Promotoria sul africana suspende acusações polêmicas

As acusações de homicídio contra 270 mineiros que participaram dos protestos na mina de Marikana, em agosto deste ano foram retiradas em caráter provisório pela Promotoria da África do Sul depois que suspeitas sobre o indiciamento repercutiram em uma crise política no país. As informações são da Folha Online com agências de notícias internacionais.

Os homicídios teriam ocorrido durante confrontos entre sindicatos rivais no país, quando então policiais responderam com um forte ato de repressão. Na ocasião, 34 operários acabaram mortos no conflito que ocorreu dia 16 de agosto deste ano.

Os promotores resolveram aguardar os resultados do levantamento feito pela comissão judicial de investigação, que tenta esclarecer os fatos em relação ao incidente depois que o indiciamento dos mineiros causou perplexidade na sociedade. Isso porque há dúvidas que embora estivessem presentes no local, não certeza sobre sua participação nos homicídos.

As acusações tinham provocando revolta nas famílias das vítimas, gerando até mesmo mal estar no governo do presidente Jacob Zuma. Frente a má repercussão do caso, a promotoria acabou retrocedendo.

“Não resta dúvidas de que a decisão da promotoria provoca um sentimento de estupor, de pânico e de confusão na sociedade sul-africana”, disse o ministro da Justiça, Jeff Radebe, que cobrou publicamente informações sobre o caso.

“Pedi ao diretor-geral da Procuradoria, Nomgcobo Jiba, que me apresente um relatório que justifique a decisão”, acrescentou

Por conta de nenhum policial ter sido acusado por homicídio na ocasião do conflito, foi criada uma comissão de investigação especial encarregada de esclarecer o que ocorreu.

Juristas sul africanos avaliam que os promotores do país lançaram mão de uma lei antidistúrbios de 1956 para acusar os mineiros. A lei é da época do Apartheid e nunca foi foi revisada após o implemento da democracia em 1994.

A lei estabelece que em caso de tiroteio envolvendo políciais, todas as pessoas detidas no local podem ser responsabilizadas por eventuais mortes que venham ocorrer.

 

Fonte: Conjur 

+ sobre o tema

Roda de conversa sobre racismo, afeto e caminhos da cura

Convidamos todos a participarem do evento abaixo para dialogar...

Holanda: Atores negros palcos brancos

"Ainda somos um público branco.  Se você estiver olhando...

Onde estão os negros da Argentina? Sobre a festa de San Baltazar

Acompanhamos a festa de San Baltasar, a única que...

Copa precisa trazer benefícios ao povo sul-africano, diz Nelson Mandela

Ex-presidente disse que Mundial de futebol é um "privilégio"...

para lembrar

Negros americanos também estão mais expostos ao coronavírus

O panorama de vulnerabilidade da população negra é o...

O casal Taís Araújo e Lázaro Ramos curtem praia com o filho João Vicente

Taís Araújo aproveitou o fim de semana ensolarado, em...

YES WE CAN – O discurso

Criado no dia 02 de Fevereiro 2008 sobre o...

Zoe Saldana pode perder papel de Nina Simone no cinema. O motivo?

Escalada para viver na telona Nina Simone, Zoe Saldana...
spot_imgspot_img

Aos 105, Ogã mais velho do Brasil, que ajudou a fundar 50 terreiros só no Rio, ganha filme e exposição sobre sua vida

Luiz Angelo da Silva é vascaíno e salgueirense. No mês passado, ele esteve pela primeira vez no estádio de São Januário, em São Cristóvão,...

Mostra sobre Lélia Gonzalez vê negros e indígenas como centro da cultura nacional

As escolas de samba do Rio, os blocos afro da Bahia, as congadas de Minas Gerais, as comemorações da Semana Santa e do Natal. O que todas essas celebrações têm...

Gilberto Gil afirma que não se aposentará totalmente dos palcos: “continuo querendo eventualmente cantar”

No fim de junho, saiu a notícia de que Gilberto Gil estava planejando sua aposentadoria dos palcos. Segundo o Estadão, como confirmado pela assessoria do...
-+=