Obama assina lei que destina US$ 600 milhões para a fronteira mexicana

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sancionou nesta sexta-feira uma lei autorizando a liberação de US$ 600 milhões (cerca de R$ 1,06 bilhão) para reforçar a segurança na fronteira com o México.

A medida havia sido aprovada na quinta-feira pelo Senado, depois que democratas e republicanos interromperam seu recesso de verão e chegaram a um acordo para votar o projeto.

Os recursos serão destinados à contratação de mil agentes para patrulhar a fronteira e à compra de equipamentos de comunicação e vigilância que permitirão, inclusive, a realização de voos não-tripulados para verificar a região.

Também serão contratados 250 agentes para atuar nos setores de imigração e alfândega.

O objetivo das medidas é coibir o fluxo de imigrantes ilegais e o tráfico de drogas na fronteira, em meio ao crescente debate sobre o tema da imigração no país, que deve ganhar ainda mais destaque à medida que se aproximam as eleições legislativas de novembro.

A expectativa, segundo o governo, é de que demore em torno de oito meses até que os novos agentes sejam treinados e enviados para a fronteira.

México

Obama assinou a lei em uma cerimônia no Salão Oval da Casa Branca, ao lado da secretária de Segurança Interna, Janet Napolitano.

“Essa nova lei vai fortalecer nossa parceria com o México no combate a gangues e organizações criminosas que operam em ambos os lados de nossa fronteira comum”, disse o presidente em um comunicado na quinta-feira, após a aprovação da medida pelo Congresso.

Em maio, em visita aos Estados Unidos, o presidente mexicano, Felipe Calderón, já havia feito um apelo para que os dois países atuassem conjuntamente no combate aos problemas na fronteira.

A violência relacionada ao tráfico de drogas é um dos principais desafios enfrentados pelo governo mexicano, e crescem nos Estados Unidos os temores de que gangues estejam cada vez mais ativas do lado americano da divisa.

Reforma

O tema da imigração ilegal também tem provocado polêmica nos Estados Unidos, principalmente depois que o Arizona anunciou uma nova lei que torna crime estadual a presença de imigrantes ilegais. Um dos argumentos dos defensores da lei é a falta de segurança na fronteira com o México.

A lei provocou protestos e foi contestada na Justiça, mas diversos Estados americanos estudam adotar legislações semelhantes, e pesquisas de opinião revelam que a maioria dos americanos é favorável a medidas desse tipo.

Nesta semana, a Flórida anunciou que avalia a adoção de uma lei “ainda mais dura” que a do Arizona.

O destino dos mais de 11 milhões de imigrantes ilegais nos Estados Unidos é um dos principais problemas enfrentados pelo governo americano.

Obama já disse várias vezes que o sistema de imigração do país está falido e precisa de uma reforma, o que era uma de suas promessas de campanha.

No entanto, a reforma sofre resistência da oposição republicana no Congresso, e poucos acreditam que seja possível aprovar alguma medida antes das eleições de novembro.

“Essas medidas (sancionadas nesta sexta-feira) farão uma grande diferença, enquanto meu governo continua a trabalhar com o Congresso em busca de uma reforma das leis de imigração ampla e bipartidária, para garantir a segurança das nossas fronteiras e restaurar a responsabilidade de nosso sistema de imigração quebrado”, disse Obama no comunicado.

Para mais notícias, visite o site da BBC Brasil

+ sobre o tema

Defensoria Pública de SP recorre ao STF contra flexibilização nas câmeras corporais na PM

A Defensoria Pública do estado de São Paulo entrou...

Imposto de renda: como apoiar projetos sociais na sua declaração

Pouca gente sabe, mas parte do seu imposto de renda devido...

Brasil investe pouco em prevenção de desastres

Separada por duas ruas da margem do rio dos...

Ações para a cidadania

Testemunhamos casos de guerras, violências, feminicídios e racismo diariamente....

para lembrar

STJ mantém condenação por corrupção do ‘Japonês da Federal

O ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça...

Salão é condenado por queda de cabelo em mulher que fez alisamento em MG

O TJ (Tribunal de Justiça) de Minas Gerais condenou...

Na contra a corrente

Não faz meu estilo cultivar tristezas e desânimo, mas...

Opinião: carta aberta a um ex-presidente

Sinto muito, senhor ex-presidente, cada dia que passa sem...

Entidades de segurança pública e direitos humanos dizem que novo edital precariza programa de câmeras da PM em SP

Entidades da sociedade civil ligadas à segurança pública manifestaram preocupação com o novo edital para contratação de 12 mil câmeras corporais para a Polícia...

Convenção da extrema direita espanhola é alerta para o Brasil

"Manter o ideal racial de um continente branco de famílias cristãs e heterossexuais" foi marca de destaque da convenção do Vox - Viva 24,...

Aprovado no Senado, PL dos planos de adaptação esboça reação a boiadas do Congresso

O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (15/05) o Projeto de Lei 4.129/2021, que cria diretrizes para a elaboração de planos de adaptação à...
-+=