FEIRA PRETA

Encontro de cultura, cidadania, educação e economia solidária, a Feira Preta reúne inúmeros representantes da cultura afro-brasileira e dezenas de empreendedores de diversas regiões do Brasil.

É a maior feira de cultura negra da América Latina. É o resultado de um conjunto de iniciativas colaborativas, coletivas e inclusivas realizadas durante todo o ano. Trata-se de um evento anual que une cultura e comércio de produtos segmentados em uma grande celebração que encerra o mês da consciência negra.

A Feira Preta ocorre desde 2002. Teve sua primeira edição em espaço público na Praça Benedito Calixto, onde reunia 40 empreendedores de artesanato, moda, bijouterias, entre outros. O espaço ficou pequeno para tanta diversidade, arte e empreendedorismo e ganhou espaços maiores e mais estruturados com o passar dos anos. A Feira Preta se estrutura de forma inovadora: olhar do negro para o negro. Diferente das iniciativas que são desenvolvidas sem considerar o seu próprio olhar. É um ambiente social de identidade para a comunidade negra, onde as pessoas  vão para se encontrar, relacionar e reforçar sua identidade, suas características múltiplas.  Ao longo do ano são realizadas ações com a finalidade de preparar os participantes para o maior aproveitamento das atividades da Feira e atrair o publico disseminando conhecimento sobre as diversas expressões da cultura negra.

O QUE É QUE A FEIRA TEM?

A Feira Preta estimula abertamente o veio empreendedor para a temática afrocultural, mostrando a existência de um mercado consumidor potencial para uma grande variedade de produtos e serviços.Para isso, reúne expositores, visitantes e artistas de todo o país em busca de identidade, arte, expressão e participação econômica. Neste evento acontecem as mais diversas manifestações artísticas e culturais: filmes, fotografia, literatura, dança, música, teatro, palestras e comercialização de produtos e serviços étnicos. Ao longo de sua trajetória, já passaram pelas edições da Feira Preta mais de 400 artistas e 500 microempreendedores de todo o país. Na edição de 2009, mais de 12 mil pessoas visitaram o evento e mais de 200 empregos diretos e indiretos foram gerados.

Trajetória

A Feira Preta começou em 2002, na Praça Benedito Calixto, espaço tradicional de artes e artesanatos em São Paulo, no bairro de Pinheiros. Com duração de um dia, reuniu 40 empreendedores de artesanato, moda, bijouterias, entre outros.

Em oito edições do evento, o público pode acompanhar aproximadamente 400 artistas. No espaço de empreendedores, mais de 500 artesãos e microempresários já comercializaram seus produtos segmentados, gerando a circulação de aproximadamente R$ 2.000.000 e trabalho e renda dentro da comunidade negra.

Durante os oito anos de projeto, o processo de escolha dos empreendedores tem sido criterioso, procurando selecionar expositores que compartilhem do conceito do evento, com foco em produtos voltados ao segmento étnico, e que sigam um padrão de qualidade.

Para chegar a esses empreendedores, durante o ano são percorridas diversas feiras de ruas, espaços alternativos de comércio e feiras de grandes pavilhões. Além destes espaços, são recebidas inscrições de empreendedores do interior de São Paulo, Baixada Santista, outros estados brasileiros e trabalhos de Quilombolas do Vale do Ribeira. As ONGs também são grandes fontes de informação para captação desses expositores.

 

Impacto Social

Desde sua fundação até hoje, a Feira Preta já reuniu em torno de 100.000 pessoas e abrigou 400 microempreendimentos “individuais” diretos, gerando benefícios indiretos a um público de mais de 1.500 pessoas, contados os familiares dos micro-empreendedores apoiados.

O aumento médio de renda e receitas geradas por estes micro-empreendimentos expositores no ano de 2009 foi de 10% em média, chegando a 24% no caso dos expositores de alimentação e 12% nos que comercializaram roupas.


Edição de 2010

Neste ano, a Feira Preta acontecerá no Centro de Exposição Imigrantes, um dos mais modernos espaços para realização de eventos da America Latina.

O evento reunirá os setores vestuário, calçados, acessórios, além de artesãos, artistas e editoras entre outros de todo o Brasil. Mais de 80 empreendimentos de grandes empresas, micro e pequeno porte apresentarão seus produtos e serviços à comunidade.

Com o tema A CHEGADA DO NEGRO NO BRASIL, a Feira aposta no resgate das raízes pela transmissão da história de um povo que contribuiu com a formação cultural brasileira, não só através da feijoada, da capoeira e do samba, mas também por meio de grandes personalidades, como o engenheiro André Rebouças, a escritora Carolina de Jesus e o Maestro Carlos Gomes.

A 9ª Feira Preta contará com shows musicais, mostra de artes plásticas, cinema, dança, teatro, literatura, modas e gastronomia. O evento será uma excelente oportunidade para o público celebrar a riqueza cultural negra, acompanhar novas tendências e fazer suas compras de natal sem se deslocar para outros espaços e regiões.

Realizado em dois dias, 18 e 19 de dezembro, o evento segue o formato das feiras de varejo que acontecem no Brasil. Ótima oportunidade para quem quer comprar, criar, modernizar ou ampliar a sua rede de relacionamento. A estimativa é que 15 mil pessoas visitem o evento neste ano.

Fonte: Buala

+ sobre o tema

Rede social para negros quer dar visibilidade a políticos e empreendedores

A Black & Black, uma rede social brasileira indicada...

Exposição na Casa França Brasil conta a história do negro no Rio

Mostra reúne 500 peças, como bronzes do Benin, máscaras...

Quilombolas entrarão na justiça por danos morais

Federação Nacional de Associações Quilombolas (FENAQ) entrará com uma...

para lembrar

Walter Pinheiro quer aprofundamento de políticas de combate ao racismo

O senador Walter Pinheiro (PT-BA) defendeu nesta quarta-feira (23)...

Encontro Griotagem entre Pretas e Pretos – Rio/São Paulo

O que dizer desse encontro? Maravilhoso, Incrível, Especial, Divino...poderia...

Os 415 anos do símbolo da resistência negra é celebrado

  Uma celebração ecumênica a ser conduzida por...
spot_imgspot_img

Educação antirracista é fundamental

A inclusão da história e da cultura afro-brasileira nos currículos das escolas públicas e privadas do país é obrigatória (Lei 10.639) há 21 anos. Uma...

Câmara aprova projeto que torna Dia da Consciência Negra feriado nacional; texto vai à sanção

Por 286 votos a favor e 121 contrários, a Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (29) um projeto de lei que declara o dia 20 de...

Profissionais negros reinventam suas carreiras na TV e avaliam a importância da discussão racial

No Dia da Consciência Negra, o gshow conversou com artistas que compartilham a jornada que é ser um profissional preto na teledramaturgia. Entre eles, atores, atrizes e...
-+=