I Fórum Direitos Humanos, Diversidade e Preconceito acontece nesta quarta-feira (16), na URCA

Começa nesta quarta-feira, na Universidade Regional do Cariri (URCA), a partir das 7h30, o I Fórum Direitos Humanos, Diversidade e Preconceito. O evento acontece no campus do Pimenta, em Crato. A manhã de debates, com temáticas diferenciadas, acontece das 8h30 às 11 horas, com primeiro tema a ser abordado pelo Professor Doutor da URCA, José Rubens da Costa. Ele tratará sobre ‘Cultura cristã ocidental e a produção de preconceitos’. Já o tema ‘Racismo e suas formas de enfrentamento na sociedade brasileira contemporânea’, terá abordagem dos representantes do Grupo de Valorização Negra do Cariri (GRUNEC).

Durante a abertura dos debates pela manhã haverá o Café Preto Velho, no Pátio de Pedagogia, e a apresentação do Rock Brasil, pelos alunos do Curso de História da Universidade, no Salão de Atos.

A ‘Diversidade e ampliação dos direitos civis na sociedade brasileira contemporânea’, fecha as palestras a serem abordadas pela manhã, com a Assessoria Jurídica da URCA. O evento está sendo realizado por meio do Departamento de História da URCA, com a coordenação do Curso de História e do Centro Acadêmico do curso, com o apoio da Instituição, e GEPHS e GRUNEC.

Já à noite, a partir das 18h30, acontecerá a Feijoada de Ogum com roda de Xirê, também no Pátio de Pedagogia, e uma mesa redonda sobre ‘Racismo e suas Formas de Enfrentamento na Sociedade Brasileira’, com a Professora Doutora da Universidade Federal do Cariri (UFCA), Joselina da Silva, além do tema ‘Sexualidade e preconceito sexual: Perspectivas das Ciências Sociais’, com o Professor Doutor da URCA, Leandro de Oliveira, finalizando com a discussão sobre ‘Diversidade e ampliação dos direitos civis na sociedade brasileira contemporânea’, com representante da ASSEJUR – URCA.

Informações:
Universidade Regional do Cariri (URCA)

Fonte: Blog do Crato

+ sobre o tema

É impossível promover direitos humanos sem proteger as mulheres

Medo e trauma de experiências de violência muitas vezes...

Negros são mais condenados por tráfico e com menos drogas em São Paulo

Levantamento inédito analisou 4 mil sentenças de tráfico em...

Encontro nacional debate estratégias para fortalecer organizações da sociedade civil

A Constituição brasileira de 1988 só tem a abrangência...

para lembrar

Ditadura invadiu terreiros e destruiu peças sagradas do candomblé

Desde criança, a iyalorixá Mãe Meninazinha d’Oxum ouvia a...

Sônia Nascimento – Vice Presidenta

[email protected] Sônia Nascimento é advogada, fundadora, de Geledés- Instituto da...

Suelaine Carneiro – Coordenadora de Educação e Pesquisa

Suelaine Carneiro [email protected] A área de Educação e Pesquisa de Geledés...

Sueli Carneiro – Coordenadora de Difusão e Gestão da Memória Institucional

Sueli Carneiro - Coordenação Executiva [email protected] Filósofa, doutora em Educação pela Universidade...
spot_imgspot_img

Eu era menino quando os da caserna confundiram-me com um comunista

Eu tinha pouco mais de dois anos quando raiou a ditadura militar no Brasil. Criança, preso à barra da saia da minha mãe, Flora, e morador...

UFRJ terá primeira mulher negra como diretora da Faculdade de Educação

Neste ano, a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem a primeira mulher negra como diretora. A professora Ana Paula Abreu...

Ditadura invadiu terreiros e destruiu peças sagradas do candomblé

Desde criança, a iyalorixá Mãe Meninazinha d’Oxum ouvia a avó Iyá Davina, a iyalorixá Davina de Omolu, dizendo “nossas coisas estão nas mãos da...
-+=