Mulher negra é presa após policial não acreditar que ela era dona do carro de luxo que dirigia

Uma mulher negra está processando a cidade de Nova York, nos Estados Unidos, após ser vítima de preconceito. Kamilah Brock foi mantida oito dias em um hospital psiquiátrico depois que um policial não acreditou que o carro de luxo que ela dirigia era seu.

no Yahoo

A banqueira de 32 anos foi abordada no bairro do Harlem no início deste ano. O policial, que não quis se identificar, questionou a mulher sobre o porquê de ela não estar com as mãos nos volante de sua BMW.

Em resposta, ela justificou que ouvia música enquanto o veículo estava parado em um sinal vermelho. Mesmo assim, Kamilah foi levada à uma delegacia, onde ficou horas detida sem ser acusada de qualquer crime.

Em seguida, a banqueira foi transferida para a ala psiquiátrica de um hospital na região contra sua vontade, onde foi desnuda e sedada com remédios. Os médicos diziam que ela sofria de Transtorno Bipolar por afirmar constantemente que o carro era dela e que trabalhava em um banco.

Segundo seu advogado, Kamilah não mentiu em nenhum momento e disse não ter sido ouvida por ninguém por ser negra. “Senti como se eu tivesse em um pesadelo. Eu não entendia por que aquilo estava acontecendo comigo”, afirmou Kamilah em entrevista ao canal PIX 11.

+ sobre o tema

As últimas horas do monstro nazista

   Ex-cabo da Polícia Militar brasileira revela, 35...

Ferguson pede “linha dura” no futebol contra casos de racismo

  O técnico do Manchester United, Alex Ferguson,...

para lembrar

Dilma encaminha ao Congresso projeto que cria cotas no serviço público

A presidente Dilma Rousseff assinou nesta terça-feira (5)...

O Portal da Morte

por Sérgio Martins A beleza da vida se contrasta com...

O vírus do racismo

O Brasil ultrapassou 300 mil mortes por Covid-19, em...

Conmebol pune Real Garcilaso com multa e advertência por racismo a Tinga

Conforme a entidade, a equipe peruana, Real Garcilaso, terá...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=