. diz morar em Diadema, na Grande São Paulo, mas há muito tempo não tem contato com a família.

– Minha mãe não sabe onde estou.

O caso foi registrado no 1º DP (Sé). Em nota, a PM informou que foi usada munição porque usuários de entorpecentes estavam bloqueando o trânsito. “Houve a necessidade da utilização da munição de elastômero”, diz o comunicado. A PM também convidou a adolescente a comparecer ao Comando de Policiamento 1, na Liberdade, para registrar a ocorrência.

 

 

 

Fonte: R7

+ sobre o tema

Estrangeiros, portugueses e organizações protestam contra a xenofobia na Europa

Fonte: Radioagência NP Uma manifestação contra as políticas de imigração...

Juiz condena réu por injúria racial contra professora da filha

O juiz Carlos Eduardo Lora Franco, da 3ª Vara Criminal...

PORTUGAL: Racismo nas polícias cria tensão no maior sindicato da PSP

Alguns agentes ameaçaram sair da ASPP por causa dos...

para lembrar

Hospital em NY é processado por ceder a pedido contra enfermeira negra

Mais um caso que chama a atenção para o...

Cotas na UEL: Universidade Estadual de Londrina (UEL) aprova desempenho de estudantes cotistas

  O sistema de reserva de vagas para estudantes negros...

A Justiça tem nome de mulher?

Dez anos. Uma década. Esse foi o tempo que Ana Paula...
spot_imgspot_img

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...

Presos por racismo

A dúvida emergiu da condenação, pela Justiça espanhola, de três torcedores do Valencia por insultos racistas contra Vini Jr., craque do Real Madrid e da seleção brasileira. O trio...
-+=