Declaração de deputado do Rio sobre indígenas causa indignação na Bolívia

A Bolívia reagiu com indignação, neste sábado, às declarações do deputado estadual do Rio de Janeiro Rodrigo Amorim (PSL), que afirmou que “quem gosta de índio, que vá para a Bolívia, que além de ser comunista ainda é presidida por um índio”.

por AFP no Folha de São Paulo

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

“Lamentamos o ressurgimento da ideologia de supremacia racista. Perante a intolerância e a discriminação, nós povos indígenas promovemos o respeito e a integração. Temos os mesmos direitos porque somos filhos da mesma Mãe Terra”, escreveu o presidente boliviano, Evo Morales, de origem indígena, em sua conta de Twitter, sem citar o deputado.

Segundo o jornal O Globo, Amorim, do partido do presidente Jair Bolsonaro e que foi o deputado estadual mais votado do Rio de Janeiro, fez essas declarações ao se referir à Aldeia Maracanã, um terreno onde até 1977 funcionou o Museu do Índio e que abriga famílias indígenas.

Amorim defendeu uma “faxina” no local (de 14.300 metros quadrados) para “restaurar a ordem”. Segundo o deputado, o espaço poderia servir como estacionamento, shopping, área de lazer ou equipamento acessório ao estádio do Maracanã, que fica ao lado da Aldeia.

O ex-presidente boliviano Carlos Mesa escreveu nas redes sociais: “Declaração revoltante de deputado brasileiro ofende a Bolívia e não expressa a irmandade de nossos povos. Diferenças ideológicas entre governos não justificam tal afirmação. O indígena é parte essencial de nossas identidades e nossa força como nação”.

A ministra boliviana das Comunicações, Gisela López, escreveu no Twitter que o deputado brasileiro “despreza com ignorância supina nossos antepassados, os verdadeiros donos da Pátria Grande, com palavras que demonstram cegueira e pobreza espiritual”.

+ sobre o tema

Por um jornalismo não sexista

A Língua Portuguesa não é sexista. Seu mau uso,...

Lá vem! ‘Em Família’: Luiza briga na praia para defender Alice

" Lá vem! A sindrome de Princesa Isabel das heroínas...

A cada 68 segundos, uma mulher morre de câncer de mama

Uma campanha para alertar as mulheres quanto à necessidade...

Relatório mostra violência no Brasil

Fonte:Írohín- Jornal Online-Direitos Humanos Genebra (Suíça) - A ONU alerta...

para lembrar

11 maneiras de cuidar da saúde mental em tempos de notícias difíceis

Você não está sozinho quando se sente atingido por...

MP denuncia tripulantes suspeitos de lançar camaronês em alto mar no PR

19 tripulantes foram denunciados por tortura, racismo e tentativa...

Maria Júlia Coutinho será a primeira mulher negra a apresentar o Jornal Nacional

Jornalista entra para o rodízio de apresentadores do noticiários...

Duvivier: “O humor da TV aberta bate nas mesmas pessoas que a polícia”

Ao participar do “Emergências”, no Rio de Janeiro, o...
spot_imgspot_img

Evento do G20 debate intolerância às religiões de matriz africana

Apesar de o livre exercício de cultos religiosos e a liberdade de crença estarem garantidos pela Constituição brasileira, há um aumento relevante de ameaças...

Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

A participação de Geledés - Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13,...

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...
-+=