Guest Post »
José Luiz Griot: #RBMASP: o homem que doou livros afro ao Racionais

José Luiz Griot: #RBMASP: o homem que doou livros afro ao Racionais

Antigo dono de livraria, José Luiz Griot passou anos enviando livros sobre a cultura negra a Mano Brown e KL Jay. Os materiais fazem parte da exposição sobre a banda no Red Bull Station

Do Redbull

Ao transitar pelo segundo andar da exposição Racionais MC’s 3 Décadas de História, durante o Red Bull Music Academy Festival São Paulo, você verá um conjunto de livros dedicados à cultura negra que ajudaram na formação intelectual dos integrantes da banda. O que pouca gente sabe, no entanto, é a origem desses materiais, que saíram das prateleiras de José Luiz Griot, antigo dono de uma livraria especializada em cultura negra na galeria Metrópole, no centro de São Paulo.

Tecnólogo de formação, Griot resolveu dar vazão ao amor pelos livros abrindo o espaço no início dos anos 90, período da escalada da banda ao sucesso. Acontece que a loja ficava próxima à da marca de confecções de KL Jay, a 4P. O DJ e produtor, então, passou a frequentar o local, chegando a adquirir alguns livros para distribuir nas favelas como ação social. José e ele estreitaram os laços, o que o aproximou também de Mano Brown. Foi quando resolveu enviar periodicamente alguns materiais por correspondência.

José Luiz Griot e o livros enviados por ele© Fabio Piva/Red Bull Content Pool

“Fui inspirado pelo próprio Malcom X, que tinha essa cultura de escrever cartas propagando suas ideias”, explica ele. “Havia uma identificação particular minha com o trabalho deles e vi a oportunidade, já que eles tinham o microfone em mãos e milhares de fãs, de ajudar a subsidiar a divulgação de conhecimento. Meu interesse sempre foi  de simplesmente fortalecer uma cena a partir desses livros.”

Enviados sem dedicatórias e sem frequência fixa, José os colocava em envelopes quando acreditava que o tema dos livros tinham a ver com o que os artistas estavam fazendo ou falando, e quando o momento o inspirava. A oportunidade de trocar reflexões sobre os assuntos acabava surgindo em um momento ou outro na rotina, quando os encontrava em eventos ou na própria galeria.

“’O Homem Invisível’, de Ralph Ellison, por exemplo, foi um que eu sabia que estaria entre os mais importantes que eu poderia mandar”, diz ele, sobre a obra-prima da literatura afro. Na história, que se passa no começo do século 20, o personagem negro migra da região sulista norte-americana, enraizada na mentalidade escravocrata e conservadora, para o bairro do Harlem, em Nova York. A convivência com as pessoas por ali, no entanto, o fez perceber que o preconceito permanecia nas relações mesmo em uma cidade vista como mais desenvolvida e “cabeça aberta”.

Biografias de nomes como Tupac, Tim Maia, Clara Nunes e Mandela, dividem espaço com conteúdos como “A Vida dos Escravos no Rio de Janeiro”, de Mary C. Karasch, “Quem é Quem na Negritude Brasileira”, de Eduardo de Oliveira, e “O País Distorcido”, de Milton Santos.

Espaço dos livros na exposição dos Racionais MC’s© Fabio Piva/Red Bull Content Pool

“Jamais imaginaria que esses livros estariam em uma exposição sobre os Racionais”, comenta ele, aos 63 anos. “Naquela época tudo era diferente. Hoje quem está lendo livros? São poucos. A maioria prefere permanecer com os celulares nas mãos. Que se faça bom uso da internet, mas, para mim, os materiais físicos continuam uma paixão e são insubstituíveis.”

Hoje em dia, a livraria é vista por Griot como um “projeto inativo”, mas ele segue com o hábito de se comunicar com os caras a partir desses materiais. Há três meses, por exemplo, enviou a KL Jay o “Mulheres, Raça e Classe”, da escritora feminista e negra Angela Davis. “E já estou pensando qual será o próximo a entrar na lista.”

Onde? Red Bull Station – Praça da Bandeira, 137, São Paulo

Quando? De 02 a 10 de junho. Diariamente, das 11h às 20h.

Grátis

Related posts