Globo é acusada de crime eleitoral após reportagem do JN

A emissora Rede Globo foi acusada nesta quarta-feira de infringir a Lei Geral das Eleições após dedicar um especial de 18 minutos sobre o “mensalão” durante a programação do Jornal Nacional de terça-feira. A ação foi efetuada pela ONG Movimento dos Sem Mídia, que entrou com representação contra a emissora junto à Procuradoria Geral Eleitoral e ao Ministério das Comunicações sob a acusação de prática de partidarismo.

A Lei 9.504/97 prescreve em seu artigo 45, que a partir de 1º de julho em ano de eleições, TVs e rádios estão vedados a veicular notícias com “propaganda política, ou difundir opinião favorável ou contrária a candidato, partido, coligação, a seus orgãos ou representantes”. Ainda no mesmo artigo, no inciso IV, proíbe “dar tratamento privilegiado a candidato, partido ou coligação”.

Além da determinação legal, a acusação feita pela organização foi reforçada pelo fato da reportagem ter sido emitida logo após o fim do horário eleitoral, no qual o espaço dedicado ao candidato do PT, Fernando Haddad, foi o último a ser passado.

O fato chamou a atenção da Folha de São Paulo, que publicou uma matéria sobre a extensão da reportagem. Sobre o assunto, a ONG liderada por Eduardo Guimarães publicou no Blog da Cidadania que “a intenção [da Globo]de usar as reiteradas menções dos ministros do Supremo Tribunal Federal ao Partido dos Trabalhadores é escancarada ao ponto de ter virado notícia de um jornal absolutamente insuspeito de ser partidário desse partido”, se referindo à publicação do jornal paulista.

A ONG acrescentou que a ilegalidade infringiu também a Lei de Concessões. “O uso de uma concessão pública de televisão com fins político-eleitorais também viola a Lei das Concessões, cujo guardião é o Ministério das Comunicações”, publicou a organização no blog.

Fonte: Correio do Brasil

+ sobre o tema

“Humaniza as redes” pretende criar ambiente virtual livre de preconceito

Medida prevê a criação de uma ouvidoria online e...

Por que a Anistia Internacional entrou na campanha contra a repressão policial aos protestos

por : Mauro Donato   Em defesa do direito à liberdade de...

Mapa do ISA mostra avanço da pandemia em Terras Indígenas

Para fortalecer políticas emergenciais às aldeias, novo site monitora...

Jornal alemão repercute crime de policiais contra jovem em Manaus

  O jornal alemão Welt, um dos mais conceituados da Alemanha, repercutiu...

para lembrar

A radiação da tecnologia 5G faz mal à saúde?

A quinta geração de internet móvel, 5G, que entrou...

Armas de fogo e homicídios

Um levantamento inédito no Brasil, divulgado no dia 15...

Quando a violência contra a mulher vira espetáculo na mídia: o que aprendemos com o caso Eloá

“Inconformado com o fim do relacionamento”, “crise de ciúmes”,...

Temer é derrotado na OIT e terá de explicar ‘reforma’ trabalhista

Comissão de Normas da Organização Internacional do Trabalho questiona...
spot_imgspot_img

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...

Nota pública do CONANDA contrária ao Projeto de Lei 1904/2024

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA, instância máxima de formulação, deliberação e controle das polícas públicas para a...

Marcelo Paixão, economista e painelista de Geledés, é entrevistado pelo Valor

Nesta segunda-feira, 10, o jornal Valor Econômico, em seu caderno especial G-20, publicou entrevista com Marcelo Paixão, economista e professor doutor da Universidade do...
-+=