segunda-feira, novembro 28, 2022
InícioQuestões de GêneroMulher NegraFeminina, periférica, negra e empoderada: conheça a Salvador de Helemozão

Feminina, periférica, negra e empoderada: conheça a Salvador de Helemozão

Fotógrafa é autora de projetos como Gorda Flor, Um Preto Por Dia e Visionárias de Quebrada

“Mulher periférica, poetisa marginal, vid4 loc4, put4$ó, artivista, sem casa mas com rumo ao mundo”: assim se define a fotógrafa Helemozão, de 22 anos. Baiana e moradora do bairro de Brotas, ela é um dos principais nomes da nova fotografia soteropolitana, com projetos inovadores e de considerável repercussão online, como Gorda Flor, Um Preto Por Dia e Visionárias de Quebrada. Conheça mais sobre o trabalho dela, o que a inspira e quem são suas referências.

Por Victor Villarpando, para Correio 24horas

As ruas periféricas

“Uma das minhas maiores fontes de inspiração e construção criativa. É onde me vejo no outro, nas cores, nos tijolos, das casas, nos olhares, expressões, nos diálogos corriqueiros, no afeto expressado, nas histórias ouvidas, nas vivências tidas.”

“O mar é onde eu recarrego minhas energias, onde encontro minha espiritualidade, onde encontro a dona do meu ori.”

“Filme que me inspira muito em sua fotografia e em sua história tão atual, porque mostra a condição das mulheres negras e pobres, a violência física e mental que as mesmas sofrem de pessoas próximas dentro do seu próprio lar, mas que ao fim consegue libertar-se do ciclo da violência, começar uma vida nova. Essa parte mexe muito comigo, é a resistência, a superação o recomeço.”

Olhos Azuis

“Documentário que fala explicitamente de como o racismo nos operacionaliza e nos boicota. Me revira por dentro. Me inspira muito no meu ativismo, me faz levantar vários questionamentos e certezas internas e físicas. Me faz entender como funciona o processo racista, de que forma isso nos deixa vulnerável e de como somos treinados a acreditar na incapacidade e inferioridade da nossa raça.”

“Foi a primeira artista que comecei a me ver em suas obras e achava aquilo surreal. Na verdade, acredito que não exista uma mulher que não olhe para a arte dessa maravilhosa e não se veja. Meu processo criativo mais a minha liberdade de expressão começou quando me vi, e o amor próprio existiu dentro de mim. Obrigada Negahamburguer!”

Nely Oliveira

“Além de me inspirar muito como tatuadora, artista plástica, educadora, atriz, empreendedora, é minha amiga, irmã. Foi quem me ajudou a me dedicar a arte, me incentivou a continuar, sempre me mostrando uma ótica diferente.”

“Pense em uma amiga arteira? Gorda, vegan, graffiteira, feminista… Ela foi uma das artistas nas quais que me vi representada e tive base para fazer meu primeiro projeto autoral que trata do corpo da mulher.”

Edgar Azevedo

“Esse Rapaz foi um dos artistas que me ajudou muito no meu processo inicial na fotografia. Além de ser um irmão para mim se tornou a minha maior referencia de fotografia.”

“Empreendedora negra, mulher de força, que trabalha com a moda fora dos padrões, falar com beleza do negro e super me ajuda e me incentiva no meu trabalho.”

Mauricio Galvão

“Pense num homem do bem? Ele e seu trabalho com o Salvador Meu Amor me ajudam muito a conhecer artistas visuais e saber de movimentos do bem que esteja acontecendo pela cidade.”

RAP

“Sair sem ouvir um RAP? não dá! Quando mais nova Julgava muito o RAP, achava o som muito poluído, mas quando passei a escutar e refletir sobre cada letra, entendi que o RAP é pura poesia e me apaixonei. Cada batida me impulsiona de uma forma, e me ajudar a criar poesias. Obrigada ao Racionais e a Mano Brown por ter me mostrado o RAP que salva minha vida todos os dias.”

Robson Finho

“Ilustrador, Tatuador, grafiteiro. Esse moço me inspira muito na suas ilustrações realistas sobre a beleza negra e registro um dos seus projetos maravilhoso, chamado #PelePretaTatuada.”

Oliver Dórea

“Artista negro que super me inspira em suas criações e que recentemente fez uma arte minha muito linda. Comecei a ver o trabalho dele dentro dos ônibus aqui em salvador, ele faz do coletivo tela para mostrar sua arte negra, gerando representatividade e poder.”

“Esse maravilhoso tem um trabalho lindo. Ele pega imagens prontas e faz ilustrações digitais em cima dela. São sobre espiritualidade, ancestralidade e super me ajudam a olhar a fotografia de maneira diferente.”

Irving Bruno

“Artista negro que tem um trabalho de retrato realista surreal, foi umas das pessoas que me incentivou muito a entrar no mundo da arte.”

“Pense no poder? São essas mulheres. O som delas simplesmente acalma minha alma, me faz refletir do que é ser mulher, do que é resistir, sinto meu meu corpo atravessado no amor e em dias melhores.”

Larissa Fula de Tal

“Mulher, negra ,cineastra, me ajuda muito a acreditar na revolução através do cinema, me mostra o protagonismo do negro/a na tela e por trás dela.”

Maiara Cerqueira

“Sua delicadeza e precisão em cada clique e em cada palavra dita é revolucionário. Mulher, negra, fotografa e poetisa como eu, me inspira a continuar, porque representatividade próxima importa.”

Mel Duarte

“Poetisa que me inspira na vida, na minha criação poética.”

Baiana System

“Esse som é uma mistura que me deixa pura, nem sei como explicar. Geralmente, digo que o som do Baiana é para todos, mas é principalmente para os artistas. A musicalidade dessa banda é surreal. Adoro olhar minhas fotos de cotidiano ouvindo o som deles.”

“Pense em duas Barbie reais? São as irmãs mais lindas que já vi em toda a minha vida. Elas desconstróem totalmente os padrões de beleza da moda e isso me faz pensar fora da caixa.”

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench