Racismo institucional celebra o que há de mais selvagem e incivilizado

Os dados divulgados pelo Ipea sobre a situação dos jovens negros, pobres, que vivem em áreas vulnerabilizadas e possuem baixa escolaridade, serem, ou melhor, se manterem como alvos e sujeitos preferenciais da letalidade produzida por armas de fogo em mãos de agentes do estado, causa muita inquietação e produz sentimentos que vão da tristeza à indignação.

Por Mônica Francisco, do Jornal do Brasil

Mais de 70 por cento das mortes violentas são de pessoas negras. Isso segundo, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, demonstra uma total distância das instâncias governamentais da realidade da população.

Traduz, segundo o relatório, uma naturalização cada vez maior dos homicídios. O racismo institucional é certamente um dos fatores preponderantes nestes resultados.

A falta de compromisso com a vida dos(as)mais vulnerabilizados e o pouco empenho em produzir ações que vão além da experimentação ou sejam apenas ações reativas a momentos críticos ou picos de violência e de grande repercussão como os vistos no início do ano no sistema penitenciário, é cada vez mais evidente e assustador.

A criminalização da pobreza negra, masculina e jovem, a ascendente da vitimação de mulheres negras pobres e o aumento do encarceramento desse grupo, demanda da sociedade muita cautela, para perceber no que realmente se está traduzindo o seu clamor por justiça e paz.

Não há pena de morte no Brasil. Mas o racismo institucional, e a construção imagética de um indivíduo (a) a ser temido (a), celebra o que há de mais selvagem e incivilizado. A incessante dinâmica de mais armas e mais polícia está muito aquém  como estratégia de promoção ou manutenção destas vidas.

Todas as vidas importam.

*Colunista, Consultora na ONG Asplande e Membro da Rede de Instituições do Borel 

+ sobre o tema

O necessário combate ao racismo estrutural é tema do Jornal da Advocacia

O necessário combate ao racismo estrutural é tema do...

Jesus não era branco: a jornalista americana que ressuscitou o debate sobre a cor da pele de JC

por : Kiko Nogueira   A jornalista Megyn Kelly, âncora da Fox,...

Advogado negro é agredido e algemado após ser impedido de usar elevador no TRT

"Testemunhas avaliaram que o comportamento dos seguranças não teria...

para lembrar

Os negros e a escravidão, apenas uma opinião

Pondé é um fracasso como animal político e racional....

Delegacias especializadas em crimes étnicos-racias

O ministro da Igualdade Racial anunciou nesta quarta-feira (29/10)...

Professora de religião afro da Uepa, Daniela Cordovil, chama segurança de “macaco” no Pará

Na noite desta sexta-feira (14), alunos da Universidade do...

Os terroristas vestem fardas

MAIS UMA CHACINA. MAIS CINCO JOVENS NEGROS E POBRES...
spot_imgspot_img

SC tem alta de 51% nos casos de injúria racial e lidera denúncias do crime no país

Em Santa Catarina, seis pessoas procuraram a polícia por dia, em média, para denunciar casos de injúria racial em 2023. No ano passado, 2.280 pessoas sofreram ofensas...

O destino dos negros

A semana em que o Estatuto da Igualdade Racial (lei 12.288/2010) completou 14 anos foi repleta de notícias que atestam o quanto o Brasil está longe...

Roda de samba no Centro do Rio registra dupla imitando macacos em evento: ‘não será tolerado’

O PedeTeresa, roda de samba que acontece na Praça Tiradentes, no Centro do Rio, compartilhou um vídeo de uma dupla imitando macacos em um...
-+=