Homem chama família de ‘macacos’ e é condenado a pagar indenização por racismo

Decisão do Tribunal de Justiça confirmou sentença em primeira instância.
Réu constestou, mas posição dos desembargadores foi unânime.

 

Um homem foi condenado a pagar R$ 2,5 mil por racismo em Santa Catarina. A decisão da 2ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça confirmou a sentença da comarca de Orleans, no Sul do estado. No processo, o autor solicitou indenização de 40 salários mínimos por danos morais.

De acordo com a sentença, publicada nesta segunda-feira (1), o requerente destaca que, certo dia, quando sua família passava em frente a um supermercado, o réu os viu e disse: “Lá vai o macaco, a macaca velha e o macaquinho nas costas”. A ofensa teria sido proferida na frente de outras pessoas. O réu também é acusado de se referir ao autor do processo como “negro maldito”, “sujinho” e “macaco”.

No relatório, o desembargador Antônio do Rego Monteiro Rocha destacou que o réu contestou estas informações. Ele alegou que havia uma rixa entre as duas partes e o autor do processo fazia várias provocações ao acusado. “O réu apresentou contestação, alegando que sempre agiu com dignidade e respeito para com as pessoas que convivem consigo. Disse que em momento algum proferiu as expressões narradas pelo autor e que as partes há muito não convivem harmonicamente”, reforçou o desembargador.

Durante o julgamento, foram ouvidas três testemunhas: duas de defesa e uma de acusação. Segundo o que está descrito na sentença, “as testemunhas arroladas pelo réu limitaram-se apenas a afirmar que antes dos fatos descritos, as partes não conviviam em harmonia, sendo comuns cenas de provocação por parte do autor para com o réu. Sobre os fatos, afirmaram que não presenciaram os xingamentos relatados, muito menos ouviram dizer que eles tenham ocorrido. Por outro lado, a testemunha arrolada pelo autor afirma ter presenciado os fatos”.

A decisão de indenizar o autor do processo por danos morais foi unânime. Ela se baseou no fato de as ofensas citadas feriaram a autoestima e a “honra subjetiva do autor”.

 

Fonte; G1

+ sobre o tema

Revista de noivas despreza negras

    Vevila vai casar agora no...

Entrevista com Marcelo Paixão

Coordenador do Laboratório de Análises Econômicas, Históricas, Sociais e...

Veja 7 exemplos polêmicos de “embranquecimento” de personagens em Hollywood

Polêmica mais recente envolve a escolha de Matt Damon...

para lembrar

Ângela Guimarães, coordenadora do Plano Juventude Viva

O Plano Juventude Viva possui agora uma nova coordenadora:...

Em série, casais inter-raciais revelam insultos que ouvem diariamente

Ver um casal de diferentes etnias não deveria ser...

Denúncias de racismo duplicam em quatro anos no Brasil

Mais de 1.500 denúncias de racismo ou por injúria...
spot_imgspot_img

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...
-+=