Laverne Cox, atriz transexual, foi espancada na infância, deu a volta por cima e hoje brilha nas telas

A famosa atriz transexual Laverne Cox, que atualmente está brilhando como a Sophia da série Orange is the new black, declarou na última semana ter sido vítima de agressões físicas por motivos homofóbicos durante a infância.

por Bernocm92 no ListaGay

Segundo Laverne, que chega aos 30 anos esbanjando beleza, simpatia e engajamento na causa LGBT, aos oito anos de idade, quando ainda vestia-se como um garoto, ela foi brutalmente espancada com golpes de baquetas de bateria por quatro rapazes ao descer do ônibus escolar voltando para a casa na cidade de Mobile, no estado do Alabama, sul dos Estados Unidos.

Laverne conta ainda que antes mesmo da agressão ela já era vítima de xingamentos e ameaças, já que sempre se identificou e se comportou como mulher(tal como ela de fato é uma mulher!), praticava balé e se sentia diferente dos meninos e dos papeis de gênero geralmente atribuídos a eles.

Agora, aos 30 anos, considerada uma das atrizes mais célebres da atualidade e encarnando uma das personagens mais queridas da badalada série Orange is the new black, Laverne diz sentir-se uma mulher realizada, e o principal: sente que com seu trabalho e visibilidade, pode ajudar milhares de jovens trans que encontram preconceito e violência em seus cotidianos.

laverne-cox-time

 

Eleita como uma das pessoas mais influentes do mundo pela revista Time, Laverne não só brilha nas telas como também fora delas: a atriz é engajada na causa LGBT, em especial no reconhecimento dos direitos das pessoas trans.Recentemente, ela chegou a encontrar-se com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a primeira dama norte americana, Michelle Obama: “Com certas pessoas que encontro, tento me controlar, manter a postura, mas encontrar o presidente e a primeira-dama foi demais para mim”, conta, aos risos, Laverne.

Obama-Laverne Cox

Com a terceira temporada de Orange is the new black marcada para ir ao ar na rede de streaming Netflix já no próximo dia 12 de junho, Laverne considera que sua personagem pode estar ajudando muitas pessoas trans a encararem melhor a fase da transição sexual, e também a aproximá-las e representá-las melhor, já que infelizmente é ainda muito pequeno o espaço dado às pessoas trans na mídia e nas artes.

laverne cox

“Temos nove alunos transgênero. Eles achavam que nunca poderiam alcançar o que queriam por serem trans e negros. Meu exemplo lhes deu força.” Que assim seja, Laverne! Que a sua personagem e seu engajamento ajudem muitas e muitas pessoas trans a conquistarem seu espaço e aceitação na sociedade ainda tão transfóbica!

+ sobre o tema

‘Eu era neonazista até ser presa e me apaixonar por uma negra’

Angela King lembra quando foi a um bar já...

Evento estudantil sofre ‘ataque de intolerância’, segundo organização

A 3ª Semana Cultural do Curso de Direito da...

Skinheads suspeitos de agressão homofóbica em Fortaleza são notificados para depor

Garoto foi agredido em praça em Fortaleza em 'presumido...

Família real britânica terá seu primeiro casamento gay

Primo da rainha Elizabeth II será conduzido no altar pela...

para lembrar

Por quê criminalizar a Homofobia?

A maioria dos brasileiros assiste passivamente cenas diárias de...

Tolerância a ofensas prejudica candidatos, por Renato Janine Ribeiro

Por Renato Janine Ribeiro Aécio Neves e Eduardo Campos quiseram...

RS em meio a polêmicas de racismo e homofobia

Intolerância colocou Estado em evidência Valores fundamentais das sociedades, as...

Relator de comissão no Congresso propõe veto à adoção por casais gays

O deputado federal Ronaldo Fonseca (PROS-DF) apresentou nesta semana...
spot_imgspot_img

Homofobia em padaria: Polícia investiga preconceito ocorrido no centro de São Paulo

Nas redes sociais, viralizou um vídeo que registra uma confusão em uma padaria, no centro de São Paulo. Uma mulher grita ofensas homofóbicas e...

ONG contabiliza 257 mortes violentas de LGBTQIA+ em 2023

Em todo o ano passado, 257 pessoas LGBTQIA+ tiveram morte violenta no Brasil. Isso significa que, a cada 34 horas, uma pessoa LGBTQIA+ perdeu...

Justiça manda Governo do RJ pagar R$ 80 mil a Cacau Protásio por ataques em gravação em quartel dos bombeiros

A Justiça do Rio de Janeiro determinou, em segunda instância, que a atriz Cacau Protásio seja indenizada em R$ 80 mil por ataques e...
-+=