Jovens cientistas de vários países desafiados a reflectirem sobre a escravatura

Trinta alunos de uma dezena de escolas associadas da UNESCO participam, desde quarta-feira, em Santarém, no XIV Encontro Internacional de Jovens Cientistas, dedicado ao tema da escravatura.

 

“Vamos Quebrar os Silêncios” foi o tema sugerido pelos organizadores do encontro, que decorre até sábado na Escola Secundária Sá da Bandeira (ESSB), no âmbito do Ano Internacional das Pessoas Afro Descendentes, que se assinalou em 2011.

José Barrão, professor da ESSB aposentado há oito anos, continua a coordenar um projecto que “põe os alunos a trabalhar e a pensar” e cujo impacto no percurso de vida dos jovens que passaram pelos encontros que a escola realiza desde 1998 gostaria um dia de conhecer.

“Gostaria um dia de saber a repercussão (do projecto). Não sei se será possível ter esse retorno. Há alunos que chegaram a participar em três encontros (do 10.º ao 12.º ano) e de que perdemos o Norte”, disse à agência Lusa.

Os encontros resultaram de uma participação de uma professora e de uma aluna da ESSB num encontro realizado em Paris em 1998 sobre “Cientistas do Futuro: Mulheres e Homens”, que visava chamar as mulheres para a carreira científica nas zonas do globo onde isso lhes estava vedado, disse.

A ESSB agarrou o desafio de promover encontros idênticos a nível local, tendo logo nesse ano realizado o primeiro, então ainda de âmbito nacional, na Estação Zootécnica Nacional (EZN), onde os jovens conviveram directamente com o trabalho dos investigadores daquela instituição.

A relação com a EZN mantém-se ainda hoje – é nas suas instalações que os jovens estrangeiros ficam alojados -, mas o encontro ganhou outras dimensões.

José Barrão disse à Lusa que o encontro deste ano acabou por ter características algo diferentes devido à participação da escola no projecto “Rota dos Escravos”, lançado em 1994 pela UNESCO no Benim.

Além das sessões de apresentação dos trabalhos desenvolvidos nas escolas que participam no encontro – da Alemanha (uma), Espanha (seis), Principado de Andorra (uma), Moçambique (uma) e Portugal (três), não tendo conseguido vir as escolas de Cabo Verde, Brasil, Cuba e Estados Unidos -, a iniciativa conta ainda com um conjunto de actividades paralelas.

A biblioteca da ESSB tem patente uma exposição sobre a temática do encontro, “Vamos Quebrar Silêncios”, com trabalhos dos alunos sobre a Declaração Universal dos Direitos do Homem e livros e peças pertencentes ao arquivo ultramarino da escola.

Quinta-feira realizou-se um “Mercado do Comércio Justo” e foram apresentadas as conclusões dos trabalhos realizados pelos alunos, numa sessão que contou com a presença do secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar, João Casanova de Almeida, e do presidente da Câmara de Santarém, Moita Flores.

Os alunos foram convidados a reflectir sobre as heranças do passado esclavagista dos povos e alertados para a necessidade de estarem atentos às formas de escravatura actuais.

Hoje, os alunos realizam uma visita de estudo ao Mosteiro dos Jerónimos e à Sociedade de Geografia, em Lisboa.

Sábado, antes do encerramento, será feito o lançamento do tema do encontro de 2013, que será dedicado à “Água para a Vida”.

 

 

 

Fonte: Público PT

+ sobre o tema

PORTO ALEGRE: Semana da Consciência Negra na ótica dos Lanceiros Negros Contemporâneos

Fonte:Piquete Laceiros Negros Contêmporaneos     A realização...

Milli Vanilli: novo documentário revela detalhes do escândalo com dupla que fazia playback

Durante um período muito curto, no final dos anos 80,...

Das coisas boas e belas que nascem na favela

A possibilidade de ver o belo é sempre um...

para lembrar

NOTA DE REPÚDIO – Racismo Brasileiro Em Frankfurt

  NOTA DE REPÚDIO PELA AUSÊNCIA DE ESCRITORXS...

VÍDEO: África do Sul tem a primeira constituição pós-apartheid

O presidente Nelson Mandela declarou que o documento representa...

1888, Abolição X Imigração

“O povo Brasileiro precisa, como os estrangeiros que aqui...
spot_imgspot_img

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=