Olímpiadas: “Cuidar de três bebês é mais difícil do que quebrar o recorde de 100 metros rasos”, diz Usain Bolt

Ganhar oito medalhas de ouro nas Olímpiadas é fácil. Difícil mesmo é cuidar de três bebês, em meio a uma pandemia. E quem está dizendo é uma pessoa que tem propriedade para falar sobre o assunto: o atleta jamaicano Usain Bolt, 34. 

Único velocista a vencer os 100 e 200 metros rasos em três Olimpíadas consecutivas (2008 2012 e 2016), recentemente Bolt anunciou a chegada de seus caçulas, os gêmeos Thunder e Saint Leo. No último dia 20 de junho, o atleta compartilhou a novidade em suas redes sociais. Ele e a companheira, a modelo jamaicana Kasi Bennett, 31, já eram pais de Olympia, 1. 

O casal manteve a gravidez em segredo e só dividiu a notícia com seus mais de 10 milhões de seguidores depois que os bebês nasceram. “Assim ficou mais fácil para a Kasi, para que ela pudesse relaxar e não sentisse muita pressão ou estresse. As pessoas sempre querem fazer perguntas… Da última vez, era tudo sobre ela nas redes sociais. Agora, ela só queria ter uma gravidez tranquila”, explicou, em entrevista ao jornal britânico The Mirror. 

Usain Bolt está longe das pistas desde 2017, quando se aposentou do atletismo e decidiu se dedicar a outros projetos. O maior desafio desde então, segundo ele, é o que está vivendo agora: o de cuidar de três bebês com menos de dois anos, em meio a uma pandemia. “Cuidar de três bebês é mais difícil do que quebrar o recorde de 100 metros rasos. Quando eles começam a chorar juntos, vira um pandemônio. Você não sabe o que fazer. Então é difícil, mas vale a pena.”

A chegada dos gêmeos mudou radicalmente a rotina da família, mas Bolt garante que ter as três crianças por perto é mais gratificante do que qualquer um dos seus oito ouros olímpicos que conquistou durante a carreira. “As pessoas sempre dizem que, no momento em que tiver o primeiro filho, sua vida muda. E é verdade. É algo que eu realmente amo e valorizo. Todos os dias há algo novo para descobrir. Isso te faz sorrir, te faz feliz”, disse. 

Apesar de não disputadr as Olimpíadas de Tóquio, que começam oficialmente nesta sexta-feira (23), o jamaicano não deixa de pensar sobre o assunto. “Eu estou realmente ansioso para ver como meus filhos vão crescer ou se eles também vão querer fazer atletismo, ou não praticar nenhum esporte.”

+ sobre o tema

Projeto espacial esbarra em comunidades quilombolas no MA

  A empresa estatal binacional ACS (Alcântara-Cyclone Space),...

Compositor Nei Lopes celebra 80 anos com a poesia do livro ‘Oitentáculos’

O título do livro lançado por Nei Lopes neste primeiro bimestre...

A bronca que Machado tinha de Eça

A bronca que Machado tinha de Eça. Numa crítica e...

para lembrar

A representação das Máscaras Gelede

"Os olhos que contemplaram Gęlędę viram o espetáculo máximo. Ojú...

Zahara é a bola da vez na música da África do Sul

Por: Ana Ribeiro No estilo vozeirão e violão, cantora...

Salgueiro derruba obelisco com a palavra racismo e emociona Sapucaí

Com um enredo que aborda a Resistência Negra, a escola...

Bumba-meu-boi do Maranhão: Conselho Consultivo avalia registro como patrimônio cultural

Festa tradicional reúne várias manifestações culturais e se transforma...
spot_imgspot_img

Filme biográfico sobre Luiz Melodia é o vencedor do Festival In-Edit Brasil

O documentário "Luiz Melodia - No Coração Do Brasil" é o grande vencedor da 16º edição do In-Edit Brasil, o Festival Internacional do Documentário Musical. Dirigido...

Jordan Peele faz anúncio misterioso nas redes sociais

Jordan Peele tem planos para outubro. Ele publicou uma foto com a data de 23 de outubro deste ano em fundo preto e não acrescentou...

Mulheres afrodescendentes são destaque em evento internacional pela conservação ambiental e justiça climática

No último dia 14, a vice-presidenta da Colômbia, Francia Márquez, esteve no fechamento do evento internacional “Garantir a posse da terra e os direitos...
-+=