Número de pessoas em situação de rua na cidade de SP ultrapassa 48 mil e bate recorde em 2022, diz pesquisa

Enviado por / FonteDo G1

Número é o maior da série histórica que começou a ser registrada em 2012, segundo o levantamento realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais, a partir de dados do Cadastro Único. Capital paulista concentra 25% das pessoas em situação de rua de todo o Brasil.

Um levantamento realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) mostra que 48.261 pessoas viviam nas ruas em São Paulo no ano de 2022, sendo o maior já registrado na capital paulista.

O levantamento do Observatório Brasileiro de Políticas Públicas com a População em Situação de Rua (POLOS-UFMG), com dados do CadÚnico, foi obtido com exclusividade pela Globonews.

De acordo com o estudo, que levou em consideração apenas as pessoas que estavam registradas no Cadastro Único, a capital concentra 25% das pessoas em situação de rua de todo o país, enquanto o estado concentra 42% da população em situação de rua no país, ou seja, 4 em cada 10 pessoas em situação de rua no Brasil vivem no estado de São Paulo.

Segundo o coordenador do POLOS-UFMG, André Luiz Dias, entre 2012 e 2020 houve o crescimento das pessoas em situação de rua e também o fortalecimento do CadÚnico enquanto dispositivo de acesso a políticas públicas sociais no país.

O levantamento constatou que:

  • No ano de 2012, eram 3.800 pessoas. Já em 2022 o número é 12 vezes maior, sendo o maior da série histórica.
  • No Brasil são quase 192 mil pessoas em situação de rua registradas no CadÚnico.
  • Segundo os especialistas, o número total está subnotificado. Estima-se que o número real seja cerca de 40% maior, e fique em torno de 300 mil pessoas.
  • Em 2021, o número de pessoas em situação de rua caiu, mas refletiu apenas uma diminuição de registros dessas pessoas — uma dificuldade encontrada pelos municípios durante a pandemia. Não foi uma diminuição real de pessoas vivendo nas ruas.
  • Em 2022, foram realizados mutirões de registros e o número voltou a ficar mais próximo da realidade. Ainda assim, estima-se que há um déficit nesse número. Isso porque o antigo Ministério da Cidadania, do governo Bolsonaro, estabeleceu um prazo para atualização desses cadastros. Como muitas pessoas não conseguiram realizá-lo, em grande parte por dificuldades no sistema, estima-se que mais de 21 mil registros foram excluídos no país somente entre outubro e novembro de 2022.

Veja os registros de moradores em situação de rua ano a ano

Foto: Reprodução/ G1

+ sobre o tema

Inscrições para concurso de auditor fiscal terminam semana que vem

A Secretaria de Estado da Fazenda alerta que o...

FÓRUM SOCIAL MUNDIAL: Progamação Completa

  25/1, segunda-feira   9h Mesa de Saudação...

Maria Rita Kehl encerra o 1º Ciclo de Debates do Fórum Direitos e Cidadania

A psicanalista e escritora Maria Rita Kehl ministrou na...

para lembrar

Nistagmo: entenda o que é a condição que afeta integrante do Black Eyed Peas

A banda Black Eyed Peas virou assunto no Twitter nesta quarta-feira...

Empreendedorismo Afro-Americano

Por: Mônica Francisco*     Nesta terça-feira dia 11 de fevereiro, foi...

Alcoolismo Anônimo

por Isabella Melo Lima via Guest Post para o Portal Geledés Há aqueles que...
spot_imgspot_img

Impacto do clima nas religiões de matriz africana é tema de evento de Geledés em Bonn  

Um importante debate foi instaurado no evento “Comunidades afrodescendentes: caminhos possíveis para enfrentar a crise climática”, promovido por Geledés -Instituto da Mulher Negra em...

Comissão da Saúde aprova PL de garantia de direitos à pacientes falciformes

A Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (5), o Projeto de Lei nº 1.301/2023, que reconhece a doença falciforme como...

Comissão Arns recebe Prêmio Eny Moreira de Direitos Humanos

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos D. Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns recebeu, na tarde da última quarta-feira (05/06), o Prêmio Eny...
-+=