Morre o pianista Ahmad Jamal, grande influenciador de Miles Davis, aos 92 anos

Enviado por / FonteFolha de São Paulo

Jazzista esteve no Brasil a última vez em 2014, quando tocou na noite de abertura do 4º BMW Jazz Festival, em São Paulo

O pianista de jazz Ahmad Jamal, que influenciou músicos de diversas gerações, morreu neste domingo, aos 92 anos. Ele estava em sua casa, em Ashley Falls, no estado americano de Massachusetts.

De acordo com informações do jornal The Washington Post, que conversou com o agente de Jamal, Maurice Montoya, a causa da morte teriam sido complicações de um câncer.

Ahmad Jamal tocou no Brasil em 2014, na noite de abertura do 4º BMW Jazz Festival, no HSBC Brasil, em São Paulo.

Em entrevista à reportagemna época, Jamal relembrou sua primeira e conturbada apresentação no Brasil, em 1978. “O piano Steinway que estava no palco era tão velho que as teclas ainda eram feitas de marfim. Quando algumas se soltaram, eu as atirei para a plateia, que adorou. Nem pude terminar o concerto”, disse, rindo.

Esse incidente não chegou a prejudicar a relação de Jamal com o Brasil. Tanto é que ele retornou outras três vezes, uma delas em 2010, quando se apresentou no extinto Bridgestone Music Festival.

Eu já não toco mais em clubes, nem viajo muito para tocar, só mesmo em ocasiões especiais. Estou aqui outra vez porque se trata de um evento especial”, justificou, na mesma entrevista.

Nascido em Pittsburgh, nos Estados Unidos, em 2 de julho de 1930, Jamal começou a tocar piano aos três anos de idade. Aos 14, deu início à carreira e, aos 20, se mudou para Chicago.

Batizado Frederick Russell Jones, ele mudou seu nome para o que o consagrou no jazz por causa da conversão ao islamismo.

Jamal foi uma grande influência para Miles Davis, por exemplo. Uma das suas performances mais conhecidas é a versão de oito minutos da balada pop “Poinciana”, de Nat Simon com letra de Buddy Bernier, de 1936.

Ele deixa a filha Sumayah Jamal e a mulher Laura Hess-Hey.

+ sobre o tema

Latinidades debate literatura, produção audiovisual e estética da periferia

Quando a escritora cubana Teresa Cárdenas aprendeu a ler,...

Anderson Silva inaugura projeto no Corinthians e cogita academia em nova arena

Por: DANILO VITAL   Anderson Silva consolidou ainda mais sua relação...

Ilê Aiyê está de luto pela morte de mãe Hilda Jitolu

Faleceu neste sábado, 19, às 10h30, a ialorixá Hilda...

Gana, mais uma vez, ‘salva’ o continente africano em um Mundial

Antes de iniciar a Copa-2010, a expectativa era...

para lembrar

Os africanos que lutaram na Segunda Guerra

O 70º aniversário da Segunda Guerra Mundial está...

Luiz Gama vira medalha do IAB

Aprovada a criação de nova premiação do IAB, denominada...

Botucatu, no interior paulista, lança Plano pela Igualdade

Botucatu/SP - Botucatu, cidade de 130 mil habitantes...

‘O Pequeno Príncipe Preto’ chega aos palcos com sua aula de empatia e coletividade

Baseada no clássico de Saint-Exupéry, peça chega a São...
spot_imgspot_img

Carnaval 2025: nove das 12 escolas do Grupo Especial vão levar enredos afro para a Avenida

Em 2025, a Marquês de Sapucaí, com suas luzes e cores, será palco de um verdadeiro aquilombamento, termo que hoje define o movimento de...

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...

Álbum de Lauryn Hill é considerado melhor da história em lista da Apple Music; veja ranking

Uma lista publicada pela Apple Music elegeu os 100 melhores álbuns de todos os tempos. Em primeiro lugar, a escolha foi para 'The Miseducation...
-+=