Marcha das Vadias sai às ruas de SP contra violência sexual

Concentração do ato, que ocorre neste sábado (24), será no Masp; mulheres desmitificam o ditado ‘quem cala, consente’, dizendo que sexo sem consentimento é estupro e que nem sempre a vítima consegue dizer “não”

A Marcha das Vadias volta às ruas de São Paulo neste sábado (24) com o tema “quem cala, não consente”, desmitificando o ditado popular. As mulheres explicam que sexo sem consentimento é estupro e que nem sempre a vítima consegue dizer “não”. A concentração do ato será no vão livre do Museu de Artes de São Paulo (Masp), ao meio-dia.

A cada ano o protesto enfoca o problema da violência de gênero sob um aspecto diferente. Desta vez, as organizadoras problematizam a ideia de que se a mulher não recusou o ato sexual verbalmente, nem lutou fisicamente até o esgotamento, ela consentiu e permitiu a violência. “O velho ditado ‘quem cala, consente’, é utilizado para justificar a agressão”, esclarecem.

O ato deste sábado tem, portanto, por objetivo, combater a cultura da naturalização da violência contra as mulheres. Defende também, segundo as realizadoras, a construção de uma cultura de diálogo, de respeito e de humanização.

Este é o quarto ano de realização do protesto. No ano passado, mais de três mil pessoas compuseram a manifestação.

Fonte: Brasil de Fato

+ sobre o tema

Fé, menina. De homem pra homem.

30 homens estupraram uma menina. 30! e sabe o que mais? eles...

Secretário da Juventude de Temer é acusado de assédio sexual e agressão

O novo secretário nacional de Juventude, Bruno Moreira Santos,...

Violência contra mulher negra é tema de debate

Com o objetivo de debater e propor soluções para...

Janot pede arquivamento de inquérito contra candidato à prefeitura do Rio acusado de agredir a ex-esposa

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta segunda-feira...

para lembrar

Delegacia da Defesa da Mulher quer lista completa de seguranças

Após a acusação de estupro a uma adolescente de...

“Mutilação genital não é cultura, é violência”, diz ativista africana

Leyla Hussein sofreu com a violência aos sete anos...
spot_imgspot_img

13 leis sobre proteção à mulher que precisam ser efetivadas em 2024

Se é verdade que, no Brasil, o novo ano só começa depois do Carnaval, ainda é tempo de realizar uma retrospectiva, para divulgar leis...

‘Não’ é ‘Não’, inclusive na igreja

No dia 29 de dezembro, o presidente Lula sancionou a lei do protocolo "Não é Não" (lei 14.786/2023), que combate violência e assédio sexual contra mulheres...

Lula sanciona lei que protege mulheres de violência em bares e shows

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que cria o protocolo Não é Não, mecanismo de combate ao constrangimento e à...
-+=