Praça da Liberdade, em SP, tem nome alterado para Liberdade África-Japão

Justificativa é reparação histórica pela presença negra na região

A praça da Liberdade, localizada entre a avenida Liberdade, a rua Galvão e a rua dos Estudantes, no centro de São Paulo, passa a se chamar praça da Liberdade África-Japão. O objetivo é resgatar e celebrar a memória negra na região.

A lei que instituiu a mudança foi sancionada pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) e publicada na edição desta quinta (1º) do Diário Oficial.

Na justificativa do projeto —apresentado em 2020 pelo então vereador Paulo Reis (PT) e pela vereadora Luana Alves (PSOL)— consta que, em julho de 2018, o espaço foi batizado de praça Japão-Liberdade em justa homenagem à imigração japonesa, mas que é injusto ignorar a presença do negro escravizado na cidade, cujas marcas foram cravadas no bairro que abrigou, por exemplo, local conhecido como Largo da Forca, exatamente onde está a praça.

No Largo da Forca, acrescenta o projeto, negros escravizados acusados de crimes eram mortos por enforcamento público, algo que durou até o século 19.

Praça da Liberdade África-Japão nesta quinta (1º) (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

A Liberdade também abriga a Capela dos Aflitos, que vai ganhar novo restauro. A construção é o que sobrou do Cemitério dos Aflitos, a primeira necrópole pública da cidade de São Paulo, inaugurada em 1774 e desativada em 1858 com a inauguração do cemitério da Consolação.

O altar carece de pintura, e a escadaria que leva até o sino foi corroída por cupins. A porta onde devotos colocam bilhetinhos para agradecer a Chaguinhas, um santo negro popular, está desgastada pela infiltração que vem do teto. O forro tem marcas de mofo, e as paredes têm rachaduras, além de tinta descascada.

Chaguinhas, como era conhecido Francisco José das Chagas, foi um militar negro condenado à morte em 1821 por ter liderado um motim em Santos pelo pagamento de salários. No ano da Independência, foi levado ao Largo da Forca.

Segundo relatos registrados pelo Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, a corda que mataria Chaguinhas arrebentou duas vezes. O público que assistia à execução pediu clemência às autoridades, acreditando que a salvação seria obra divina.

O pedido foi negado e Chaguinhas morreu na terceira tentativa de enforcamento. Embora não tenha sido canonizado, o ex-militar é dito milagreiro e sua história tem se popularizado.

+ sobre o tema

Fabrício Boliveira, Paulo Lins e Daiane Rosário abrem programação da Mostra Mahomed Bamba

A Mostra Itinerante de Cinemas Negros Mahomed Bamba realiza...

Escolha da Deusa do Ébano será realizada no dia 24

No próximo dia 24, elas vão subir ao palco,...

Um movimento literário que brota do povo: a Favelofagia e o Bando Editorial

Autores das classes populares recebem suporte para produção e...

para lembrar

Jesús Chucho García: La Parranda de los muertos pa´Guillermina

Una vez mas, los muchachos de la parranda Todos...

PL dos Búzios é aprovado na Comissão de Educação e Cultura

Fonte:Deputado Luiz Alberto-   O Projeto de Lei que propõe a...

Carta do movimento Quilombola do Maranhão

Pisa Ligeiro, pisa ligeiro. Quem não pode com quilombos não...
spot_imgspot_img

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Grávida, Iza conta que pretende ter filha via parto normal: ‘Vai acontecer na hora dela’

Iza tem experienciado e aproveitado todas as emoções como mamãe de primeira viagem. No segundo trimestre da gestação de Nala, fruto da relação com Yuri Lima, a...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...
-+=