Número de pessoas em situação de rua na cidade de SP ultrapassa 48 mil e bate recorde em 2022, diz pesquisa

Enviado por / FonteDo G1

Número é o maior da série histórica que começou a ser registrada em 2012, segundo o levantamento realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais, a partir de dados do Cadastro Único. Capital paulista concentra 25% das pessoas em situação de rua de todo o Brasil.

Um levantamento realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) mostra que 48.261 pessoas viviam nas ruas em São Paulo no ano de 2022, sendo o maior já registrado na capital paulista.

O levantamento do Observatório Brasileiro de Políticas Públicas com a População em Situação de Rua (POLOS-UFMG), com dados do CadÚnico, foi obtido com exclusividade pela Globonews.

De acordo com o estudo, que levou em consideração apenas as pessoas que estavam registradas no Cadastro Único, a capital concentra 25% das pessoas em situação de rua de todo o país, enquanto o estado concentra 42% da população em situação de rua no país, ou seja, 4 em cada 10 pessoas em situação de rua no Brasil vivem no estado de São Paulo.

Segundo o coordenador do POLOS-UFMG, André Luiz Dias, entre 2012 e 2020 houve o crescimento das pessoas em situação de rua e também o fortalecimento do CadÚnico enquanto dispositivo de acesso a políticas públicas sociais no país.

O levantamento constatou que:

  • No ano de 2012, eram 3.800 pessoas. Já em 2022 o número é 12 vezes maior, sendo o maior da série histórica.
  • No Brasil são quase 192 mil pessoas em situação de rua registradas no CadÚnico.
  • Segundo os especialistas, o número total está subnotificado. Estima-se que o número real seja cerca de 40% maior, e fique em torno de 300 mil pessoas.
  • Em 2021, o número de pessoas em situação de rua caiu, mas refletiu apenas uma diminuição de registros dessas pessoas — uma dificuldade encontrada pelos municípios durante a pandemia. Não foi uma diminuição real de pessoas vivendo nas ruas.
  • Em 2022, foram realizados mutirões de registros e o número voltou a ficar mais próximo da realidade. Ainda assim, estima-se que há um déficit nesse número. Isso porque o antigo Ministério da Cidadania, do governo Bolsonaro, estabeleceu um prazo para atualização desses cadastros. Como muitas pessoas não conseguiram realizá-lo, em grande parte por dificuldades no sistema, estima-se que mais de 21 mil registros foram excluídos no país somente entre outubro e novembro de 2022.

Veja os registros de moradores em situação de rua ano a ano

Foto: Reprodução/ G1

+ sobre o tema

Sucessora de Dorothy diz que situação piorou em Anapu (PA)

Por: JOÃO CARLOS MAGALHÃES     Cinco anos...

Trabalho escravo: Contra os fatos

Por: Mirian Leitão A empresa tem que fornecer água potável...

5ª MOSTRA CINEMA E DIREITOS HUMANOS ABRE INSCRIÇÕES

ARACAJU E OUTRAS TRÊS CIDADES RECEBEM A...

Costureiras são resgatadas de escravidão em ação inédita

Por: Bianca Pyl e Maurício Hashizume Fiscalização encontrou duas...

para lembrar

spot_imgspot_img

Mulheres em situação de rua vivenciam invisibilidade social

No estado de São Paulo, conforme a paisagem vai mudando, vão se alterando também os contornos da dinâmica em torno da população em situação...

Onde vivem os negros

Quando me deparei com aquele homem imundo, cabelo todo desgrenhado, sentado num contêiner de lixo orgânico numa quadra do Plano Piloto de Brasília, a...

Mundo com 8 bilhões é menos branco e demanda reforma de políticas e concepções raciais

Proporcionalmente, o mundo terá cada vez menos pessoas brancas nas próximas décadas. Mais da metade do aumento da população global projetado pela ONU até 2050 se...
-+=