SP adota turno extra para entregar obras

Por: CATIA SEABRA, MOACYR LOPES JÚNIOR

 

Desde o início do mês, trabalho no trecho sul do Rodoanel invade as madrugadas; inauguração está prevista para o dia 29

Segundo o governo de SP, a opção por três turnos de trabalho é uma maneira de compensar os atrasos provocados pelas chuvas


O governo de São Paulo adotou o terceiro turno para acelerar a execução de obras viárias e garantir sua conclusão ainda em março. Desde o início do mês, as obras do trecho sul do Rodoanel invadem a madrugada. Maior obra viária do país e vitrine da gestão Serra, o Rodoanel tem inauguração programada para o dia 29.

O governador José Serra (PSDB) deverá renunciar ao cargo quatro dias depois para concorrer à Presidência. Além do Rodoanel, o governo também trabalha 24 horas em pelo menos duas outras obras com previsão de inauguração ainda em março: a Nova Marginal e a Poá/Itaquaquecetuba/Suzano/Ayrton Senna.

Obra de visibilidade, a Nova Marginal tem inauguração programada para o sábado, dia 27. Disposto a construir a imagem de empreendedor, Serra inaugura amanhã outra estrada: a Bauru-Marília.

Segundo fontes do governo Serra, a opção por três turnos de trabalho -flagrada pela Folha- é uma maneira de compensar os atrasos provocados pelas fortes chuvas de verão.

Ainda segundo integrantes do governo, o trabalho em turno noturno não representa custo adicional para o governo, já que os contratos são globais.

Já a assessoria da Secretaria dos Transportes afirma, em nota, que cabe aos consórcios, e não ao governo estadual, definir o ritmo das obras.

“A execução da obra do trecho sul do Rodoanel é feita pelo regime de preço global, que substituiu o de preço unitário. Nesses termos, a execução da obra e os critérios adotados em relação aos turnos de trabalho são de responsabilidade dos consórcios, cabendo à Dersa a gestão do projeto, que efetua o pagamento de acordo com as medições dos serviços executados”, disse o governo, em nota.

A Folha esteve, de madrugada, no Rodoanel em janeiro, fevereiro e março. Só neste mês, constatou o trabalho no turno da madrugada.

Segundo integrantes do governo, a chuva impediu que o trabalho fosse acelerado durante o verão.

Na região da cidade de Embu, próximo ao local onde caíram vigas do viaduto, em novembro de 2009, o trecho está sem asfalto, ainda em terra. A reportagem flagrou homens e máquinas trabalhando na madrugada, colocando pedras, removendo terra.

Além das obras viárias, as do metrô acontecem também durante a madrugada. De acordo com o consórcio Via Amarela, esse regime de trabalho vigora desde 2004.
Segundo a assessoria de imprensa da ViaQuatro, empresa que vai operar e fazer a manutenção da linha 4 do metrô, os testes do sistema das estações Paulista e Faria Lima ocorrem em horários variados, com a presença de seguranças nas duas estações.

Questionado se está mantida a previsão de inauguração em março, o Metrô informou que “as estações Paulista e Faria Lima estão em fase final de acabamento”. Só depois da conclusão de testes serão entregues.

 

Fonte: Folha de S.Paulo

+ sobre o tema

A inovação política que emerge nas periferias

Resultados do 1º turno reforçam nova configuração no Folha de...

Minha Casa, Minha Vida: Governo amplia limite de renda para compra da casa própria

Rendimento mensal máximo sobe de R$ 4.900 para R$...

Mitt Romney é vaiado por organização afro-americana nos EUA

Republicano foi vaiado por 25 segundos durante convenção em...

O duplo desafio de Obama

- Fonte: O Estado de São Paulo - Conforme...

para lembrar

O cabelo dos meninos pretos – por Cidinha da Silva

Por Cidinha da Silva Algo de sinistro acontecia com os...

É só alegria! Por Cidinha da Silva

Por Cidinha da Silva Os dias eram pré-carnavalescos no Rio...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=