Filha sofre com preconceito racial e mãe faz desabado emocionante. Veja vídeo!

“Por mais que falamos exaltamos a autoestima deles, tem horas que simplesmente desabam e isso corta a minha alma”, dizia a publicação que já soma 19 mil reações no Facebook

Do Folha Vitória

Preconceito, homofobia e bullyingsão comuns em qualquer idade e lugar. Se para um adulto já é difícil encarar uma situação parecida com essa, imagina para uma criança de cinco anos de idade.

Foi o que a Sandri Sá, mãe da pequena Geovanna tentou explicar para a pequena quando ela voltou da escola chorando. O motivo das lágrimas seria porque uma coleguinha disse não gostar do “cabelo para cima” dela.

Indignada com a situação, Sandra publicou um desabafo em seu Facebook. Na postagem, ela relata “um pouco da experiência de ser preta e ter filhos pretos”. “Por mais que falamos exaltamos a autoestima deles, tem horas que simplesmente desabam e isso corta a minha alma”, dizia a publicação.

Sandri ainda alegava estar emocionada ao ver o sofrimento da filha, mas que tinha que se manter forte para a proteger do preconceito da sociedade. “A Júlia não tem culpa”, desabafa.

Para encerrar a publicação, Sandri ainda faz um apelo aos pais de outras crianças. “Por favor, não deixem que seus filhos sejam esses tipos de crianças que não respeitam a raça e, mais tarde, não vai respeitar um homossexual, um evangélico, um preto e assim por diante”, concluiu.

Junto ao desabafo, foi publicado um vídeo em que Sandri filma sua filha enquanto diz a menina o quanto ela é linda e não precisa chorar pelo que as pessoas dizem dela.

A postagem, feita na última quarta-feira, 6 de outubro, já soma 19 mil reações, mais de 16 mil compartilhamentos e cerca de cinco mil comentários de apoio à pequena. “Você é linda sim. Todos nós somos lindos do nosso jeito. Seu cabelo é lindo. Fique bem princesa”, comentou um usuário.

Confira:

+ sobre o tema

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe...

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da...

Caixa lança edital de concurso com 3,2 mil vagas para técnicos

A Caixa Econômica Federal publicou nesta quinta-feira (22), no...

Depois de um carnaval quente, é hora de pensar em adaptação climática

Escrevo esta coluna, atrasada, em uma terça-feira de carnaval. A...

para lembrar

ITÁLIA: Kadhafi pede 5 mil milhões de euros à UE para evitar “Europa negra”

O líder líbio, Moammar Kadhafi, deixou hoje Itália...

A rede sueca H&M é acusada de racismo após anúncio com menino negro

A rede de fast fashion sueca H&M se envolveu...

EUA: todos os jogadores de Futebol Americano admitem terem sofrido racismo

Uma pesquisa com os jogadores de Liga Nacional de...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=