Projeto usa celular para mobilizar jovens quilombolas na Bahia

Redação Correio Nagô – Março de 2008. Um navio norueguês atraca no Porto de Aratu e derrama cinco mil litros de óleo lubrificante na Baía de Todos os Santos, contaminando fauna e flora de extensa área de mangue próximo à praia da Bananeira, na Ilha de Maré. Pescadores e marisqueiras da comunidade quilombola da região são afetados, mas encontram dificuldades para denunciar a violação para o poder público e imprensa.

O caso relatado acima é apenas mais um exemplo entre as inúmeras exclusões de que são vítimas os povos tradicionais da Bahia. Para ajudar a mudar esse quadro o Instituto Mídia Étnica (IME), em parceria com o Center for Civic Media, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), vem desenvolvendo um projeto pioneiro no Brasil “Vojo Brasil: ampliando vozes quilombolas por meio do celular”.

O projeto atua no sentido de empoderar jovens quilombolas para que estes possam fazer o mapeamento das violações que sofrem e utilizar o celular para se comunicarem de maneira rápida e interativa com outros blogueiros e meios de comunicação.

A iniciativa, que é um projeto piloto, pretende se espalhar para outras comunidades tradicionais que possuem pouco, ou nenhum, acesso a internet, como comunidades em zonas rurais remotas, indígenas, ocupações habitacionais e demais grupos vulnerabilizados e excluídos da produção de informação.

A tecnologia VOJO possibilita a qualquer pessoa possa criar e atualizar um blog mesmo que este não possua computador ou internet em seu aparelho de celular. A ferramenta permite envio de reportagens de áudio por celulares de baixo custo e até mesmo de telefones públicos. No caso do uso do celular, ainda pode-se enviar fotos e vídeo.

A ideia do projeto é possibilitar jovens de comunidades o acesso à tecnologias e conectar as diversas comunidades em torno de uma rede para que possam se articular e buscar maior visibilidade, perante a opinião pública, em relação as suas demandas sociais, culturais e políticas. O projeto conta com o apoio do MIT, por meio do seu corpo técnico de pesquisadores do Media Lab, um dos maiores centros de excelência em tecnologia do mundo.

“Um dos principais obstáculos que o país precisa superar é o de envolver plenamente a sua população historicamente marginalizada no processo de desenvolvimento, democratizando o uso das tecnologias. A ferramenta pode possibilitar o acesso à tecnologia a comunidades remotas e socialmente marginalizadas em todo o país”, destaca Paulo Rogério Nunes, diretor executivo do Instituto Mídia Étnica.

Com quase oito anos de atuação, o Instituto Mídia Étnica é uma organização social que desenvolve projetos no campo da comunicação e diversidade e é responsável por diversos ações de comunicação comunitária e jornalismo cidadão, como o portal Correio Nagô (www.correionago.com.br).

Funcionamento – Um total de 20 jovens de comunidades remanescentes de quilombo da Ilha de Maré, Salvador, estão sendo treinados na metodologia. A primeira experiência prática foi a cobertura da III Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial (III CONEPIR). Utilizando seus aparelhos celulares, os jovens fizeram entrevistas e fotos com os participantes e postaram nas mídias sociais. Os quilombolas das comunidades de Bananeiras, Martelo, Porto dos Cavalos, Maracanã e Praia Grande integram o projeto Vojo.

A tecnologia Vojo foi criada originalmente com o projeto VozMob para ser usada por imigrantes latinos nos EUA e, em parceria com o Instituto Mídia Étnica, foi testada pela primeira vez com trabalhadoras domésticas brasileiras residentes em Boston. O projeto integra as estratégias de uso das novas tecnologias para consolidação de uma comunicação comunitária e cidadã do portal Correio Nagô (www.correionago.com.br), que deve lançar até o próximo mês uma nova versão de sua plataforma digital.

jovens1

Segundo Luciane Neves, publicitária e uma das coordenadoras do projeto. “além da tecnologia VOJO, os jovens tiveram palestras sobre Gênero, DST/AIDS, Identidade Negra, Democratização da Comunicação e Técnicas de Jornalismo. Depois do treinamento, a ideia é que eles possam replicar a tecnologia para outras comunidades de Salvador e outras partes do Brasil.”

Ilha – Segundo dados da pesquisa “Urbanização (In)sustentável em Ilha de Maré: Estudo de Caso da Vila de Santana”, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia, a Ilha de Maré localiza-se a cerca de 5 km de São Tomé de Paripe, subúrbio de Salvador, possui uma população de 5.712 habitantes (dados do IBGE, 2000), distribuída em uma área de 1.378,57 ha ou 13,79 km2.

ilha

A comunidade em questão encontra-se localizada em uma área de difícil acesso da Região Metropolitana de Salvador, em uma ilha cercada de empreendimentos portuários, por conta da presença de indústrias transacionais e da Zona Portuária de Aratu (para o qual as comunidades tradicionais não são uma prioridade) e, por isso, o local é palco de luta constantemente pelo reconhecimento do seu território e pela manutenção das características de sua comunidade, como a pesca artesanal.

O projeto Vojo Brasil pretende dar voz a juventude local para cobrar políticas públicas de inclusão e também dar visibilidade ao local que possui uma natureza exuberante e uma história secular.

Fonte: Correio Nagô

+ sobre o tema

Perspectivas sobre la danza punta: Adebisi Akinrimisi

Origem: Stanford.edu Adebisi Akinrimisi  Sociólogo garifunaSan Francisco, California ...

Portugal acolhe descendentes de judeus expulsos no século XV

Para um português, alguém ter ou não ter ascendência...

Leilão da coleção de Emanoel Araújo é suspenso a pedido do governo federal

O leilão da coleção de obras de arte que pertenceram...

Alerta falso: Beyoncé não deu à luz uma menina

Ainda não foi dessa vez. Ao contrário do que...

para lembrar

Gilberto Gil será supervisor musical de “Orfeu Negro” na Broadway

    O cantor e compositor Gilberto Gil será o supervisor musical da...

Mãe de Beyoncé diz que novo álbum da cantora será lançado ‘muito em breve’

A mãe da cantora norte-americana Beyoncé, Tina Knowles, deixou escapar...

Quilombo dos Palmares

O Quilombo dos Palmares localizava-se na serra da...

Um olhar sobre as Literaturas Africanas de Língua Portuguesa

Por muito tempo, o continente africano foi visto, na...
spot_imgspot_img

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=