Igreja Luterana no RS mantém igreja só para negros

No século 20 negros e descendentes de alemães não podiam frequentar a mesma igreja

A Igreja Luterana da cidade de Canguçu (RS) mantém duas igrejas funcionando: uma para negros e outra para brancos. Separadas por apenas um quilômetro, os templos foram construídos no início do século 20 quando os ex-escravos eram impedidos de frequentar os mesmos cultos que os imigrantes alemães.

O município localizado a 300 km de Porto Alegre tem sua população formada por descentes de alemães e remanescentes de quilombos o que legitima o funcionamento das duas igrejas.

A reportagem da Folha de São Paulo esteve na cidade e acompanhou um culto da congregação Manoel do Rego, fundada em 1927. Os 28 membros presentes no culto eram negros quilombolas.

Apesar de serem destinadas à etnias diferentes, quem celebra os cultos das duas igrejas é o mesmo pastor: Edgar Quandt, descendente de europeus.

As igrejas fazem parte da Igreja Evangélica Luterana do Brasil e em nenhum outro lugar do país há um caso semelhante. O pastor garante que a população não enxerga a separação como preconceito, por já fazer parte da história local.

“Não há discriminação, como às vezes parece de fora. Eles gostam de ter [cada um] a sua congregação. Há uma integração muito boa em toda a nossa igreja”, disse Quandt.

O presidente da associação quilombola da cidade, Marco Antônio Matos, confirma a versão do pastor dizendo que a decisão de manter “cada um na sua” foi feita pelos membros e não pela direção da igreja.

 

Igreja evangélica nos Estados Unidos cultua deusa pagã Ísis

Reação de aluno ateu a bullying acaba com pai-nosso na escola

PEC que ameaça Estado laico avança no Congresso

Estado Laico

Manifeste-se a favor do Estado Laico

Carta do Deputado Jean Wyllys – uma ode ao estado Laico

 

Fonte: Gospel Prime

+ sobre o tema

“Seja Um Preto Como Eu”: pretos na música eletrônica

O projeto “Seja Um Preto Como Eu" é um...

Kendrick Lamar coloca soldados para marchar contra o racismo no Grammy 2018

Kendrick Lamar foi um dos grandes destaques da noite...

Paulinho da Viola sobre os 80 anos: “Cheguei a essa idade sem trauma”

Paulinho da Viola pertence à geração de ouro da...

Obama envia tropas para resgatar meninas da Nigéria

Presidente dos Estados Unidos anunciou o envio de 80...

para lembrar

Consulesa da França no Brasil confirma visita a comunidade tradicional de matriz africana

Visita proporcionará encontro de povos e comunidades tradicionais Do Inzo Tumbansi Itapecerica...

Movimento Negro vencerá autoritarismo no Brasil

Assim como o Black Lives Matter nos Estados Unidos foi fundamental...
spot_imgspot_img

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=