domingo, agosto 7, 2022
InícioQuestão RacialCasos de RacismoEscritora tem Instagram hackeado, sofre racismo e ameaças; polícia investiga

Escritora tem Instagram hackeado, sofre racismo e ameaças; polícia investiga

A escritora carioca Cristiane Sobral, de 48 anos, foi alvo de comentários racistas nas redes sociais após participar da apresentação de um programa cultural de Ceilândia no fim de janeiro. Segundo Cristiane, desde a apresentação ela vem recebendo constantemente mensagens com teor de morte, além de mensagens racistas. Ela é a primeira atriz negra formada na Universidade de Brasília (UnB).

De acordo com a escritora, o computador que ela usava para trabalho foi invadido por criminosos no dia da apresentação do programa cultural em Ceilândia. Segundo a vítima, foi a primeira vez que ela recebeu ameaças de morte e teve o perfil da rede social hackeado. 

Os criminosos mudaram todas as senhas das redes sociais dela. “Segundo um técnico, eles invadiram o meu computador e hackearam todas as minhas informações. Estão usando informações pessoais minhas. Várias vezes eu já fui alvo de racismo, mas não dessa forma, com o roubo do meu perfil e ameaças de morte. Essas mensagens tinham frases como macaca, e falando que é melhor eu calar a boca porque estou falando demais, além de dizerem que eu ainda não vi o que eles fazem com mulher preta”, diz.

Ainda de acordo com Cristiane, vários dados bancários e pessoais estavam no perfil do Instagram que foi levado pelos criminosos. Mesmo após mais de duas semanas da apresentação no programa, a rede social da escritora está sob os controles dos criminosos, que pediram uma quantia para que ela tenha acesso novamente a conta.

“Eles me mandaram mensagem, pedindo 300 dólares (em reais R$ 1,5mil). O Instagram é a minha principal renda de faturamento, onde eu posso vender os meus livros. Eu não mudei de WhatsApp porque muitas pessoas ainda me encontram por lá, apesar de eu ainda estar recebendo ameaças. Se eu tivesse mudado de número, estaria incomunicável com as pessoas”, conta.

“Você imagina, nessa pandemia, que para nós artistas é tudo mais difícil. A rede social era essa vitrine onde eu poderia aparecer, oferecer e vender meus livros”, disse a escritora, que tinha 24 mil seguidores na rede social e já publicou 10 livros. Cristiane registrou boletim de ocorrência na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) da Polícia Civil, que investigará o caso. Procurada, a rede social Instagram não respondeu aos nossos questionamentos sobre as denúncias no perfil de Cristiane, que ainda está em posse dos criminosos.

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench