ONG faz mapa interativo com mais de 180 instituições com sistema de cotas

Educafro mapeia políticas de ação afirmativa na educação desde 2002.

Diretor da ONG afirma que tendência é a criação de cotas regionais.


A ONG Educafro lançou, nesta terça-feira (1º), a edição mais atualizada de seu mapa interativo de ações afirmativas nas instituições de ensino superior no Brasil (veja aqui). De acordo com o levantamento feito pela entidade, que é reformulado periodicamente junto às próprias instituições, mais de 180 universidades estaduais e federais, além de faculdades e institutos de ensino tecnológico, oferecem algum tipo de política de ação afirmativa a candidatos que estudaram em escolas públicas ou são negros, indígenas ou mulheres.

Segundo o mapa, o estado com o maior número de instituições que aplicam algum tipo de cota ou bônus é São Paulo, com 57, a maioria parte das Faculdades de Tecnologia (Fatecs), do governo estadual.

Rio de Janeiro, Paraná e Minas Gerais reúnem, respectivamente, 19, 18 e 14 instituições. No Nordeste, o estado com maior número de universidades ou institutos com sistema de cotas é a Bahia (são 9, no total).

O mapa permite que o candidato busque, por estado, a lista de instituições que oferecem algum tipo de política de ação afirmativa. O site mostra o ano de implantação da política e explica se ela se baseia em bônus na nota final ou em reserva de vagas especificamente para um determinado grupo.

Tendência de cotas regionais

De acordo com Frei David Santos, diretor-executivo da Educafro, o mapeamento é feito desde 2002, mas ele ganhou um formato interativo há três anos. O último levantamento, segundo ele, foi feito no final de 2010 e listou 129 instituições.

A versão lançada nesta terça-feira, segundo ele, mostra que 60 instituições optam por oferecer bônus na nota final para candidatos que estudaram em escola pública ou são negros. Outras 52 instituições combinam cota racial e social na forma de reserva de vagas. Ainda segundo Frei David, 55 instituições só têm cota social, e apenas 20 oferecem política de ação afirmativa só para estudantes negros.

O diretor da Educafro comemorou a decisão unânime do Supremo Tribunal Federal (STF) que, na semana passada, julgou pela constitucionalidade dos sistemas de cotas. “Com a bonita aprovação do STF, estamos percebendo que vai aumentar o número de instituições com políticas de ação afirmativa”, afirmou ao G1.

Frei David disse ainda que a Educafro tem notado uma tendência de aumento das cotas regionais, principalmente por causa do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação. O novo formato tem aumentado a mobilidade de estudantes pelos estados brasileiros, mas muitos estudantes, depois de assegurar a vaga, conseguem transferência para outros estados e aumentam a defasagem em universidades do Norte e do Nordeste, principalmente em cursos mais concorridos, como medicina.

O diretor citou como exemplo a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), onde, segundo ele, mais de 70% dos candidatos aprovados neste ano vinham de outras unidades do Brasil. “O Sisu deve aumentar as vagas destinadas a estudantes da região”, afirmou.

Ainda segundo Frei David, as instituições particulares não são incluídas no mapa porque todas as universidades e faculdades que aderem ao Programa Universidade Para Todos (Prouni), que dá bolsa integral ou parcial a estudantes de escola pública e baixa renda, precisam reservar vagas específicas para negros, na mesma porcentagem da população negra de seu estado, de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). “Para saber quais instituições particulares oferecem cotas, basta ver o site do Prouni”, disse.

 

 

 

Fonte: G1

+ sobre o tema

Casais negros aderem a relações afrocentradas

Termo usado para designar uma união afetiva e/ou sexual...

É a pré-campanha eleitoral

A compulsão eleitoral moveu o prefeito do Rio de...

Lula cria fundo privado de R$ 20 bi para tentar manter alunos pobres no ensino médio

O governo Lula (PT) editou uma MP (medida provisória) que cria...

Profissionais negros reinventam suas carreiras na TV e avaliam a importância da discussão racial

No Dia da Consciência Negra, o gshow conversou com artistas que compartilham...

para lembrar

ONG mapeia 129 instituições públicas de ensino superior com sistema de cotas

A ONG Educafro criou uma ferramenta para estudantes de...

STF julga hoje lei que criou o Prouni e as cotas para negros na UnB

do CONEN – Coordenação Nacional das Entidades Negras/Brasil, por...

As inverdades do jornal

Por Miro Nunes  Ter opinião contra as ações afirmativas...

Cota racial avança na USP

Ministros decidiram que o modelo é necessário para corrigir...
spot_imgspot_img

Somente 7 estados e o DF têm cotas para negros em concursos públicos. Veja quais

Adotadas no Executivo federal, as cotas raciais nos concursos para entrada no serviço público avançam em ritmo bem lento nos outros níveis de governo,...

Unilab, universidade pública mais preta do Brasil, pede ajuda e atenção

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) surgiu com a proposta de fazer a integração de alunos de países africanos de língua...

As cotas abrem portas

Um rápido passar de olhos nas fotos da comemoração da aprovação do projeto que reformula a Lei de Cotas nas universidades federais pela Câmara,...
-+=