“Pérola Negra: Ruth de Souza” traça panorama da carreira da atriz

Mostra que entra em cartaz no CCBB traz 25 produções do cinema e da televisão que testemunham a grandeza de uma das mais importantes artistas brasileiras

no Metrópoles

Desta quarta-feira (3/8) até o próximo dia 29/8, o cinema do Centro Cultural Banco do Brasil recebe mostra retrospectiva de uma das grandes atrizes brasileiras. “Pérola Negra: Ruth de Souza” reúne 25 produções, entre filmes e programas de televisão. A mostra dá um panorama da carreira da atriz e, ao mesmo tempo, resgata preciosidades do audiovisual nacional.

Com curadoria e idealização de Breno Lira Gomes, a seleção traz, por exemplo, o primeiro filme em que Ruth trabalhou, “Falta Alguém no Manicômio”. A comédia, produzida em 1948, marca também o primeiro encontro dela em cena com outro artista genial, seu amigo Grande Othelo.

Os clássicos “Sinhá Moça” (1953), de Tom Payne, e “O Assalto ao Trem Pagador” (1962), de Roberto Farias”, e os menos conhecidos “Também Somos Irmãos” (1949), de J. C. Burle, e “Pureza Proibida” (1974), de Alfredo Sternheim, são outros títulos escolhidos por Breno.

“É uma oportunidade para que cada um que for às sessões tenha conhecimento do papel do negro na sociedade e da importância de uma mulher chamada Ruth de Souza, que mesmo franzina, enfrentou todos aqueles que a desacreditavam e se tornou uma das mais importantes atrizes brasileiras”, afirma o curador.

Foi ela a primeira atriz negra a encenar um espetáculo no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, “O Imperador Jones”, em 1945. Naquele mesmo ano havia se iniciado nas artes cênicas, como integrante do Teatro Experimental do Negro — liderado pelo poeta, escritor e ativista Abdias do Nascimento.

A partir dali, abriria caminhos para atores negros no cinema e na televisão. Em 1953, foi mais uma vez pioneira ao ser a primeira atriz negra indicada a um Leão de Ouro, em Berlim, pela atuação no filme “Sinhá Moça”.

Na televisão, um caso curioso: em 1969, protagonizou a novela “A Cabana de Pai Tomás”,na Rede Globo. Na mesma produção, o protagonista masculino era um ator branco (Sérgio Cardoso) com o rosto pintado de negro.

No entanto, o trabalho de Ruth de Souza na tela pequena estará representado,na mostra, por programas mais recentes, como as entrevistas que a atriz concedeu ao “Damas da TV”, do Canal Viva, e ao “Espelho”. apresentado por Lázaro Ramos no Canal Brasil.

Além das exibições, a programação da mostra inclui o debate “Ruth de Souza e o Cinema Brasileiro”, no dia 11/8 (quinta), às 20h, com a presença do curador Breno Lira Gomes. A programação completa de “Pérola Negra: Ruth de Souza” pode ser conferida no site do CCBB.

“Pérola Negra; Ruth de Souza”
De 3/8 (quarta) a 23/8. Confira horários de sessões na programação. No Centro Cultural Banco do Brasil (Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 2; 3108-7600). Ingressos a R$ 10 e R$ 5 para os filmes, entrada franca para a exibição de programas de televisão. Classificação indicativa de acordo com cada filme.

+ sobre o tema

‘No Brasil de hoje, a trança é um símbolo de resistência’

Trancista Gabriela Azevedo perdeu a conta de quantas vezes...

A Beyoncé é maior que a Mona Lisa

À moda de Duchamp, vídeo do primeiro álbum da...

Plenas de Coragem por Maria Carolina Trevisan

As mulheres negras ainda lideram as piores estatísticas do...

Senado aprova PEC que torna o estupro crime imprescritível

O crime de estupro pode se tornar imprescritível. É...

para lembrar

Faltava falar das flores

Eu sou conversadeira, sempre fui. Minha mãe, Dona Anna,...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=