Jovens negros são impedidos de entrar em shopping em São Bernardo do Campo, na Grande SP

Enviado por / FontePor Laura Cassano, do G1

Denúncia foi feita pelas redes sociais do padre Júlio Lancelotti. Ele compartilhou a postagem de um analista jurídico que presenciou a situação e registrou boletim de ocorrência. O shopping disse que não tolera nenhuma forma de discriminação ou violência e reforçará treinamento sobre diversidade e abordagem com seguranças da unidade.

Três jovens negros foram impedidos de entrar no shopping Golden Square, em São Bernardo do Campo, região metropolitana da capital, na quarta-feira (7).

A denúncia foi feita pelas redes sociais do padre Júlio Lancelotti. Ele compartilhou a postagem do analista jurídico Luís Fernando Moreira, que presenciou a situação.

De acordo com Moreira, ele estava entrando no shopping quando percebeu que havia três jovens na entrada sendo barrados.

“Eu me aproximei e perguntei ao segurança o que estava acontecendo e ele me informou que tinha ocorrido um furto em alguma loja e por esse motivo estavam dialogando com eles. Eu perguntei ‘Foram eles que furtaram?’ e o segurança respondeu ‘Não’. Foi aí que eu disse a ele ‘Então você deixa eles passarem porque se você não deixar, vai responder civil e criminalmente porque é crime não deixar entrar qualquer pessoa em qualquer estabelecimento comercial’. Ele não falou mais nada e deixou os jovens entrar”, conta.

O advogado conta que subiu com os jovens até a praça de alimentação para conversar com eles.

“Eu já os conhecia de ver eles vendendo bala, principalmente na pandemia, quando eles já não estavam mais na escola. O racismo estrutural é isso, é não permitir que grupos minoritários possam estar nos lugares”, afirma.

Moreira registrou um boletim de ocorrência pelos três jovens relatando um crime de difamação para que possam, então, investigar um crie de injúria, que consiste em ofender a dignidade de alguém, artigo 140 parágrafo terceiro com pena de 1 a 3 anos de multa.

Para registrar a ocorrência, os jovens teriam de ir presencialmente na delegacia e não poderiam.

“Esses jovens não podiam estar na delegacia ou fazer o boletim online porque não possuem documento. Eles carregam a identidade de serem negros, pobres e não ter nem um documento”, afirma Luís.

Em nota o Shopping Golden Square disse que não tolera nenhuma forma de discriminação ou violência e reforça que, em parceria com a empresa responsável pela área de segurança, toda a equipe passará por um reforço de treinamento sobre diversidade e abordagem.

+ sobre o tema

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou...

Adolescente denuncia mulher por agressão e injúria racial em Rio Preto

Um adolescente de 13 anos denunciou ter sofrido injúria...

para lembrar

Bancos estão longe de abolir o racismo

Os dados do IBGE de 2010 apontam: pretos e...

Produção do filme bíblico “Êxodo” é acusada de racismo por escolha de elenco “branco”

Por Dan Martins A hashtag #BoycottExodusMovie (#BoicoteOFilmeExodus) explodiu no Twitter...

Seminário reúne mulheres para discutir economia e política no Rio de Janeiro

Quando o sol nasce, a mulher negra desce morro...
spot_imgspot_img

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou que o Estado do Rio de Janeiro e o município do Rio se abstenham de apreender e...

Adolescente denuncia mulher por agressão e injúria racial em Rio Preto

Um adolescente de 13 anos denunciou ter sofrido injúria racial e ter sido esganado por uma mulher após discutir com o genro dela, em São...

Protocolo negro

Quem é negro costuma cumprir um protocolo ao colocar o pé na rua. Inclui jamais sair sem um documento; não ir ao supermercado com...
-+=