Feira de emprego leva oportunidades à Cidade de Deus

O projeto Empregabilidade em Movimento que é uma grande Feira de Empregos e Oportunidades Profissionais levou àCidade de Deus, na zona oeste do Rio, informações e condições para proporcionar à população uma visão das tendências e oportunidades do atual cenário do mercado de trabalho. O projeto é realizado pelo Instituto Simetria, em parceria com a Associação Industrial e Comercial e Industrial de Jacarepaguá (ACIJA) e com apoio da G.R.E.S. Mocidade Unida da Cidade de Deus.

O Projeto Empregabilidade em Movimento surgiu da necessidade de estimular a economia local de comunidades pacificadas por meio da geração de emprego. Sabemos que hoje um dos principais problemas dessas comunidades é a diminuição do poder econômico local. Por isso, o objetivo do projeto é levar até as comunidades pacificadas do Rio de Janeiro acesso a vagas de emprego, informação sobre o mercado de trabalho e palestras convergentes ao tema.

Para realização desse projeto foram feitas parcerias pontuais com diversas empresas de médio e grande porte com a finalidade de selecionarem seus futuros profissionais. Entre as parceiras estão: Prefeitura do Rio – através da secretaria de assistência social, Mc Donald’s, CIEE(Centro de Integração Empresa-Escola), FAETEC, Nativa FM, Drogarias Pacheco, Coca-Cola, Projeto Grão, Acija (Associação Comercial e Industrial de Jacarepaguá), Nutrab, G.R.E.S Mocidade Unida da Cidade de Deus, Transamérica Prime Barra e Transportes Santa Maria.

“O Instituto Simetria acredita que em tempos de investimento, as empresas sofrem para recrutar novos colaboradores. O chamado apagão da mão de obra é um grande exemplo da necessidade de ações que aproximem o mercado de trabalho dos recursos humanos existentes nas comunidades carentes. O ‘Empregabilidade em Movimento’ foi criado para tentar diminuir os problemas econômicos atuais nesses locais”, explicou a presidente do Instituto Simetria, Neusa Nascimento.

A Cidade de Deus foi escolhida para essa primeira etapa por ser uma das maiores comunidades do Rio de Janeiro com cerca de noventa mil habitantes, sendo 50,4% jovens entre 17 e 28 anos. Segundo pesquisa publicada pelo Observatório das Favelas, 78% dos moradores da comunidade dizem não ter fácil acesso a emprego formal e o projeto pretend diminuir essa distância entre candidato e empresas.

Fonte: Correio do Brasil

+ sobre o tema

Bordadeiras querem acabar com a figura do “atravessador”

Elas foram descobertas pelo estilista mineiro Ronaldo Fraga Por Thaís...

Ter mais mulheres nos conselhos das empresas interfere no valor de sua ações?

Até aqui, o que se sabia através de pesquisas...

Dublin capital da Irlanda tem vagas de emprego para fluentes na Língua Portuguesa

Empresa de Recrutamento e Seleção procura 'Portuguese Speakers' para...

Tribunal de Justiça do Paraná abre 56 vagas na área de TI

Fonte:G1       O Tribunal de Justiça do Paraná está com inscrições...

para lembrar

Mulheres com formação técnica são maioria no mercado de trabalho, diz Rais

Em 2013, grupo representou 55%, informou a Relação Anual...

Metade dos brasileiros já sofreu assédio no trabalho, aponta pesquisa

Mariana teve um fax esfregado em seu rosto pela...

IBGE publica edital para agente de pesquisas e mapeamento

- Fonte: IBGE - O Instituto Brasileiro de...

Para Professores: Concurso 2009 Prefeitura São Paulo Educadores

Depois de um logo tempo sem concurso público a...
spot_imgspot_img

A mulher negra no mercado de trabalho

O universo do trabalho vem sofrendo significativas mudanças no que tange a sua organização, estrutura produtiva e relações hierárquicas. Essa transição está sob forte...

Mulheres sofrem mais microagressões no ambiente de trabalho e têm aposentadorias menores

As desigualdades no mercado de trabalho evidenciam que as empresas têm um grande desafio pela frente relacionado à equidade de gênero. Um estudo recente da McKinsey...

Sem desigualdade de gênero, mundo poderia ter PIB ao menos 20% maior, diz Banco Mundial

O Produto Interno Bruto (PIB) global poderia aumentar em mais de 20% com políticas públicas que removessem as dificuldades impostas às mulheres no mercado...
-+=