Nadège Jacques é a primeira haitiana mestra internacional do PPG em Saúde Coletiva

Nadège Jacques defendeu sua dissertação na quinta-feira passada, com estudo sobre equidade de gênero a mulheres nos serviços de saúde haitianos

no EducaSaúde

Na quinta-feira, dia 16 de julho, a primeira mestranda internacional do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da UFRGS defendeu sua tese, com elogiosas manifestações da banca. A enfermeira  haitiana Nadège Jacques apresentou o trabalho “Equidade de gênero a mulheres nos serviços de saúde no Haiti”, com orientação da Prof.Drª. Stela Nazareth Meneghel, onde disserta sobre as necessidades específicas de cada gênero no tratamento em saúde, que no caso das mulheres inclui o respeito aos direitos sexuais e reprodutivos. Esse trabalho faz parte da pesquisa “Equidade de gênero como marcador de integralidade na atenção básica de saúde”, que está sendo realizado no Brasil, e foi produzido a partir de entrevistas realizadas com 114 usuárias do departamento sanitário do Haiti, com análise quantitativa e qualitativa dos dados, tornando possível identificar as dificuldades, desigualdades e limitações na prestação de cuidados á saúde das mulheres.

PPGCol internacional

Nadège Jacques foi a primeira, mas não será a única, aluna internacional a concluir o Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da UFRGS. Juntamente com a enfermeira haitiana ingressou, no segundo semestre de 2013, a assistente social espanhola Mercedes Concepción Serrano Miguel, que realizou o Doutorado Sanduíche pela Università Rovira i Virgili, de Tarragona/Espanha, sob supervisão do Prof. Dr. Ricardo Burg Ceccim, coordenador do Educasaúde. No ano seguinte, 2014, chegaram dois médicos italianos: Ardigò Martino (Pós-Doutorado) e Andrea Cannini (Mestrado), ambos também sob a orientação do Prof.Dr. Ricardo Ceccim.

E os alunos continuam procurando o PPGCol/UFRGS. Para o semestre de 2015/2 já está programado o início de mais dois mestrados internacionais: o médico haitiano Pauliny Junior Moi-meme, que será orientado pelo Prof. Roger dos Santos Rosa, e o psicólogo colombiano  José Camilo Botero Suaza, que receberá orientação da Profª. Madel Therezinha Luz. Para o próximo ano, 2016, dois candidatos já aguardam aprovação para ingresso no mestrado em Saúde Coletiva da UFRGS: o sociólogo moçambicano Rassul José Júlio Mardade, e a enfermeira guineense Ana Rosa Có, orientados respectivamente pelos Prof.Alcindo Antônio Ferla e Stela Nazareth Meneghel. Assim, fazemos nossa parte para avançar em um dos grandes objetivos de nossa Universidade, projeto de internacionalização da UFRGS.

+ sobre o tema

Mulheres negras enfrentam barreira maior no mercado de tecnologia

O Brasil tem mais negros (56%) e mulheres (52%),...

Marina: Paradoxos

 Há algo perturbador na performance eleitoral de Marina da...

para lembrar

Ana Paula Xongani estreia no GNT e se torna primeira brasileira com dreads em campanha de cabelos

A influenciadora digital fez os dreads durante uma viagem...

Sobre a solidão da mulher negra

Esse texto é sobre a solidão da mulher negra. Por Albertina...

Morre em Salvador a líder religiosa Makota Valdina

A educadora, líder religiosa e militante da causa negra,...

Mulheres Maravilhosas: Cristiane Sobral

Não me lembro exatamente como entrei em contato com...
spot_imgspot_img

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

Toussaint Louverture, o general negro que libertou o Haiti

Toussaint Louverture liderou a revolução haitiana que conquistou a libertação de dezenas de milhares de escravos negros da antiga colônia francesa no Haiti e abriu caminho...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...
-+=