“Estereótipo” Rapper Rashid disseca 517 anos de história e privilégios em novo clipe

Canção contundente sobre racismo e igualdade racial estará no próximo álbum do cantor

no R7

A história dos negros no Brasil não se resume ao longo período de escravidão e, muito menos, à abolição, em 1888, tema central das comemorações do 13 de maio.

Atento à falta de profundidade, comprometimento e efetividade nos debates sobre igualdade racial e racismo o rapper Rashid compôs a música “Estereótipo”, que aborda a estrutura, a sistemática e a operacionalização do preconceito, principalmente contra jovens negros.

Há tempos que o rap brasileiro não via uma música tão rica e bem escrita sobre o tema, o beat é do Skeeter. A canção, segundo as dicas espalhadas pelo time do Rashid nas redes sociais, deve ser incluída no próximo álbum do rapper, que, por enquanto, é chamado de “Projeto em Construção”.

O videoclipe foi dirigido por Felipe Barros, também responsável pela edição das imagens captadas pelo Moysah. Na música o rapper divide os vocais com o Godô. O André Knobl toca flauta e o Renato Taimes toca a guitarra.

A letra de esterótipo cita os nomes de jovens negros assassinatos. “Quantas Cláudias se foram antes de terem a chance se serem Thaís Araújo?”, questiona o artista. Cláudia Silva Ferreira, que teve o corpo arrastado por mais de 300 metros por um carro da Polícia Militar, em 2014, em Madureira, no Rio de Janeiro.

+ sobre o tema

‘Racismo é construção política’, diz historiador sobre cultura brasileira

Luiz Claudio Dias e Tâmis Parron protagonizaram segundo debate...

Desconseguir

Eu ia dizer que falhei. E na verdade falhei...

Milhares marcham em Ferguson contra a violência policial nos EUA

A violência policial nos EUA Milhares de pessoas se manifestaram neste...

para lembrar

Sérgio Martins – Zumbi dos Palmares e outros negros.

Por: Sergio Martins Zumbi dos Palmares, hoje herói nacional, representa um...

Racismo democrático

por CARLOS LUNGARZO "Embora menos precisa, a determinação étnica...

Grupo faz protesto na PUC-Campinas contra caso de racismo em rede social

Um protesto contra o racismo em um grupo no Facebook de...

Estudar com a classe média, jogar bola com a periferia.

Algumas pessoas me chamam de extremista. Muitas não entendem...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=